Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Turismo
Turistas brasileiros estão ‘salvando’ a temporada em Balneário Camboriú

Segunda, 20/1/2020 14:23.
Divulgação/PMBC
A foto de Ivan Rupp mostra a praia bastante movimentada alguns dias atrás.

Publicidade

O Página 3 publicou no fim de semana uma coluna de Opinião com o título ‘Temporada 2020 deixa hoteleiros à beira de um ataque de nervos’, assinada pelo diretor do jornal, Waldemar Cezar Neto, onde o jornalista faz uma análise realista da temporada. Ele fala da mudança de público, da ausência sentida dos argentinos e da preocupação dos hoteleiros. O artigo recebeu mais de 300.000 visualizações.

Em entrevista ao Página 3 nesta manhã (20), o secretário de Turismo da cidade, Valdir Walendowsky fala sobre o menor números de argentinos, salienta que Balneário cumpriu o seu papel na divulgação em eventos durante 2019, e defende que os turistas brasileiros vêm ‘salvando’ a temporada e num ritmo diferente. Lembrou ainda que o ano letivo está quase iniciando e isso também influencia no movimento de temporada.

Poucos argentinos, mais brasileiros

O secretário confirma que a baixa frequência dos turistas argentinos afetou a temporada e comenta que isso aconteceu por conta do problema econômico pelo qual a Argentina passa.

“Eles deixaram de vir por conta da crise econômica, e é um fato que não depende de Balneário Camboriú”, afirma. Mesmo assim, Walendowsky opina que a temporada ‘vem sendo boa’, e salienta que o público brasileiro (principalmente do sudeste e sul) vem suprindo a falta dos argentinos, junto com os uruguaios, que também estão vindo em maior quantidade do que no ano passado por conta da economia ‘a pleno vapor’, segundo o secretário.

“Logo vamos voltar a promover Balneário Camboriú. Já no início de fevereiro vamos participar de eventos de promoção de destino”, acrescenta.

Aulas em fevereiro

Segundo o secretário é normal a ‘troca’ de turistas, que não costumam ficar muito tempo mais em um mesmo lugar, além do período de férias que é diferente dos anos anteriores.

“A maioria das pessoas têm dois, três períodos de férias e isso acabou mudando totalmente o comportamento do turista brasileiro. A cada troca dá uma reduzida no movimento, voltando a normalidade em alguns dias. O período da volta as aulas também afeta. Em São Paulo, que é o maior emissor de turistas no Brasil, há escolas que voltam no fim de janeiro, início de fevereiro, e isso também modifica o turismo não só em Santa Catarina como em todo o país”, diz.

Aos fins de semana, a cidade volta a ficar movimentada, com o público vindo, segundo o secretário, de Santa Catarina (Sul, Meio-Oeste e do próprio Vale do Itajaí), Rio Grande do Sul e Paraná.

Carnaval, Páscoa, Semana do Turismo e Terceira Idade

O secretário disse que já há procura pelo Carnaval e Páscoa, além da vinda de turistas da Terceira Idade, comum a partir do mês de março.

“Estamos fazendo a programação do nosso Carnaval de Rua, que é aberto a todos, e logo vamos divulgar. Também estamos focando na Páscoa, e também há a Semana do Turismo no Uruguai (10 dias antes da Páscoa), algo muito tradicional nesse país e que atrai muitos uruguaios para Balneário”, diz.

Sobre os idosos que costumam vir para Balneário após o Carnaval, Walendowsky diz que há muito mérito por parte das operadoras receptivas especializadas na Terceira Idade que atuam na cidade.

“A segurança é outro fator importante. A união das forças vem resultando em um trabalho excelente e como Balneário propicia isso para esse público, acaba agregando ainda mais valor para a nossa cidade, atraindo muitos turistas desse nicho tanto do Brasil quanto do Mercosul. É um público que está viajando muito e estamos nos esforçando para atraí-los”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/PMBC
A foto de Ivan Rupp mostra a praia bastante movimentada alguns dias atrás.
A foto de Ivan Rupp mostra a praia bastante movimentada alguns dias atrás.

Turistas brasileiros estão ‘salvando’ a temporada em Balneário Camboriú

Publicidade

Segunda, 20/1/2020 14:23.

O Página 3 publicou no fim de semana uma coluna de Opinião com o título ‘Temporada 2020 deixa hoteleiros à beira de um ataque de nervos’, assinada pelo diretor do jornal, Waldemar Cezar Neto, onde o jornalista faz uma análise realista da temporada. Ele fala da mudança de público, da ausência sentida dos argentinos e da preocupação dos hoteleiros. O artigo recebeu mais de 300.000 visualizações.

Em entrevista ao Página 3 nesta manhã (20), o secretário de Turismo da cidade, Valdir Walendowsky fala sobre o menor números de argentinos, salienta que Balneário cumpriu o seu papel na divulgação em eventos durante 2019, e defende que os turistas brasileiros vêm ‘salvando’ a temporada e num ritmo diferente. Lembrou ainda que o ano letivo está quase iniciando e isso também influencia no movimento de temporada.

Poucos argentinos, mais brasileiros

O secretário confirma que a baixa frequência dos turistas argentinos afetou a temporada e comenta que isso aconteceu por conta do problema econômico pelo qual a Argentina passa.

“Eles deixaram de vir por conta da crise econômica, e é um fato que não depende de Balneário Camboriú”, afirma. Mesmo assim, Walendowsky opina que a temporada ‘vem sendo boa’, e salienta que o público brasileiro (principalmente do sudeste e sul) vem suprindo a falta dos argentinos, junto com os uruguaios, que também estão vindo em maior quantidade do que no ano passado por conta da economia ‘a pleno vapor’, segundo o secretário.

“Logo vamos voltar a promover Balneário Camboriú. Já no início de fevereiro vamos participar de eventos de promoção de destino”, acrescenta.

Aulas em fevereiro

Segundo o secretário é normal a ‘troca’ de turistas, que não costumam ficar muito tempo mais em um mesmo lugar, além do período de férias que é diferente dos anos anteriores.

“A maioria das pessoas têm dois, três períodos de férias e isso acabou mudando totalmente o comportamento do turista brasileiro. A cada troca dá uma reduzida no movimento, voltando a normalidade em alguns dias. O período da volta as aulas também afeta. Em São Paulo, que é o maior emissor de turistas no Brasil, há escolas que voltam no fim de janeiro, início de fevereiro, e isso também modifica o turismo não só em Santa Catarina como em todo o país”, diz.

Aos fins de semana, a cidade volta a ficar movimentada, com o público vindo, segundo o secretário, de Santa Catarina (Sul, Meio-Oeste e do próprio Vale do Itajaí), Rio Grande do Sul e Paraná.

Carnaval, Páscoa, Semana do Turismo e Terceira Idade

O secretário disse que já há procura pelo Carnaval e Páscoa, além da vinda de turistas da Terceira Idade, comum a partir do mês de março.

“Estamos fazendo a programação do nosso Carnaval de Rua, que é aberto a todos, e logo vamos divulgar. Também estamos focando na Páscoa, e também há a Semana do Turismo no Uruguai (10 dias antes da Páscoa), algo muito tradicional nesse país e que atrai muitos uruguaios para Balneário”, diz.

Sobre os idosos que costumam vir para Balneário após o Carnaval, Walendowsky diz que há muito mérito por parte das operadoras receptivas especializadas na Terceira Idade que atuam na cidade.

“A segurança é outro fator importante. A união das forças vem resultando em um trabalho excelente e como Balneário propicia isso para esse público, acaba agregando ainda mais valor para a nossa cidade, atraindo muitos turistas desse nicho tanto do Brasil quanto do Mercosul. É um público que está viajando muito e estamos nos esforçando para atraí-los”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade