Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Abrigo para pessoas que estão de passagem por Balneário Camboriú tem 70 vagas

Terça, 7/4/2020 11:10.
Ivan Rupp
O novo abrigo na Rua Itália

Publicidade

A prefeitura adaptou o Centro de Convivência da Família, na Rua Itália, no bairro das Nações, para abrigar pessoas que estão em trânsito pela cidade e não encontram hotéis para se hospedar e também moradores que por algum motivo não podem estar em suas casas, ou por questões de isolamento na família ou porque tiveram problemas de relacionamento familiar.

O novo abrigo pode atender até pessoas. Mas nesta segunda-feira (6), quando abriu suas portas, já abrigou 27 pessoas.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello disse que o novo abrigo nasceu pela forte demanda de pessoas que não são moradores de rua e que procuravam ajuda no Abrigo Luz da Vida, este sim, para moradores em situação de rua.

“São pessoas que têm trabalho, condições financeiras, mas não tem hotel para ficar. São pessoas de outros estados, que não podem voltar, porque não tem transporte intermunicipal e até de outros países, como é o caso de um canadense que estava esperando a questão de voos, que acabaram não acontecendo e continuam sem operar. Estas pessoas foram pegas de surpresa aqui. Então achamos que seria mais adequado ter um abrigo para estes casos, para estas pessoas que não são moradores de rua, porque são situações diferentes”, colocou.

Quatro abrigos

Além da Casa de Passagem que atende o ano inteiro pessoas em situação de rua, a prefeitura mantém outros três abrigos (na Igreja Luz da Vida, para moradores de rua; um feminino ao lado deste e o novo na Rua Itália). Nos quatro locais atende cerca de 270 pessoas. Deste total, 50 não ficam nos abrigos, mas são pessoas que ficam todos os dias na fila, para se alimentar.

“Eles não tem comida, não tem o aparato, tem gente que mora em quartinho, não tem fogão, não adianta dar cesta básica, porque não tem onde preparar sua alimentação. Então eles vão comer no abrigo e vão embora”, explicou Christina.

Equipe

Segundo a secretária os abrigados são atendidos por uma central médica, formada em sua maioria por voluntários.

“Temos 45 voluntários, alguns funcionários, que se revezam ajudando. Conseguimos fazer uma equipe de saúde com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionista, psicólogos. O abrigo na Rua Itália, é um lugar amplo, fizemos isolamento para homens, para mulheres, além do abrigo, e fizemos ainda um isolamento de 24h, quando a pessoa chega, ela fica nesse local, é avaliada, se não tiver nenhum sintoma passa para o abrigo”, detalhou a secretária, dizendo que quatro pessoas se encontram em isolamento total porque já foram avaliadas e estão aguardando resultado e podem ter contraído o vírus.

Solidariedade

Christina disse que vem chamando atenção a solidariedade das pessoas.

“Tem pessoas ajudando com alimentos prontos, pães, bolos, tem médicos que chegam a dormir no abrigo, essa solidariedade principalmente para as pessoas abrigadas é muito valiosa, porque podem encontrar um conforto maior, se sentem acolhidas. Podia ser um de nós, estar em outro país ou em outro estado e ter esse acolhimento não só material, mas espiritual também, isso não tem preço”, disse.

“Quero agradecer o espírito humanitário desses profissionais que se dedicam a ajudar quem mais necessita. O voluntariado é um dos mais relevantes exemplos de compaixão pelo próximo, de dedicação, e, em momentos como este, prestam um serviço valioso em todos os sentidos para nossa cidade”, destacou o prefeito Fabrício Oliveira.

Cozinha adaptada

Equipe de profissionais voluntários


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Ivan Rupp
O novo abrigo na Rua Itália
O novo abrigo na Rua Itália

Abrigo para pessoas que estão de passagem por Balneário Camboriú tem 70 vagas

Publicidade

Terça, 7/4/2020 11:10.

A prefeitura adaptou o Centro de Convivência da Família, na Rua Itália, no bairro das Nações, para abrigar pessoas que estão em trânsito pela cidade e não encontram hotéis para se hospedar e também moradores que por algum motivo não podem estar em suas casas, ou por questões de isolamento na família ou porque tiveram problemas de relacionamento familiar.

O novo abrigo pode atender até pessoas. Mas nesta segunda-feira (6), quando abriu suas portas, já abrigou 27 pessoas.

A secretária da Inclusão Social, Christina Barichello disse que o novo abrigo nasceu pela forte demanda de pessoas que não são moradores de rua e que procuravam ajuda no Abrigo Luz da Vida, este sim, para moradores em situação de rua.

“São pessoas que têm trabalho, condições financeiras, mas não tem hotel para ficar. São pessoas de outros estados, que não podem voltar, porque não tem transporte intermunicipal e até de outros países, como é o caso de um canadense que estava esperando a questão de voos, que acabaram não acontecendo e continuam sem operar. Estas pessoas foram pegas de surpresa aqui. Então achamos que seria mais adequado ter um abrigo para estes casos, para estas pessoas que não são moradores de rua, porque são situações diferentes”, colocou.

Quatro abrigos

Além da Casa de Passagem que atende o ano inteiro pessoas em situação de rua, a prefeitura mantém outros três abrigos (na Igreja Luz da Vida, para moradores de rua; um feminino ao lado deste e o novo na Rua Itália). Nos quatro locais atende cerca de 270 pessoas. Deste total, 50 não ficam nos abrigos, mas são pessoas que ficam todos os dias na fila, para se alimentar.

“Eles não tem comida, não tem o aparato, tem gente que mora em quartinho, não tem fogão, não adianta dar cesta básica, porque não tem onde preparar sua alimentação. Então eles vão comer no abrigo e vão embora”, explicou Christina.

Equipe

Segundo a secretária os abrigados são atendidos por uma central médica, formada em sua maioria por voluntários.

“Temos 45 voluntários, alguns funcionários, que se revezam ajudando. Conseguimos fazer uma equipe de saúde com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionista, psicólogos. O abrigo na Rua Itália, é um lugar amplo, fizemos isolamento para homens, para mulheres, além do abrigo, e fizemos ainda um isolamento de 24h, quando a pessoa chega, ela fica nesse local, é avaliada, se não tiver nenhum sintoma passa para o abrigo”, detalhou a secretária, dizendo que quatro pessoas se encontram em isolamento total porque já foram avaliadas e estão aguardando resultado e podem ter contraído o vírus.

Solidariedade

Christina disse que vem chamando atenção a solidariedade das pessoas.

“Tem pessoas ajudando com alimentos prontos, pães, bolos, tem médicos que chegam a dormir no abrigo, essa solidariedade principalmente para as pessoas abrigadas é muito valiosa, porque podem encontrar um conforto maior, se sentem acolhidas. Podia ser um de nós, estar em outro país ou em outro estado e ter esse acolhimento não só material, mas espiritual também, isso não tem preço”, disse.

“Quero agradecer o espírito humanitário desses profissionais que se dedicam a ajudar quem mais necessita. O voluntariado é um dos mais relevantes exemplos de compaixão pelo próximo, de dedicação, e, em momentos como este, prestam um serviço valioso em todos os sentidos para nossa cidade”, destacou o prefeito Fabrício Oliveira.

Cozinha adaptada

Equipe de profissionais voluntários


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade