Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Balneário Camboriú tem 57 casos autóctones de dengue e números não param de crescer

Responsáveis são a Covid 19 e a população que não está ajudando a controlar o mosquito

Terça, 28/4/2020 10:11.
Divulgação/PMBC

Publicidade

Balneário Camboriú estabeleceu um recorde no histórico da dengue esta semana: tem 562 focos confirmados e 57 casos autóctones, ou seja, contraídos dentro do município. Além disso, o município tem 20 casos indeterminados e um caso importado de Chikungunya. Com estes números, Balneário Camboriú está entre os municípios catarinenses com alto índice de infestação pelo mosquito Aedes Aegypti.

O cenário não é diferente de outros municípios brasileiros, vários estados vizinhos de Santa Catarina, como Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais já estão com epidemia de dengue. Um dos responsáveis por esta situação é a pandemia do coronavírus. O outro é a população que está muito preocupada com a Covid 19 e relaxou nos cuidados com o mosquito vetor da dengue.

A responsável pelo programa de combate à dengue da Secretaria da Saúde, Eliane Guedes Casatti disse que nunca Balneário Camboriú atingiu esse número.

“Com a pandemia do coronavírus, alguns locais fecharam, não tinha mais ninguém controlando. Por exemplo: obras na construção civil, escolas, comércios fecharam e quando não há pessoas fazendo a manutenção do local, a tendência quando chove é formar criadouros. Se já houver algum criadouro é continuar procriando, em ralos, vasos, vasos sanitários, então devido a pandemia houve o aumento. Infelizmente está havendo um descuido da população em relação aos cuidados em casa. O que se percebe é que as pessoas estão muito preocupadas com o coronavírus, mas não estão preocupadas com a dengue, com a limpeza da piscina, da caixa d´água, da nivelação da calha e assim os criadouros foram aumentando, infelizmente”, disse Eliane.

Ela citou o caso de Joinville que já ultrapassou os 900 casos da doença e ano passado teve apenas quatro casos o ano todo. “Situação semelhante ocorre em todo o país”, disse.

Números locais

Janeiro 2020 - registrado o primeiro caso autóctone em Balneário Camboriú;

  • 5 de março - 7 casos;
  • 30 de março - 16 casos;
  • 3 de abril - 23 casos;
  • 11 de abril - 35 casos;
  • 27 de abril - 57 casos autóctones no município

Visitas

Atualmente 57 agentes de campo estão nas ruas fazendo visitas domiciliares, mas muitas pessoas não permitem que entrem nas residências. Até final de março foram 23.500 visitas. Além disso, o programa mantém a aplicação do inseticida (fumacê), um veneno usado somente nas regiões que possuem casos confirmados da doença.

“Nós continuamos fazendo a nossa parte. Além das visitas, acompanhamos diariamente as denúncias que chegam na Ouvidoria Municipal. Mas para diminuir ou estabilizar esses números crescentes dependemos da população deixar nossos agentes entrar para orientar e eliminar possíveis focos”, afirmou.

Esta semana os agentes passarão no Centro, Iate Clube, Municípios e Vila Real. Eles estão equipados com os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) para a segurança de todos e vistoriam a parte externa da residência.

Dicas

  • Coloque areia nos pratos ou deixem sem pratos;
  • Piscinas devem ser mantidas limpas o ano todo;
  • Telar os ralos;
  • Recolher e acondicionar o lixo em local coberto;
  • Cisternas e reservatórios devem ser mantidos fechados.

Informações: Secretaria de Saúde (47) 3261-6200


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação/PMBC

Balneário Camboriú tem 57 casos autóctones de dengue e números não param de crescer

Responsáveis são a Covid 19 e a população que não está ajudando a controlar o mosquito

Publicidade

Terça, 28/4/2020 10:11.

Balneário Camboriú estabeleceu um recorde no histórico da dengue esta semana: tem 562 focos confirmados e 57 casos autóctones, ou seja, contraídos dentro do município. Além disso, o município tem 20 casos indeterminados e um caso importado de Chikungunya. Com estes números, Balneário Camboriú está entre os municípios catarinenses com alto índice de infestação pelo mosquito Aedes Aegypti.

O cenário não é diferente de outros municípios brasileiros, vários estados vizinhos de Santa Catarina, como Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais já estão com epidemia de dengue. Um dos responsáveis por esta situação é a pandemia do coronavírus. O outro é a população que está muito preocupada com a Covid 19 e relaxou nos cuidados com o mosquito vetor da dengue.

A responsável pelo programa de combate à dengue da Secretaria da Saúde, Eliane Guedes Casatti disse que nunca Balneário Camboriú atingiu esse número.

“Com a pandemia do coronavírus, alguns locais fecharam, não tinha mais ninguém controlando. Por exemplo: obras na construção civil, escolas, comércios fecharam e quando não há pessoas fazendo a manutenção do local, a tendência quando chove é formar criadouros. Se já houver algum criadouro é continuar procriando, em ralos, vasos, vasos sanitários, então devido a pandemia houve o aumento. Infelizmente está havendo um descuido da população em relação aos cuidados em casa. O que se percebe é que as pessoas estão muito preocupadas com o coronavírus, mas não estão preocupadas com a dengue, com a limpeza da piscina, da caixa d´água, da nivelação da calha e assim os criadouros foram aumentando, infelizmente”, disse Eliane.

Ela citou o caso de Joinville que já ultrapassou os 900 casos da doença e ano passado teve apenas quatro casos o ano todo. “Situação semelhante ocorre em todo o país”, disse.

Números locais

Janeiro 2020 - registrado o primeiro caso autóctone em Balneário Camboriú;

  • 5 de março - 7 casos;
  • 30 de março - 16 casos;
  • 3 de abril - 23 casos;
  • 11 de abril - 35 casos;
  • 27 de abril - 57 casos autóctones no município

Visitas

Atualmente 57 agentes de campo estão nas ruas fazendo visitas domiciliares, mas muitas pessoas não permitem que entrem nas residências. Até final de março foram 23.500 visitas. Além disso, o programa mantém a aplicação do inseticida (fumacê), um veneno usado somente nas regiões que possuem casos confirmados da doença.

“Nós continuamos fazendo a nossa parte. Além das visitas, acompanhamos diariamente as denúncias que chegam na Ouvidoria Municipal. Mas para diminuir ou estabilizar esses números crescentes dependemos da população deixar nossos agentes entrar para orientar e eliminar possíveis focos”, afirmou.

Esta semana os agentes passarão no Centro, Iate Clube, Municípios e Vila Real. Eles estão equipados com os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) para a segurança de todos e vistoriam a parte externa da residência.

Dicas

  • Coloque areia nos pratos ou deixem sem pratos;
  • Piscinas devem ser mantidas limpas o ano todo;
  • Telar os ralos;
  • Recolher e acondicionar o lixo em local coberto;
  • Cisternas e reservatórios devem ser mantidos fechados.

Informações: Secretaria de Saúde (47) 3261-6200


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade