Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Prefeitura afasta médicos do Hospital Municipal Ruth Cardoso

Abertas investigações sobre duas mortes suspeitas envolvendo aquele hospital

Quinta, 7/3/2019 11:53.
Google.
Este local é palco de barbaridades médicas.

Publicidade

A prefeitura de Balneário Camboriú divulgou nota nesta quinta-feira informando o afastamento cautelar da empresa que presta serviços médicos no pronto socorro e todos os profissionais envolvidos no atendimento aos pacientes Ivonei dos Santos e Larissa Santanna Cavanha Martins.

Ivonei, 24 anos, teria morrido de infecção generalizada e seu caso mostra fortes indícios de negligência e erro médico.

Larissa, 31 anos, faleceu na terça-feira, no Hospital Marieta, supostamente após erro de diagnóstico no Ruth Cardoso.

As primeiras tentativas do governo municipal foram no sentido de alegar que estava tudo certo, mas o rompimento com a empresa e o afastamento de pessoal mostra o contrário.

Uma fonte disse ao Página 3 que o Hospital Ruth Cardoso, além das dificuldades naturais nesse tipo de trabalho, é palco da disputa de dois vereadores e de interesses empresariais, sem que a administração da saúde consiga colocar ordem na área.

Nota Hospital Municipal Ruth Cardoso

A Secretaria de Saúde informa que já realizou o afastamento de forma cautelar da empresa que presta serviço ao Pronto Atendimento do Hospital Municipal Ruth Cardoso. Da mesma forma, foram afastados todos os profissionais do hospital que estiveram envolvidos nos atendimentos de Ivonei dos Santos, 24 anos e Larissa Santanna Cavanha Martins, 31 anos.

O Comitê de Ética do Hospital Ruth Cardoso se reuniu na última terça-feira (05), para apurar o caso de Ivonei e afastou os profissionais envolvidos no atendimento. E, se reunirá novamente hoje, (07), para avaliar o prontuário de Larissa Santanna Cavanha Martins.

Após essa análise, a Secretaria de Saúde do município solicitará ao Ministério Público, ao Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e ao Conselho Regional de Medicina (CRM) a apuração dos fatos e condutas e a eventual responsabilização dos profissionais e empresa na forma da lei.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Google.
Este local é palco de barbaridades médicas.
Este local é palco de barbaridades médicas.

Prefeitura afasta médicos do Hospital Municipal Ruth Cardoso

Abertas investigações sobre duas mortes suspeitas envolvendo aquele hospital

Publicidade

Quinta, 7/3/2019 11:53.

A prefeitura de Balneário Camboriú divulgou nota nesta quinta-feira informando o afastamento cautelar da empresa que presta serviços médicos no pronto socorro e todos os profissionais envolvidos no atendimento aos pacientes Ivonei dos Santos e Larissa Santanna Cavanha Martins.

Ivonei, 24 anos, teria morrido de infecção generalizada e seu caso mostra fortes indícios de negligência e erro médico.

Larissa, 31 anos, faleceu na terça-feira, no Hospital Marieta, supostamente após erro de diagnóstico no Ruth Cardoso.

As primeiras tentativas do governo municipal foram no sentido de alegar que estava tudo certo, mas o rompimento com a empresa e o afastamento de pessoal mostra o contrário.

Uma fonte disse ao Página 3 que o Hospital Ruth Cardoso, além das dificuldades naturais nesse tipo de trabalho, é palco da disputa de dois vereadores e de interesses empresariais, sem que a administração da saúde consiga colocar ordem na área.

Nota Hospital Municipal Ruth Cardoso

A Secretaria de Saúde informa que já realizou o afastamento de forma cautelar da empresa que presta serviço ao Pronto Atendimento do Hospital Municipal Ruth Cardoso. Da mesma forma, foram afastados todos os profissionais do hospital que estiveram envolvidos nos atendimentos de Ivonei dos Santos, 24 anos e Larissa Santanna Cavanha Martins, 31 anos.

O Comitê de Ética do Hospital Ruth Cardoso se reuniu na última terça-feira (05), para apurar o caso de Ivonei e afastou os profissionais envolvidos no atendimento. E, se reunirá novamente hoje, (07), para avaliar o prontuário de Larissa Santanna Cavanha Martins.

Após essa análise, a Secretaria de Saúde do município solicitará ao Ministério Público, ao Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e ao Conselho Regional de Medicina (CRM) a apuração dos fatos e condutas e a eventual responsabilização dos profissionais e empresa na forma da lei.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade