Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Jornais liberam acesso para combater notícias falsas contra o Covid-19

Terça, 17/3/2020 8:22.

Publicidade

Ao menos onze veículos associados à Associação Nacional de Jornais (ANJ) liberaram o acesso gratuito para não assinantes a conteúdos sobre o novo coronavírus. A iniciativa visa combater a onda de informações falsas sobre a doença, dando aos leitores fontes confiáveis de notícia. Estado de S. Paulo, O Globo, Folha de S.Paulo, Grupo RBS e O Povo foram alguns dos jornais que liberaram o conteúdo.

Parte da desinformação sobre o coronavírus foi observada em um grupo especializado em fake news do Ministério da Saúde. Em um mês e meio, o grupo analisou mais de 8 mil mensagens sobre a doença que circulam nas redes sociais - e detectou que 85% eram falsas.

"Nos momentos graves, se comprova ainda mais o valor da informação responsável e precisa. Os jornais já ajudaram o Brasil a enfrentar e superar muitas crises, e o farão de novo neste momento", afirma o presidente da ANJ, Marcelo Rech.

Além de liberar o acesso de todo o conteúdo sobre o tema desde a quinta-feira passada, o Estado lançou um boletim diária sobre os principais acontecimentos da crise. Também foi criado um grupo no Facebook em que especialistas e jornalistas vão tirar dúvidas de internautas. Outra ação foi a criação de um pdf com orientações sobre o vírus para ser compartilhado em redes sociais como o WhatsApp.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Jornais liberam acesso para combater notícias falsas contra o Covid-19

Publicidade

Terça, 17/3/2020 8:22.

Ao menos onze veículos associados à Associação Nacional de Jornais (ANJ) liberaram o acesso gratuito para não assinantes a conteúdos sobre o novo coronavírus. A iniciativa visa combater a onda de informações falsas sobre a doença, dando aos leitores fontes confiáveis de notícia. Estado de S. Paulo, O Globo, Folha de S.Paulo, Grupo RBS e O Povo foram alguns dos jornais que liberaram o conteúdo.

Parte da desinformação sobre o coronavírus foi observada em um grupo especializado em fake news do Ministério da Saúde. Em um mês e meio, o grupo analisou mais de 8 mil mensagens sobre a doença que circulam nas redes sociais - e detectou que 85% eram falsas.

"Nos momentos graves, se comprova ainda mais o valor da informação responsável e precisa. Os jornais já ajudaram o Brasil a enfrentar e superar muitas crises, e o farão de novo neste momento", afirma o presidente da ANJ, Marcelo Rech.

Além de liberar o acesso de todo o conteúdo sobre o tema desde a quinta-feira passada, o Estado lançou um boletim diária sobre os principais acontecimentos da crise. Também foi criado um grupo no Facebook em que especialistas e jornalistas vão tirar dúvidas de internautas. Outra ação foi a criação de um pdf com orientações sobre o vírus para ser compartilhado em redes sociais como o WhatsApp.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade