Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Home Office: Coronavírus afeta a rotina e força novos hábitos

O trabalho precisa continuar, mesmo em casa

Quinta, 26/3/2020 13:10.

Publicidade

A chegada do Coronavírus no Brasil, mais especificamente com os decretos do Governo do Estado e da prefeitura, afetou a rotina de profissionais e empresas.

O home office, prática já bastante difundida e utilizada inclusive pelo Jornal Página 3, vem sendo uma boa saída para trabalhadores das mais diversas áreas, desde publicidade, advocacia e até psicólogas.

A reportagem conversou com alguns profissionais que relatam suas experiências.

Design & publicidade

Daniel Nardes, 30 anos, é designer gráfico e diretor de criação da Inteligência Marketing, agência de publicidade de Balneário Camboriú. Apesar de já costumar trabalhar de casa desde 2014 através de seus trabalhos freelancers, Daniel está vivenciando algo novo, que é estar em casa o dia inteiro, já que a agência também teve que fechar por conta do Coronavírus.

“A equipe da agência aceitou bem, mas inicialmente não sabíamos como proceder, porque nunca antes tinha acontecido algo do tipo. Fomos nos adaptando, um ajudando o outro, e parece até que estamos mais unidos, prontos para atender um ao outro, ninguém se deixa na mão. Os trabalhos seguem normalmente e o rendimento está até melhor, já que home office exige concentração em dobro. Seguimos o mesmo horário que fazíamos presencial na agência, de segunda a sexta-feira das 8h30 às 18h. Os clientes já estão acostumados com os nossos horários, mas muitos deles diminuíram as solicitações. Os nossos principais jobs vêm sendo informativos de prevenção para os clientes dos clientes, posts de redes sociais. Porém, a parte de produção gráfica parou, porque os fornecedores não estão trabalhando. Vejo que o atual momento está servindo como base para muitas empresas testarem essa modalidade (home office), que vem crescendo cada vez mais no Brasil, inclusive com legislação própria desde 2017. Entra em questão ‘por que ter um espaço físico quando as pessoas poderiam estar trabalhando de suas casas, com os mesmos equipamentos ou até melhores?’. Há aqueles que não se habituam a trabalhar de casa, mas eu consigo manter minha rotina, com horários de pausa, consigo manter o foco. Me considero disciplinado, e como diretor de criação tenho o dever de ter essa disciplina para ser um exemplo para os outros e gerenciar os trabalhos em andamento”.


Advogado também

Alex Casado, 45 anos, morador de Balneário Camboriú, é advogado

“Antes da quarentena, logo pela manhã, já recebia chamadas e mensagens pelo WhatsApp de clientes, que solicitavam esclarecimentos de dúvidas. Chegando no escritório, boa parte do dia era dividido entre atendimentos presenciais, tanto no escritório como também em empresas, peticionamento nos processos, levar meu filho de 11 anos e minha mãe idosa para suas atividades. Desde a implantação dos processos eletrônicos, diminuiu muito a necessidade do advogado ir até aos fóruns, limitando-se tais idas às audiências. Eventualmente ia ao presídio, delegacias e repartições públicas em geral, e audiências em comarcas mais distantes. Com o Coronavírus, cessaram todos os atendimentos presenciais e as audiências, e agora fico quase o tempo todo em casa, com minha esposa, que também está trabalhando home office, e com meu filho, que alterna entre brincar, ver vídeos e filmes na tv e no smartphone, jogar vídeo game, fazer as tarefas online da escola e as que passou pra ele em complementação. As tarefas em conjunto são ver filmes e as refeições, eventualmente jogo algum game com ele também. Não é fácil ficarmos os três no mesmo ambiente tanto tempo. Na terça-feira (24) fui ao escritório trabalhar, pois sabia que ficaria sozinho, portanto sob baixo risco de contágio. Aproveitei e abri as janelas para arejar, desinfectei minha mesa e o material de uso. Os clientes seguem buscando informações por telefone e WhatsApp, mas quase todos os questionamentos são sobre o que podem ou não fazer em suas empresas durante a quarentena, ou como lidar com funcionários e reflexos no recolhimento de tributos e financiamentos. Diariamente, também analiso os processos (via computador), mas os prazos estão suspensos, já que o Judiciário também segue com servidores e magistrados trabalhando sob o regime de home office, e muitos processos tem sido impulsionados pelos mesmos, apesar da suspensão dos prazos e do funcionamento da Justiça. Me preocupo que, quando termine a quarentena, tenham muitas providências a adotar, então desde já busco atendê-las, procurando evitar que ocorra um acúmulo mais adiante. Fora do período de quarentena, eu raramente levava trabalho para casa, preferia trabalhar até mais tarde, fosse para atender algum flagrante ou a necessidade de se buscar uma liminar no plantão judicial. Várias vezes trabalhei noite adentro nessas condições. Raramente em casa. Agora vejo que o home office serve para quebrar as barreiras. Acredito que essa experiência fará com que mais pessoas o utilizem, bem mais do que já acontece. São inúmeras as vantagens, destaco a dispensa do deslocamento, que leva por consequência à redução de custos de transporte, necessidade de se criar uma estrutura física de escritórios e empresas, evita engarrafamentos e poluição e contribui até para segurança, além de inúmeras outras vantagens”.


Ministério Público também em home office

Foto: Arquivo Pessoal

Rita Helena Ferreira, 40 anos, moradora de Balneário Camboriú, trabalha como analista no Ministério Público Federal e está em isolamento desde o dia 17 de março.

“O MPF em Santa Catarina regulamentou o teletrabalho no dia 16 de março e, de forma inteligente, permitiu que servidores pudessem levar, provisoriamente, mediante registro, alguns equipamentos de trabalho para casa, o que facilitou bastante essa transição. Temos a nosso favor o fato de que os processos, quase que integralmente, já são eletrônicos, o que permite a análise e movimentação da mesma forma que fazemos quando estamos em trabalho presencial. Além disso, todos os telefones da instituição foram direcionados para os respectivos celulares particulares, por meio do dispositivo "siga-me", a fim de permitir que a população não tenha prejuízo na comunicação. Minha esposa é psicóloga e, por trabalhar na área de recursos humanos em empresa de serviço essencial - distribuição de alimentos - segue trabalhando. Sabemos que é necessário e estamos tentando adotar todas as medidas possíveis para evitar contágio. Liberamos nossa diarista, com manutenção do pagamento, e estamos, assim como todos, buscando alternativas para essa nova realidade de isolamento social. No meu caso, em casa o dia inteiro, tento manter uma rotina de atividades e obrigações, além das decorrentes do trabalho, para deixar a mente ocupada sempre que possível. Além disso, praticamente todas as noites, temos feito exercícios físicos, tudo na tentativa de manter a sanidade física e mental. Infelizmente, acho que estamos só no início do problema, que afetará cruelmente muita gente, mas nos resta tentar seguir as orientações das autoridades no assunto, sobretudo a OMS, ficando em casa”.


Psicóloga por chamadas de vídeo

Valéria Cichela de Deus, 40 anos, é psicóloga especialista em terapia familiar com formação em TCC, atende adultos, casais e crianças

“Minha rotina anterior à quarentena era confirmar a agenda com a secretária, ir até a clínica preparar os atendimentos dos pacientes do dia e proceder os atendimentos presenciais. Recebia os pacientes, acolhia as mais diversas demandas com técnicas da prática psicológica. Eu realizava os atendimentos 4 dias da semana dependendo da agenda. Com o Coronavírus eu estou atendendo bem menos, pois nem todos os pacientes que estavam em atendimento se adaptam a modalidade online. Eu tive uma queda de 70% nos atendimentos, uns porque não possuem habilidade com a tecnologia, outros por não terem lugar apropriado em casa para poderem falar a vontade ou ainda os que estão tão apavorados com o vírus que não conseguem pensar em mais nada. Sem falar no momento financeiro incerto, muitos já estão preocupados com a recessão que virá ou que já chegou para alguns. Os atendimentos que estão ocorrendo são todos online, tento proceder da forma mais natural possível e trabalhar os assuntos que já vinham antes do corona vírus e, claro, acompanhar também as angústias e ansiedades provenientes da atual situação, porém não focando apenas no vírus ou na atual situação porque alguns lidam muito bem, outros têm muita dificuldade e isso depende mais de características individuais e estratégias de enfrentamento internas de cada pessoa e é esse o ponto que prefiro trabalhar neste momento. Eu pessoalmente acho o atendimento presencial mais completo porque permite um trabalho mais intenso... somos seres relacionais e sociais e somos carentes de interação. Mas, os atendimentos online nesse momento são a única possibilidade e claro que produzem muito efeito, um efeito indispensável nesse momento de crise. O contato se dá por vídeo-chamada, porém nem sempre a conexão está funcionando perfeitamente, depende da velocidade da internet. Já tive caso de finalizar o atendimento por ligação, devido à queda constante da conexão. Isso torna muito desconfortável a experiência da terapia online. Mas, na maioria das vezes até agora correu tudo bem nas chamadas de vídeo e as sessões acontecem normalmente. Com duração média de 1 hora. Peço sempre aos pacientes que escolham um lugar tranquilo da casa e um horário onde possam falar sem interrupções para que possam manter o sigilo e o foco no atendimento, fatores que em geral são controlados com mais facilidade no consultório. Costumo dizer que o controle é uma ilusão porque quando ficamos ansiosos, por exemplo, não controlamos nem os batimentos do coração e queremos controlar o mundo e as ações dos outros. Enfim, controle é só uma ilusão e desapegar dessa ilusão pode ajudar a manter a calma. A dica principal é fazer a sua parte, tomar os cuidados que você pode e descansar sobre o que não depende de você. O estresse geralmente ele já existia e agora com o confinamento tende a piorar, então talvez deva-se aproveitar o momento para entender o motivo do estresse e pensar: “com o caos que está no mundo esse estresse vale a pena? Te acrescenta o quê?” Ocupe-se de coisas boas, aprenda algo, converse com quem está com você ou com quem está online, desafie-se e faça uma nova receita, arrume o armário, faça um diário, enfim, ocupe a mente. Minha maior demanda não tem sido sobre o vírus, tem sido questões relacionadas a dificuldade de relacionamento que as pessoas têm com familiares e pessoas próximas, nessa fase onde não dá pra fugir das relações. Os pacientes que já tinham ansiedade, esses sim, apresentam um grau acentuado de dificuldade em lidar com as incertezas da atual situação. Acho interessante nesse momento tiramos tempo para nos percebermos, reorganizar as prioridades, revermos a maneira como gastamos nosso tempo, nosso dinheiro e nossas vidas, dar importância ao que realmente é importante, passar mais tempo com quem faz diferença nas nossas vidas. Valorizar mais o toque e o contato com quem amamos e aproveitar pra descansar porque às vezes reclamamos tanto a falta de tempo e agora não sabemos o que fazer com o tempo que temos, enfim, é tempo de mudanças. A vida nos parou para reavaliarmos o que realmente importa”.


Terapia quântica

Carmen Glória Coelho, 63 anos, é terapeuta quântica e trabalha com terapias complementares, como Barras de Access, Tameana e Regressão

“A minha rotina era atender os clientes/consulentes de forma presencial ou online nos horários agendados. Geralmente atendo de segunda a sexta-feira e nos finais de semana dou treinamento de Barras de Access, Tameana ou quando alguma empresa solicita algum outro tipo de treinamento específico com foco na demanda do cliente/empresa. Como viajo para outras cidades e estados para dar treinamentos essas agendas estão canceladas e sem novas datas. Com o Coronavírus o quadro mudou bastante, pois para muitas pessoas o fechamento dos limites das cidades impede o acesso ao meu atendimento presencial, também cancelei cursos em outras cidades. Como eu já tinha a opção de atendimentos online, isto ajuda os que não podem chegar até o meu consultório, mantendo certa continuidade nos atendimentos para que eles possam atravessar este período com mais calma e serenidade, entendendo que tudo é passageiro, mas querendo ou não as novas adaptações geram muito desgaste para todos. Os que já faziam as terapias de Tameana online não mudou nada em relação aos atendimentos, também estamos abrindo cursos de Tameana online. Na primeira semana tudo é muito novo e ainda as pessoas não tem a exata dimensão do que está acontecendo, daqui para frente é que a tendência é um aumento significativo do estresse, ansiedade, depressão, irritabilidade, raiva, fúria, etc. Temos uma tendência à crítica e ao julgamento, o que piora tudo tanto a nível pessoal como coletivo. Este é o momento de romper com estes padrões que só nos afastam uns dos outros. A hora é de aceitar a indignação interna (que é justa) sem culpar quem está ao seu lado ou os governantes e sim descobrir internamente sua força e potência interior, seja através de orações, meditações, exercícios, yoga, terapias online, etc. Diminuir o acesso às mídias sejam sociais ou informativas, buscando leituras, filmes, conversas que sejam construtivas e elevem o seu nível vibracional. As vibrações de baixa frequência, como medo, ódio, raiva, ira, tristeza, insatisfação, angústia, apatia, vingança, desespero, agressão, indignação, vergonha, ganância, tornam o organismo do ser humano vulnerável ao Coronavírus (e todos os demais vírus, bactérias, fungos) que são ‘oportunistas’ nas condições de baixa frequência, baixa imunidade, por isso a grande importância de manter o corpo, a mente e o coração em harmonia e saudável. Não permita que o desespero destes momentos destruam seu relacionamento, sua vida, seus sonhos. Não acredite em tudo que ouve, lê ou vê, consulte seu coração para verificar se a informação ė verdadeira. Seu corpo é sábio, converse com ele, veja, sinta, perceba o que é melhor para você agora, não ‘force a barra’, permita que a ‘sabedoria inata’ se manifeste na sua vida e acredite no Ser Maior que tudo criou, existe um propósito muito além da nossa compreensão, então seja grato, seja generoso, seja solidário. Tudo passa, então passe em paz, com sabedoria e muito amor. Este momento também é um chamado ao recolhimento não apenas físico, mas também emocional para que você refaça suas conexões com a vida, com a Terra, com Deus e com você mesmo. No nosso site (www.icgcursos.com) disponibilizamos meditações, cursos gratuitos e pagos. YouTube Instituto Carmen Glória também disponibilizamos bastante informações. Temos atendimento online gratuito e pago, basta conversar conosco no WhatsApp (47) 99210-7587”.


Yoga e meditação fazem a diferença na quarentena

Rô Pacheco é professora de yoga e proprietária da Yoga Spanda, centro de estudos e prática de yoga e bem-estar

“O que diferencia hoje eram as minhas saídas externas, mas a minha rotina pessoal, de fazer as minhas meditações, leituras, tudo isso segue igual. Como a minha escola e a minha casa são no mesmo local, já faz alguns anos que trabalho em ‘home office’, então isso me auxilia muito porque eu disponho de espaço para a prática de yoga na parte de baixo da casa, então eu sigo nas minhas atividades normais na quarentena. As aulas estão acontecendo de forma virtual, dou as aulas ao vivo para os alunos, eles se mantêm nas mesmas turmas, eu consigo vê-los. Como eu trabalho bem com a parte da descrição das posturas, a descrição de todos os exercícios de respiração então eu realmente não estou tendo dificuldade de dar as aulas online. Eu também tenho gravado vídeos, um trabalho totalmente voluntário disponibilizando na rede vários exercícios para auxiliar porque penso que esse é o meu papel, assim como para a prefeitura, para os profissionais da área da Saúde eu também tenho feito esse trabalho. Vejo que a grande maioria das pessoas não tem uma rotina de saúde. Todo mundo tem rotina de várias coisas, então eu acho que agora talvez seja o momento para a grande maioria das pessoas se dar conta de que precisa de uma rotina de saúde. Ou seja, a tua prática de meditação, a tua prática de yoga, não só um exercício que seja para o físico, mas um exercício psico-físico. Eles auxiliam muito nesses momentos. Eu sempre falo para os meus alunos que a prática de yoga é como uma espécie de investimento, nos momentos difíceis da vida você recolhe esse investimento que fez e aplica naquele desafio. Você precisa fazer esse investimento, essa ‘poupança’ todos os dias, porque a gente nunca sabe por quais desafios nós vamos passar. Então agora, por exemplo, vai ficando cada vez mais claro quem realmente vai colocar em prática e fez esse investimento. Mas quem nunca meditou pode começar agora, até porque a gente não tem outra saída. Agora é o momento para a gente começar a criar uma rotina. Tem um monte de gente falando várias coisas, em perspectivas diferentes, mas o melhor lugar é dentro de nós. Para algumas pessoas tomar consciência do que tem dentro de si não é muito bom, mas a gente não vai ter outra saída a partir de agora. Essa crise não tem para onde a gente ir, é ficar consigo. A meditação funciona exatamente com o princípio de voltar para si, a ferramenta é para qualquer pessoa, basta você querer. Estou ensinando através das redes (Instagram e Facebook) diversas técnicas que podem ajudar bastante. Estou muito confiante, acho que a gente tem que procurar se acalmar, e quem está mais centrado agora é quem vai dar suporte para quem não está preparado. Todos nós vamos sofrer a crise do isolamento, o medo, a ansiedade, ninguém está livre de viver esse processo, nem eu, mas a intensidade disso está envolvida com o equilíbrio dentro de si. Quem medita também sente, mas menos do que alguém que não faz nada disso. Quem estiver melhor, vai poder apoiar quem não estiver tão bem assim. Uma dica simples é sentar em algum momento do dia, não precisa ser em postura de lótus, basta estar com a coluna ereta e com os olhos fechados, e ficar presente no processo respiratório. Quando vier uma emoção negativa, olhar pra isso, não negar, mas pensar o oposto, no positivo. Não se demore em pensamentos e emoções negativas, talvez isso seja o mais eficiente e simples nesse momento”.


Feng Shui para Home Office: nos preparando para os novos tempos

Mesa de home office feita com Feng Shui

Em tempos de montar escritório dentro de casa, muitas vezes na sala, no quarto e até mesmo na cozinha, como fica a questão prática desta situação, a harmonia desta ‘mistura’ de ambientes? Para dar dicas sobre o assunto, a reportagem consultou Janine Arnt, especialista em Radiestesia e Consultoria em Feng Shui. Confira a opinião da especialista:

“Estamos num momento bastante delicado para a humanidade, cada um precisando olhar para dentro de si e para o outro com compaixão e zelo...Reavaliar a importância da vida, do que nos é essencial à sobrevivência e prestar reverência à educação e valores que recebemos dos nossos antepassados... "

Quantas vezes você sonhou ou verbalizou que bom mesmo seria poder trabalhar em casa?

Um lugar para desenvolver todas suas potencialidades internas e se auto-aperfeiçoar?

Chegou a hora! Você tem esta oportunidade em suas mãos! Mas e agora? O que fazer?

Trabalhar na mesa da sala ou da cozinha, recolher tudo a cada refeição, ficar ouvindo a televisão e atendendo as crianças ao mesmo tempo em que tenta trabalhar você já deve ter percebido que não funciona!

Acompanhe algumas sugestões:

  • 1 - DISCIPLINA: Definir uma agenda diária para acordar, atender a rotina da casa, dar atenção para a família e ainda ter horário para trabalhar e estudar. Neste horário deixar as redes sociais de lado também será importante para que seu trabalho tenha bom aproveitamento

  • 2 - COMPARTILHAR: Informar sua família sobre o cronograma diário, o horário em que as crianças ficarão com você, com seu marido ou outra pessoa da casa enquanto você trabalha

  • 3 - UM RECANTO: encontrar um local quieto onde você consiga ter uma mesa mesmo pequena para se se concentrar... Se houver um quarto vago na casa seria o ideal mas uma sacada fechada ou um recanto no quarto também podem ser utilizados.
  • 4 - MESA DE TRABALHO: Pode ser um móvel antigo, 2 cavaletes com uma tabua e uma cadeira confortável. Deixe sobre ela somente seu notebook ou material de estudo ou trabalho. Uma estante ou gaveteiro ajudará a organizar os demãos materiais, livros e pastas de apoio. Se possível tenha uma janela com cortina suave para ventilar o local, iluminar sua mesa e lhe permitir ser criativo e ver novas alternativas se descortinando à sua frente ...

  • 5 - ORGANIZAÇÃO: Agora que você já escolheu seu recanto de trabalho defina suas metas e coloque no mural ou na sua agenda diária de serviços à fazer. Você também poderá organizar sua mesa de trabalho ativando as áreas do Baguá sobre o tampo da mesa:
  • 6 - HARMONIA: Depois que sua rotina estiver em andamento você poderá melhorar ainda mais este local... trabalhando ao som de mantras ou música clássica, colocar um aromatizador elétrico com óleo essencial de tangerina ou capim limão e uma pedra Turmalina Negra próximo ao seu computador e um vasinho de calanchoê ou lírio da paz no canto esquerdo superior da mesa.

Para seu equilíbrio pessoal:

  • Um copo de suco de limão pela manhã dá mais disposição
  • Respire profundamente sempre que estiver ansioso ou com medo do futuro
  • Medite e agradeça, diariamente, pela vida olhando em direção ao nascer do sol
  • Faça um escalda pés com chá de camomila antes de dormir e tenha um sono tranquilo
  • Janine Arnt – Radiestesia e Consultoria em Feng Shui – (47) 99286.2600 – Atende online.

Professora também dá dicas

O trabalho remoto é inevitável em tempos de isolamento para prevenção do coronavírus, mas é uma novidade para muita gente. Sair do piloto automático e se adequar ao home office nem sempre é fácil, exige autodisciplina e organização. A professora e coaching, Mileide Leal Sabino, doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento, selecionou algumas dicas práticas para quem precisa adaptar-se ao home office ou mesmo estudar a distância. Segundo ela, se bem planejado, o home office pode ser até mais produtivo para algumas pessoas do que se estivessem cumprindo o expediente na empresa. “Tudo depende do perfil e esse é um momento para experimentar”, diz.

  • confira e coloque em prática as dicas: tenha em mãos o que você precisa, como agenda, telefone, computador, internet com uma boa conexão, caneta, bloco de notas, entre outras coisas. Isso evita que você se disperse procurando esses materiais;
  • defina horários para que você esteja 100% dedicado ao trabalho;
  • faça intervalos –pausas são importantes para relaxar, alimentar-se e mexer o corpo, mas também precisam ter um tempo estipulado; crie um ambiente adequado: se possível, escolha um espaço reservado em sua casa, confortável e com o silêncio que você precisa;
  • utilize a tecnologia a seu favor, há muitas ferramentas para reuniões virtuais de forma gratuita, como os Hangouts do Google;
  • o Zoom que é um software focado em videoconferências;
  • o Skype; o Slack; Join.me;
  • o próprio WhatsApp, entre outras ferramentas, que permitem reuniões virtuais por meio de vídeo, compartilhamento de tela e chat;
  • vista-se para trabalhar, não precisa ser formal, mas evite permanecer de pijama o dia todo;
  • minimize distrações: caso você more com mais alguém, avise que você não poderá ser interrompido, a não ser nos intervalos que você definiu para descansos;
  • monitore e mantenha a produtividade, há algumas ferramentas online e gratuitas que podem ajudar como o Gsuite, o Evernote, o Google Drive, o Trello, entre outros, que ajudam a organizar as tarefas, compartilhar arquivos e gerenciar o trabalho em equipe.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Home Office: Coronavírus afeta a rotina e força novos hábitos

O trabalho precisa continuar, mesmo em casa

Publicidade

Quinta, 26/3/2020 13:10.

A chegada do Coronavírus no Brasil, mais especificamente com os decretos do Governo do Estado e da prefeitura, afetou a rotina de profissionais e empresas.

O home office, prática já bastante difundida e utilizada inclusive pelo Jornal Página 3, vem sendo uma boa saída para trabalhadores das mais diversas áreas, desde publicidade, advocacia e até psicólogas.

A reportagem conversou com alguns profissionais que relatam suas experiências.

Design & publicidade

Daniel Nardes, 30 anos, é designer gráfico e diretor de criação da Inteligência Marketing, agência de publicidade de Balneário Camboriú. Apesar de já costumar trabalhar de casa desde 2014 através de seus trabalhos freelancers, Daniel está vivenciando algo novo, que é estar em casa o dia inteiro, já que a agência também teve que fechar por conta do Coronavírus.

“A equipe da agência aceitou bem, mas inicialmente não sabíamos como proceder, porque nunca antes tinha acontecido algo do tipo. Fomos nos adaptando, um ajudando o outro, e parece até que estamos mais unidos, prontos para atender um ao outro, ninguém se deixa na mão. Os trabalhos seguem normalmente e o rendimento está até melhor, já que home office exige concentração em dobro. Seguimos o mesmo horário que fazíamos presencial na agência, de segunda a sexta-feira das 8h30 às 18h. Os clientes já estão acostumados com os nossos horários, mas muitos deles diminuíram as solicitações. Os nossos principais jobs vêm sendo informativos de prevenção para os clientes dos clientes, posts de redes sociais. Porém, a parte de produção gráfica parou, porque os fornecedores não estão trabalhando. Vejo que o atual momento está servindo como base para muitas empresas testarem essa modalidade (home office), que vem crescendo cada vez mais no Brasil, inclusive com legislação própria desde 2017. Entra em questão ‘por que ter um espaço físico quando as pessoas poderiam estar trabalhando de suas casas, com os mesmos equipamentos ou até melhores?’. Há aqueles que não se habituam a trabalhar de casa, mas eu consigo manter minha rotina, com horários de pausa, consigo manter o foco. Me considero disciplinado, e como diretor de criação tenho o dever de ter essa disciplina para ser um exemplo para os outros e gerenciar os trabalhos em andamento”.


Advogado também

Alex Casado, 45 anos, morador de Balneário Camboriú, é advogado

“Antes da quarentena, logo pela manhã, já recebia chamadas e mensagens pelo WhatsApp de clientes, que solicitavam esclarecimentos de dúvidas. Chegando no escritório, boa parte do dia era dividido entre atendimentos presenciais, tanto no escritório como também em empresas, peticionamento nos processos, levar meu filho de 11 anos e minha mãe idosa para suas atividades. Desde a implantação dos processos eletrônicos, diminuiu muito a necessidade do advogado ir até aos fóruns, limitando-se tais idas às audiências. Eventualmente ia ao presídio, delegacias e repartições públicas em geral, e audiências em comarcas mais distantes. Com o Coronavírus, cessaram todos os atendimentos presenciais e as audiências, e agora fico quase o tempo todo em casa, com minha esposa, que também está trabalhando home office, e com meu filho, que alterna entre brincar, ver vídeos e filmes na tv e no smartphone, jogar vídeo game, fazer as tarefas online da escola e as que passou pra ele em complementação. As tarefas em conjunto são ver filmes e as refeições, eventualmente jogo algum game com ele também. Não é fácil ficarmos os três no mesmo ambiente tanto tempo. Na terça-feira (24) fui ao escritório trabalhar, pois sabia que ficaria sozinho, portanto sob baixo risco de contágio. Aproveitei e abri as janelas para arejar, desinfectei minha mesa e o material de uso. Os clientes seguem buscando informações por telefone e WhatsApp, mas quase todos os questionamentos são sobre o que podem ou não fazer em suas empresas durante a quarentena, ou como lidar com funcionários e reflexos no recolhimento de tributos e financiamentos. Diariamente, também analiso os processos (via computador), mas os prazos estão suspensos, já que o Judiciário também segue com servidores e magistrados trabalhando sob o regime de home office, e muitos processos tem sido impulsionados pelos mesmos, apesar da suspensão dos prazos e do funcionamento da Justiça. Me preocupo que, quando termine a quarentena, tenham muitas providências a adotar, então desde já busco atendê-las, procurando evitar que ocorra um acúmulo mais adiante. Fora do período de quarentena, eu raramente levava trabalho para casa, preferia trabalhar até mais tarde, fosse para atender algum flagrante ou a necessidade de se buscar uma liminar no plantão judicial. Várias vezes trabalhei noite adentro nessas condições. Raramente em casa. Agora vejo que o home office serve para quebrar as barreiras. Acredito que essa experiência fará com que mais pessoas o utilizem, bem mais do que já acontece. São inúmeras as vantagens, destaco a dispensa do deslocamento, que leva por consequência à redução de custos de transporte, necessidade de se criar uma estrutura física de escritórios e empresas, evita engarrafamentos e poluição e contribui até para segurança, além de inúmeras outras vantagens”.


Ministério Público também em home office

Foto: Arquivo Pessoal

Rita Helena Ferreira, 40 anos, moradora de Balneário Camboriú, trabalha como analista no Ministério Público Federal e está em isolamento desde o dia 17 de março.

“O MPF em Santa Catarina regulamentou o teletrabalho no dia 16 de março e, de forma inteligente, permitiu que servidores pudessem levar, provisoriamente, mediante registro, alguns equipamentos de trabalho para casa, o que facilitou bastante essa transição. Temos a nosso favor o fato de que os processos, quase que integralmente, já são eletrônicos, o que permite a análise e movimentação da mesma forma que fazemos quando estamos em trabalho presencial. Além disso, todos os telefones da instituição foram direcionados para os respectivos celulares particulares, por meio do dispositivo "siga-me", a fim de permitir que a população não tenha prejuízo na comunicação. Minha esposa é psicóloga e, por trabalhar na área de recursos humanos em empresa de serviço essencial - distribuição de alimentos - segue trabalhando. Sabemos que é necessário e estamos tentando adotar todas as medidas possíveis para evitar contágio. Liberamos nossa diarista, com manutenção do pagamento, e estamos, assim como todos, buscando alternativas para essa nova realidade de isolamento social. No meu caso, em casa o dia inteiro, tento manter uma rotina de atividades e obrigações, além das decorrentes do trabalho, para deixar a mente ocupada sempre que possível. Além disso, praticamente todas as noites, temos feito exercícios físicos, tudo na tentativa de manter a sanidade física e mental. Infelizmente, acho que estamos só no início do problema, que afetará cruelmente muita gente, mas nos resta tentar seguir as orientações das autoridades no assunto, sobretudo a OMS, ficando em casa”.


Psicóloga por chamadas de vídeo

Valéria Cichela de Deus, 40 anos, é psicóloga especialista em terapia familiar com formação em TCC, atende adultos, casais e crianças

“Minha rotina anterior à quarentena era confirmar a agenda com a secretária, ir até a clínica preparar os atendimentos dos pacientes do dia e proceder os atendimentos presenciais. Recebia os pacientes, acolhia as mais diversas demandas com técnicas da prática psicológica. Eu realizava os atendimentos 4 dias da semana dependendo da agenda. Com o Coronavírus eu estou atendendo bem menos, pois nem todos os pacientes que estavam em atendimento se adaptam a modalidade online. Eu tive uma queda de 70% nos atendimentos, uns porque não possuem habilidade com a tecnologia, outros por não terem lugar apropriado em casa para poderem falar a vontade ou ainda os que estão tão apavorados com o vírus que não conseguem pensar em mais nada. Sem falar no momento financeiro incerto, muitos já estão preocupados com a recessão que virá ou que já chegou para alguns. Os atendimentos que estão ocorrendo são todos online, tento proceder da forma mais natural possível e trabalhar os assuntos que já vinham antes do corona vírus e, claro, acompanhar também as angústias e ansiedades provenientes da atual situação, porém não focando apenas no vírus ou na atual situação porque alguns lidam muito bem, outros têm muita dificuldade e isso depende mais de características individuais e estratégias de enfrentamento internas de cada pessoa e é esse o ponto que prefiro trabalhar neste momento. Eu pessoalmente acho o atendimento presencial mais completo porque permite um trabalho mais intenso... somos seres relacionais e sociais e somos carentes de interação. Mas, os atendimentos online nesse momento são a única possibilidade e claro que produzem muito efeito, um efeito indispensável nesse momento de crise. O contato se dá por vídeo-chamada, porém nem sempre a conexão está funcionando perfeitamente, depende da velocidade da internet. Já tive caso de finalizar o atendimento por ligação, devido à queda constante da conexão. Isso torna muito desconfortável a experiência da terapia online. Mas, na maioria das vezes até agora correu tudo bem nas chamadas de vídeo e as sessões acontecem normalmente. Com duração média de 1 hora. Peço sempre aos pacientes que escolham um lugar tranquilo da casa e um horário onde possam falar sem interrupções para que possam manter o sigilo e o foco no atendimento, fatores que em geral são controlados com mais facilidade no consultório. Costumo dizer que o controle é uma ilusão porque quando ficamos ansiosos, por exemplo, não controlamos nem os batimentos do coração e queremos controlar o mundo e as ações dos outros. Enfim, controle é só uma ilusão e desapegar dessa ilusão pode ajudar a manter a calma. A dica principal é fazer a sua parte, tomar os cuidados que você pode e descansar sobre o que não depende de você. O estresse geralmente ele já existia e agora com o confinamento tende a piorar, então talvez deva-se aproveitar o momento para entender o motivo do estresse e pensar: “com o caos que está no mundo esse estresse vale a pena? Te acrescenta o quê?” Ocupe-se de coisas boas, aprenda algo, converse com quem está com você ou com quem está online, desafie-se e faça uma nova receita, arrume o armário, faça um diário, enfim, ocupe a mente. Minha maior demanda não tem sido sobre o vírus, tem sido questões relacionadas a dificuldade de relacionamento que as pessoas têm com familiares e pessoas próximas, nessa fase onde não dá pra fugir das relações. Os pacientes que já tinham ansiedade, esses sim, apresentam um grau acentuado de dificuldade em lidar com as incertezas da atual situação. Acho interessante nesse momento tiramos tempo para nos percebermos, reorganizar as prioridades, revermos a maneira como gastamos nosso tempo, nosso dinheiro e nossas vidas, dar importância ao que realmente é importante, passar mais tempo com quem faz diferença nas nossas vidas. Valorizar mais o toque e o contato com quem amamos e aproveitar pra descansar porque às vezes reclamamos tanto a falta de tempo e agora não sabemos o que fazer com o tempo que temos, enfim, é tempo de mudanças. A vida nos parou para reavaliarmos o que realmente importa”.


Terapia quântica

Carmen Glória Coelho, 63 anos, é terapeuta quântica e trabalha com terapias complementares, como Barras de Access, Tameana e Regressão

“A minha rotina era atender os clientes/consulentes de forma presencial ou online nos horários agendados. Geralmente atendo de segunda a sexta-feira e nos finais de semana dou treinamento de Barras de Access, Tameana ou quando alguma empresa solicita algum outro tipo de treinamento específico com foco na demanda do cliente/empresa. Como viajo para outras cidades e estados para dar treinamentos essas agendas estão canceladas e sem novas datas. Com o Coronavírus o quadro mudou bastante, pois para muitas pessoas o fechamento dos limites das cidades impede o acesso ao meu atendimento presencial, também cancelei cursos em outras cidades. Como eu já tinha a opção de atendimentos online, isto ajuda os que não podem chegar até o meu consultório, mantendo certa continuidade nos atendimentos para que eles possam atravessar este período com mais calma e serenidade, entendendo que tudo é passageiro, mas querendo ou não as novas adaptações geram muito desgaste para todos. Os que já faziam as terapias de Tameana online não mudou nada em relação aos atendimentos, também estamos abrindo cursos de Tameana online. Na primeira semana tudo é muito novo e ainda as pessoas não tem a exata dimensão do que está acontecendo, daqui para frente é que a tendência é um aumento significativo do estresse, ansiedade, depressão, irritabilidade, raiva, fúria, etc. Temos uma tendência à crítica e ao julgamento, o que piora tudo tanto a nível pessoal como coletivo. Este é o momento de romper com estes padrões que só nos afastam uns dos outros. A hora é de aceitar a indignação interna (que é justa) sem culpar quem está ao seu lado ou os governantes e sim descobrir internamente sua força e potência interior, seja através de orações, meditações, exercícios, yoga, terapias online, etc. Diminuir o acesso às mídias sejam sociais ou informativas, buscando leituras, filmes, conversas que sejam construtivas e elevem o seu nível vibracional. As vibrações de baixa frequência, como medo, ódio, raiva, ira, tristeza, insatisfação, angústia, apatia, vingança, desespero, agressão, indignação, vergonha, ganância, tornam o organismo do ser humano vulnerável ao Coronavírus (e todos os demais vírus, bactérias, fungos) que são ‘oportunistas’ nas condições de baixa frequência, baixa imunidade, por isso a grande importância de manter o corpo, a mente e o coração em harmonia e saudável. Não permita que o desespero destes momentos destruam seu relacionamento, sua vida, seus sonhos. Não acredite em tudo que ouve, lê ou vê, consulte seu coração para verificar se a informação ė verdadeira. Seu corpo é sábio, converse com ele, veja, sinta, perceba o que é melhor para você agora, não ‘force a barra’, permita que a ‘sabedoria inata’ se manifeste na sua vida e acredite no Ser Maior que tudo criou, existe um propósito muito além da nossa compreensão, então seja grato, seja generoso, seja solidário. Tudo passa, então passe em paz, com sabedoria e muito amor. Este momento também é um chamado ao recolhimento não apenas físico, mas também emocional para que você refaça suas conexões com a vida, com a Terra, com Deus e com você mesmo. No nosso site (www.icgcursos.com) disponibilizamos meditações, cursos gratuitos e pagos. YouTube Instituto Carmen Glória também disponibilizamos bastante informações. Temos atendimento online gratuito e pago, basta conversar conosco no WhatsApp (47) 99210-7587”.


Yoga e meditação fazem a diferença na quarentena

Rô Pacheco é professora de yoga e proprietária da Yoga Spanda, centro de estudos e prática de yoga e bem-estar

“O que diferencia hoje eram as minhas saídas externas, mas a minha rotina pessoal, de fazer as minhas meditações, leituras, tudo isso segue igual. Como a minha escola e a minha casa são no mesmo local, já faz alguns anos que trabalho em ‘home office’, então isso me auxilia muito porque eu disponho de espaço para a prática de yoga na parte de baixo da casa, então eu sigo nas minhas atividades normais na quarentena. As aulas estão acontecendo de forma virtual, dou as aulas ao vivo para os alunos, eles se mantêm nas mesmas turmas, eu consigo vê-los. Como eu trabalho bem com a parte da descrição das posturas, a descrição de todos os exercícios de respiração então eu realmente não estou tendo dificuldade de dar as aulas online. Eu também tenho gravado vídeos, um trabalho totalmente voluntário disponibilizando na rede vários exercícios para auxiliar porque penso que esse é o meu papel, assim como para a prefeitura, para os profissionais da área da Saúde eu também tenho feito esse trabalho. Vejo que a grande maioria das pessoas não tem uma rotina de saúde. Todo mundo tem rotina de várias coisas, então eu acho que agora talvez seja o momento para a grande maioria das pessoas se dar conta de que precisa de uma rotina de saúde. Ou seja, a tua prática de meditação, a tua prática de yoga, não só um exercício que seja para o físico, mas um exercício psico-físico. Eles auxiliam muito nesses momentos. Eu sempre falo para os meus alunos que a prática de yoga é como uma espécie de investimento, nos momentos difíceis da vida você recolhe esse investimento que fez e aplica naquele desafio. Você precisa fazer esse investimento, essa ‘poupança’ todos os dias, porque a gente nunca sabe por quais desafios nós vamos passar. Então agora, por exemplo, vai ficando cada vez mais claro quem realmente vai colocar em prática e fez esse investimento. Mas quem nunca meditou pode começar agora, até porque a gente não tem outra saída. Agora é o momento para a gente começar a criar uma rotina. Tem um monte de gente falando várias coisas, em perspectivas diferentes, mas o melhor lugar é dentro de nós. Para algumas pessoas tomar consciência do que tem dentro de si não é muito bom, mas a gente não vai ter outra saída a partir de agora. Essa crise não tem para onde a gente ir, é ficar consigo. A meditação funciona exatamente com o princípio de voltar para si, a ferramenta é para qualquer pessoa, basta você querer. Estou ensinando através das redes (Instagram e Facebook) diversas técnicas que podem ajudar bastante. Estou muito confiante, acho que a gente tem que procurar se acalmar, e quem está mais centrado agora é quem vai dar suporte para quem não está preparado. Todos nós vamos sofrer a crise do isolamento, o medo, a ansiedade, ninguém está livre de viver esse processo, nem eu, mas a intensidade disso está envolvida com o equilíbrio dentro de si. Quem medita também sente, mas menos do que alguém que não faz nada disso. Quem estiver melhor, vai poder apoiar quem não estiver tão bem assim. Uma dica simples é sentar em algum momento do dia, não precisa ser em postura de lótus, basta estar com a coluna ereta e com os olhos fechados, e ficar presente no processo respiratório. Quando vier uma emoção negativa, olhar pra isso, não negar, mas pensar o oposto, no positivo. Não se demore em pensamentos e emoções negativas, talvez isso seja o mais eficiente e simples nesse momento”.


Feng Shui para Home Office: nos preparando para os novos tempos

Mesa de home office feita com Feng Shui

Em tempos de montar escritório dentro de casa, muitas vezes na sala, no quarto e até mesmo na cozinha, como fica a questão prática desta situação, a harmonia desta ‘mistura’ de ambientes? Para dar dicas sobre o assunto, a reportagem consultou Janine Arnt, especialista em Radiestesia e Consultoria em Feng Shui. Confira a opinião da especialista:

“Estamos num momento bastante delicado para a humanidade, cada um precisando olhar para dentro de si e para o outro com compaixão e zelo...Reavaliar a importância da vida, do que nos é essencial à sobrevivência e prestar reverência à educação e valores que recebemos dos nossos antepassados... "

Quantas vezes você sonhou ou verbalizou que bom mesmo seria poder trabalhar em casa?

Um lugar para desenvolver todas suas potencialidades internas e se auto-aperfeiçoar?

Chegou a hora! Você tem esta oportunidade em suas mãos! Mas e agora? O que fazer?

Trabalhar na mesa da sala ou da cozinha, recolher tudo a cada refeição, ficar ouvindo a televisão e atendendo as crianças ao mesmo tempo em que tenta trabalhar você já deve ter percebido que não funciona!

Acompanhe algumas sugestões:

  • 1 - DISCIPLINA: Definir uma agenda diária para acordar, atender a rotina da casa, dar atenção para a família e ainda ter horário para trabalhar e estudar. Neste horário deixar as redes sociais de lado também será importante para que seu trabalho tenha bom aproveitamento

  • 2 - COMPARTILHAR: Informar sua família sobre o cronograma diário, o horário em que as crianças ficarão com você, com seu marido ou outra pessoa da casa enquanto você trabalha

  • 3 - UM RECANTO: encontrar um local quieto onde você consiga ter uma mesa mesmo pequena para se se concentrar... Se houver um quarto vago na casa seria o ideal mas uma sacada fechada ou um recanto no quarto também podem ser utilizados.
  • 4 - MESA DE TRABALHO: Pode ser um móvel antigo, 2 cavaletes com uma tabua e uma cadeira confortável. Deixe sobre ela somente seu notebook ou material de estudo ou trabalho. Uma estante ou gaveteiro ajudará a organizar os demãos materiais, livros e pastas de apoio. Se possível tenha uma janela com cortina suave para ventilar o local, iluminar sua mesa e lhe permitir ser criativo e ver novas alternativas se descortinando à sua frente ...

  • 5 - ORGANIZAÇÃO: Agora que você já escolheu seu recanto de trabalho defina suas metas e coloque no mural ou na sua agenda diária de serviços à fazer. Você também poderá organizar sua mesa de trabalho ativando as áreas do Baguá sobre o tampo da mesa:
  • 6 - HARMONIA: Depois que sua rotina estiver em andamento você poderá melhorar ainda mais este local... trabalhando ao som de mantras ou música clássica, colocar um aromatizador elétrico com óleo essencial de tangerina ou capim limão e uma pedra Turmalina Negra próximo ao seu computador e um vasinho de calanchoê ou lírio da paz no canto esquerdo superior da mesa.

Para seu equilíbrio pessoal:

  • Um copo de suco de limão pela manhã dá mais disposição
  • Respire profundamente sempre que estiver ansioso ou com medo do futuro
  • Medite e agradeça, diariamente, pela vida olhando em direção ao nascer do sol
  • Faça um escalda pés com chá de camomila antes de dormir e tenha um sono tranquilo
  • Janine Arnt – Radiestesia e Consultoria em Feng Shui – (47) 99286.2600 – Atende online.

Professora também dá dicas

O trabalho remoto é inevitável em tempos de isolamento para prevenção do coronavírus, mas é uma novidade para muita gente. Sair do piloto automático e se adequar ao home office nem sempre é fácil, exige autodisciplina e organização. A professora e coaching, Mileide Leal Sabino, doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento, selecionou algumas dicas práticas para quem precisa adaptar-se ao home office ou mesmo estudar a distância. Segundo ela, se bem planejado, o home office pode ser até mais produtivo para algumas pessoas do que se estivessem cumprindo o expediente na empresa. “Tudo depende do perfil e esse é um momento para experimentar”, diz.

  • confira e coloque em prática as dicas: tenha em mãos o que você precisa, como agenda, telefone, computador, internet com uma boa conexão, caneta, bloco de notas, entre outras coisas. Isso evita que você se disperse procurando esses materiais;
  • defina horários para que você esteja 100% dedicado ao trabalho;
  • faça intervalos –pausas são importantes para relaxar, alimentar-se e mexer o corpo, mas também precisam ter um tempo estipulado; crie um ambiente adequado: se possível, escolha um espaço reservado em sua casa, confortável e com o silêncio que você precisa;
  • utilize a tecnologia a seu favor, há muitas ferramentas para reuniões virtuais de forma gratuita, como os Hangouts do Google;
  • o Zoom que é um software focado em videoconferências;
  • o Skype; o Slack; Join.me;
  • o próprio WhatsApp, entre outras ferramentas, que permitem reuniões virtuais por meio de vídeo, compartilhamento de tela e chat;
  • vista-se para trabalhar, não precisa ser formal, mas evite permanecer de pijama o dia todo;
  • minimize distrações: caso você more com mais alguém, avise que você não poderá ser interrompido, a não ser nos intervalos que você definiu para descansos;
  • monitore e mantenha a produtividade, há algumas ferramentas online e gratuitas que podem ajudar como o Gsuite, o Evernote, o Google Drive, o Trello, entre outros, que ajudam a organizar as tarefas, compartilhar arquivos e gerenciar o trabalho em equipe.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade