Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Morador de Camboriú, vítima de Febre Amarela, não tomou vacina porque tinha medo de agulha

Segunda, 9/3/2020 9:43.

Publicidade

Um homem de 42 anos faleceu vítima de Febre Amarela na terça-feira (3), no Hospital Municipal Ruth Cardoso. Ele era morador da zona rural de Camboriú, e trabalhava em uma oficina em Balneário. Todos os parentes do homem haviam se imunizado, exceto ele, que tinha medo de agulha e optou por não se vacinar.

A secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Andressa Hadad, explica que o homem começou a sentir os sintomas da Febre Amarela ainda em 26 de fevereiro, mas só procurou atendimento médico na segunda-feira (2), vindo a falecer na terça-feira (3). No sistema da secretaria constava que ele era morador de Balneário, mas foi feita uma investigação junto da Vigilância Sanitária e junto da esposa do homem foi descoberto que eles residem em um sítio em Camboriú.

“O local tem bastante mato ao redor, que é a forma de maior disseminação da Febre Amarela Silvestre, transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem nas matas. A Febre Amarela Urbana é transmitida pelo Aedes aegypti, que vive nas cidades e também transmite a Dengue. O registro de óbito foi em Balneário, como ele faleceu no Ruth Cardoso, mas ele residia em Camboriú”, diz.

O homem trabalhava em uma oficina em Balneário Camboriú, e no local também há possíveis focos do mosquito. A Vigilância Sanitária de Balneário notificou o espaço, assim como a Vigilância de Camboriú ficou responsável por fazer uma avaliação in loco no sítio da vítima.

“Nós não podemos fiscalizar já que é em Camboriú, mas podemos acompanhar. Já fomos até lá e é rodeado por uma mata que tem macacos e outros animais, riacho, e muita vegetação que pode acumular água”, salienta.

Prevenção

A secretária citou o caso do homem de Camboriú, único da família que não tomou vacina, para reforçar que a única forma de prevenir a Febre Amarela, é a imunização.

“Quem mora em áreas endêmicas, como no Amazonas, toma inclusive dose de reforço. Em Balneário 60.12% da população foi vacinada, neste ano aplicamos 27 mil doses. Fazia muitos anos que não tínhamos um caso em Balneário, tanto que quando começaram a aparecer em São Paulo nós nos preocupamos e iniciamos as ações de divulgação, vacinando nos Dias D, com vacinas sempre disponíveis no postinho da praia central. Apesar de não ser obrigatório nós vacinamos famílias que moram perto de matas por precaução, nos bairros Ariribá, Praia dos Amores, Municípios, Praias Agrestes e Nova Esperança. Nós levamos as vacinas até as pessoas, mas os pacientes precisam aceitar a dose, não podemos obrigar ninguém a se imunizar”, explica.

Cuidados

Andressa aproveita para tranquilizar a comunidade, afirmando que não há problemas em Balneário Camboriú. As dicas de prevenção, além da imunização, são as mesmas que devem ser tomadas sobre a Dengue: monitorar o acúmulo de água nas plantas, manter os ralos fechados, limpar o vaso sanitário e a caixa d’água, manter os telhados limpos sem acúmulo de mato (que podem acumular água), além de verificar pneus, trocar a água do potinho de animais domésticos com frequência, manter piscinas limpas, etc.

“É muito difícil um paciente sobreviver a Febre Amarela, é grave e letal. O doutor Drauzio Varella teve mesmo sendo imunizado, e só sobreviveu por estar vacinado. Vamos continuar chamando a atenção da comunidade, estamos com 60 agentes endêmicos combatendo a Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, mas também precisamos do apoio dos moradores, não só de Balneário como de toda a região. Se você ver um local com larvas, jogue-as no chão seco ou na terra, porque elas precisam de água para se proliferarem”, finaliza.

Quem e onde vacinar?

Todos com mais de nove meses devem ser imunizados contra a Febre Amarela. A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Morador de Camboriú, vítima de Febre Amarela, não tomou vacina porque tinha medo de agulha

Publicidade

Segunda, 9/3/2020 9:43.

Um homem de 42 anos faleceu vítima de Febre Amarela na terça-feira (3), no Hospital Municipal Ruth Cardoso. Ele era morador da zona rural de Camboriú, e trabalhava em uma oficina em Balneário. Todos os parentes do homem haviam se imunizado, exceto ele, que tinha medo de agulha e optou por não se vacinar.

A secretária de Saúde de Balneário Camboriú, Andressa Hadad, explica que o homem começou a sentir os sintomas da Febre Amarela ainda em 26 de fevereiro, mas só procurou atendimento médico na segunda-feira (2), vindo a falecer na terça-feira (3). No sistema da secretaria constava que ele era morador de Balneário, mas foi feita uma investigação junto da Vigilância Sanitária e junto da esposa do homem foi descoberto que eles residem em um sítio em Camboriú.

“O local tem bastante mato ao redor, que é a forma de maior disseminação da Febre Amarela Silvestre, transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem nas matas. A Febre Amarela Urbana é transmitida pelo Aedes aegypti, que vive nas cidades e também transmite a Dengue. O registro de óbito foi em Balneário, como ele faleceu no Ruth Cardoso, mas ele residia em Camboriú”, diz.

O homem trabalhava em uma oficina em Balneário Camboriú, e no local também há possíveis focos do mosquito. A Vigilância Sanitária de Balneário notificou o espaço, assim como a Vigilância de Camboriú ficou responsável por fazer uma avaliação in loco no sítio da vítima.

“Nós não podemos fiscalizar já que é em Camboriú, mas podemos acompanhar. Já fomos até lá e é rodeado por uma mata que tem macacos e outros animais, riacho, e muita vegetação que pode acumular água”, salienta.

Prevenção

A secretária citou o caso do homem de Camboriú, único da família que não tomou vacina, para reforçar que a única forma de prevenir a Febre Amarela, é a imunização.

“Quem mora em áreas endêmicas, como no Amazonas, toma inclusive dose de reforço. Em Balneário 60.12% da população foi vacinada, neste ano aplicamos 27 mil doses. Fazia muitos anos que não tínhamos um caso em Balneário, tanto que quando começaram a aparecer em São Paulo nós nos preocupamos e iniciamos as ações de divulgação, vacinando nos Dias D, com vacinas sempre disponíveis no postinho da praia central. Apesar de não ser obrigatório nós vacinamos famílias que moram perto de matas por precaução, nos bairros Ariribá, Praia dos Amores, Municípios, Praias Agrestes e Nova Esperança. Nós levamos as vacinas até as pessoas, mas os pacientes precisam aceitar a dose, não podemos obrigar ninguém a se imunizar”, explica.

Cuidados

Andressa aproveita para tranquilizar a comunidade, afirmando que não há problemas em Balneário Camboriú. As dicas de prevenção, além da imunização, são as mesmas que devem ser tomadas sobre a Dengue: monitorar o acúmulo de água nas plantas, manter os ralos fechados, limpar o vaso sanitário e a caixa d’água, manter os telhados limpos sem acúmulo de mato (que podem acumular água), além de verificar pneus, trocar a água do potinho de animais domésticos com frequência, manter piscinas limpas, etc.

“É muito difícil um paciente sobreviver a Febre Amarela, é grave e letal. O doutor Drauzio Varella teve mesmo sendo imunizado, e só sobreviveu por estar vacinado. Vamos continuar chamando a atenção da comunidade, estamos com 60 agentes endêmicos combatendo a Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, mas também precisamos do apoio dos moradores, não só de Balneário como de toda a região. Se você ver um local com larvas, jogue-as no chão seco ou na terra, porque elas precisam de água para se proliferarem”, finaliza.

Quem e onde vacinar?

Todos com mais de nove meses devem ser imunizados contra a Febre Amarela. A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade