Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Balneário Camboriú não concretizou promessas de máscaras e testes em massa para a população

Anúncios foram midiáticos

Quarta, 17/6/2020 8:47.
Divulgação
Equipes da prefeitura doaram máscaras em algumas regiões da cidade.

Publicidade

Dois meses depois de prometer doar à população 300.000 máscaras para proteção contra a covid-19, a prefeitura de Balneário Camboriú sequer conseguiu iniciar a produção. A estimativa é que menos de 50.000 unidades, confeccionadas por voluntários, tenham sido efetivamente distribuídas.

A administração municipal também não cumpriu a promessa, anunciada com estardalhaço na imprensa nacional, no final de março, de testar toda a população contra a covid-19.

AS MÁSCARAS

Em 11 de abril o prefeito Fabrício Oliveira e sua secretária do Desenvolvimento e Inclusão Social, Christina Barichello, anunciaram que “a partir de segunda-feira (13 de abril), máscaras de tecido serão confeccionadas por costureiras da cidade e entregues a todos os moradores de Balneário Camboriú”.

O prefeito reforçou que “já foi comprovado que o uso das máscaras diminui o contágio do coronavírus” e comemorou que em três semanas, portanto no começo de maio, 300.000 máscaras estariam prontas.

Na continuidade, no dia 29 de abril, Fabrício assinou decreto tornando obrigatório o uso de máscaras no município.

Nenhuma dessas máscaras foi confeccionada, o chamamento público de costureiras foi prorrogado para 7 de agosto e o material para confeccioná-las só foi adquirido uma semana atrás.

Coroando os desencontros, nesta terça-feira (16) seriam abertas propostas para aquisição de 200.000 máscaras de algodão, uma licitação aparentemente feita às pressas, com valor estimado em R$ 219.500,00.

Além disso, a prefeitura comprou na última segunda-feira 2.500 metros de tecido (cambraia) e 250 metros de elástico para produção de máscaras.

As cerca de 50.000 máscaras distribuídas até o momento foram doações de entidades ou confeccionadas por voluntários.

Ontem, a assessoria do prefeito anunciou que uma empresa de óculos de São Paulo, a GO Eyewear, doou 20.000 máscaras modelo KN95, para serem distribuídas a profissionais de saúde.

TESTES

A promessa de testar toda a população, anunciada no jornal Folha de São Paulo, não passou de mídia irresponsável, o município nunca comprou os testes, nem mesmo depois que as dificuldades de suprimento decorrentes da pandemia arrefeceram.

Apenas uma pequena parcela da população está sendo testada,através de um convênio com a Amfri.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação
Equipes da prefeitura doaram máscaras em algumas regiões da cidade.
Equipes da prefeitura doaram máscaras em algumas regiões da cidade.

Balneário Camboriú não concretizou promessas de máscaras e testes em massa para a população

Anúncios foram midiáticos

Publicidade

Quarta, 17/6/2020 8:47.

Dois meses depois de prometer doar à população 300.000 máscaras para proteção contra a covid-19, a prefeitura de Balneário Camboriú sequer conseguiu iniciar a produção. A estimativa é que menos de 50.000 unidades, confeccionadas por voluntários, tenham sido efetivamente distribuídas.

A administração municipal também não cumpriu a promessa, anunciada com estardalhaço na imprensa nacional, no final de março, de testar toda a população contra a covid-19.

AS MÁSCARAS

Em 11 de abril o prefeito Fabrício Oliveira e sua secretária do Desenvolvimento e Inclusão Social, Christina Barichello, anunciaram que “a partir de segunda-feira (13 de abril), máscaras de tecido serão confeccionadas por costureiras da cidade e entregues a todos os moradores de Balneário Camboriú”.

O prefeito reforçou que “já foi comprovado que o uso das máscaras diminui o contágio do coronavírus” e comemorou que em três semanas, portanto no começo de maio, 300.000 máscaras estariam prontas.

Na continuidade, no dia 29 de abril, Fabrício assinou decreto tornando obrigatório o uso de máscaras no município.

Nenhuma dessas máscaras foi confeccionada, o chamamento público de costureiras foi prorrogado para 7 de agosto e o material para confeccioná-las só foi adquirido uma semana atrás.

Coroando os desencontros, nesta terça-feira (16) seriam abertas propostas para aquisição de 200.000 máscaras de algodão, uma licitação aparentemente feita às pressas, com valor estimado em R$ 219.500,00.

Além disso, a prefeitura comprou na última segunda-feira 2.500 metros de tecido (cambraia) e 250 metros de elástico para produção de máscaras.

As cerca de 50.000 máscaras distribuídas até o momento foram doações de entidades ou confeccionadas por voluntários.

Ontem, a assessoria do prefeito anunciou que uma empresa de óculos de São Paulo, a GO Eyewear, doou 20.000 máscaras modelo KN95, para serem distribuídas a profissionais de saúde.

TESTES

A promessa de testar toda a população, anunciada no jornal Folha de São Paulo, não passou de mídia irresponsável, o município nunca comprou os testes, nem mesmo depois que as dificuldades de suprimento decorrentes da pandemia arrefeceram.

Apenas uma pequena parcela da população está sendo testada,através de um convênio com a Amfri.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade