Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Dia Nacional da Doação de Órgãos: Ruth Cardoso fez 13 captações neste ano

Sexta, 27/9/2019 10:52.
Divulgação

Publicidade

O Dia Nacional da Doação de Órgãos é lembrado hoje (27). A despedida de uma pessoa querida é sempre um momento difícil, porém, é possível ajudar outras famílias com a doação de órgãos. Ao todo, oito vidas podem ser salvas.

De acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, o país tem hoje mais de 30 mil pessoas na fila de espera para transplante. Em Santa Catarina esse número chega a quase 700 pessoas.

O Hospital Municipal Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú e o Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí, fazem captações e estão incentivando as pessoas a serem doadoras.

Viajando para uma nova vida

No Hospital Marieta, de janeiro até julho deste ano foram feitas nove doações de múltiplos órgãos e 35 de córneas no hospital. No Ruth Cardoso, segundo o diretor de enfermagem Ricardo Brodersen foram feitas 13 captações. Ricardo explica que o hospital de Balneário possui uma equipe multiprofissional na área de transplante, que realiza a busca por potenciais doadores e acompanha os familiares para que na abordagem não haja dúvidas quanto ao processo de diagnóstico de morte encefálica e ofertam a possibilidade da doação de órgãos, que por lei é direito de escolha da família.

“Nesse ano 13 famílias optaram por realizar a doação após a morte constatada de seu familiar e assim puderam manter a vida de outras pessoas que estavam na fila de transplante”, conta.

Transporte de rim e fígado encaminhados para Porto Alegre, em maio. Captados pelo Ruth Cardoso.

Segundo Ricardo, em Santa Catarina há hoje 691 pessoas aguardando a doação de algum órgão, e no Brasil o número chega a 35.519 pessoas na esperança de um órgão compatível. “Aqui o transporte é realizado pela equipe da central de transplante do Estado, mas já contamos com a ajuda das polícias Militar, Rodoviária Federal e SAMU (transporte aéreo). Até mesmo o governador do Estado já esteve envolvido prestando apoio nessa causa. Nessa hora todos se unem em uma ajuda que se torna essencial, pois nem sempre a vida salva é de Santa Catarina, às vezes o receptor compatível mora em outro lugar do Brasil, por isso se torna até mesmo um engajamento nacional”, diz.

Ação na praça

O diretor acrescenta que atualmente há muitos tabus quando o assunto é a doação de órgãos, e por isso o Hospital Ruth Cardoso vai realizar uma ação neste sábado (28), na Praça Higino Pio, que fica no Centro de Balneário.

“Uma doação pode salvar até oito vidas, é imprescindível que haja uma conversa com os familiares mais próximos sobre isso. Como é um assunto que ainda gera muitas dúvidas, a nossa equipe da Comissão Hospitalar de Transplante (CHT) estará prestando informações específicas pertinentes sobre esse assunto ao público, neste sábado das 9h às 13h”, completa.

A secretária de Saúde, Andressa Hadad, ressalta o valor da doação de órgãos:

“É de grande importância salvar vidas mesmo em um momento difícil, de despedida de um ente querido. Mas temos que lembrar que dependemos um do outro, e muitos pacientes aguardam ansiosos pela chegada do órgão necessário para seguir suas vidas adiante”, declara a secretária.

No praça, dúvidas serão tiradas sobre o assunto e haverá entrega de materiais informativos sobre a doação de órgãos e seus processos pela equipe da CHT.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Dia Nacional da Doação de Órgãos: Ruth Cardoso fez 13 captações neste ano

Publicidade

Sexta, 27/9/2019 10:52.

O Dia Nacional da Doação de Órgãos é lembrado hoje (27). A despedida de uma pessoa querida é sempre um momento difícil, porém, é possível ajudar outras famílias com a doação de órgãos. Ao todo, oito vidas podem ser salvas.

De acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, o país tem hoje mais de 30 mil pessoas na fila de espera para transplante. Em Santa Catarina esse número chega a quase 700 pessoas.

O Hospital Municipal Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú e o Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí, fazem captações e estão incentivando as pessoas a serem doadoras.

Viajando para uma nova vida

No Hospital Marieta, de janeiro até julho deste ano foram feitas nove doações de múltiplos órgãos e 35 de córneas no hospital. No Ruth Cardoso, segundo o diretor de enfermagem Ricardo Brodersen foram feitas 13 captações. Ricardo explica que o hospital de Balneário possui uma equipe multiprofissional na área de transplante, que realiza a busca por potenciais doadores e acompanha os familiares para que na abordagem não haja dúvidas quanto ao processo de diagnóstico de morte encefálica e ofertam a possibilidade da doação de órgãos, que por lei é direito de escolha da família.

“Nesse ano 13 famílias optaram por realizar a doação após a morte constatada de seu familiar e assim puderam manter a vida de outras pessoas que estavam na fila de transplante”, conta.

Transporte de rim e fígado encaminhados para Porto Alegre, em maio. Captados pelo Ruth Cardoso.

Segundo Ricardo, em Santa Catarina há hoje 691 pessoas aguardando a doação de algum órgão, e no Brasil o número chega a 35.519 pessoas na esperança de um órgão compatível. “Aqui o transporte é realizado pela equipe da central de transplante do Estado, mas já contamos com a ajuda das polícias Militar, Rodoviária Federal e SAMU (transporte aéreo). Até mesmo o governador do Estado já esteve envolvido prestando apoio nessa causa. Nessa hora todos se unem em uma ajuda que se torna essencial, pois nem sempre a vida salva é de Santa Catarina, às vezes o receptor compatível mora em outro lugar do Brasil, por isso se torna até mesmo um engajamento nacional”, diz.

Ação na praça

O diretor acrescenta que atualmente há muitos tabus quando o assunto é a doação de órgãos, e por isso o Hospital Ruth Cardoso vai realizar uma ação neste sábado (28), na Praça Higino Pio, que fica no Centro de Balneário.

“Uma doação pode salvar até oito vidas, é imprescindível que haja uma conversa com os familiares mais próximos sobre isso. Como é um assunto que ainda gera muitas dúvidas, a nossa equipe da Comissão Hospitalar de Transplante (CHT) estará prestando informações específicas pertinentes sobre esse assunto ao público, neste sábado das 9h às 13h”, completa.

A secretária de Saúde, Andressa Hadad, ressalta o valor da doação de órgãos:

“É de grande importância salvar vidas mesmo em um momento difícil, de despedida de um ente querido. Mas temos que lembrar que dependemos um do outro, e muitos pacientes aguardam ansiosos pela chegada do órgão necessário para seguir suas vidas adiante”, declara a secretária.

No praça, dúvidas serão tiradas sobre o assunto e haverá entrega de materiais informativos sobre a doação de órgãos e seus processos pela equipe da CHT.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade