Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Secretaria de Saúde está sem três médicos: leitora denuncia adiamentos de consultas

Saída é publicar um chamamento de clínicos gerais para suprir demanda, diz a secretária

Quinta, 5/12/2019 22:19.
Renata Rutes
Secretária Andressa está buscando uma solução para suprir a demanda

Publicidade

Uma leitora procurou o Página 3 nesta semana para relatar que desde outubro tenta consultar com um médico clínico geral no Posto de Saúde Central, da Rua 1.500, mas até hoje não conseguiu e nesse tempo descobriu que a secretaria de Saúde está sem cinco médicos – três foram confirmados pela secretária da pasta, Andressa Hadad.

A denunciante, que não quis se identificar, conta que a consulta foi marcada para quase um mês depois, 26 de novembro. Quando ela chegou no posto, 10 minutos antes, foi informada que a consulta foi cancelada porque o médico ‘não poderia atender os pacientes’ naquele dia. Foi reagendada para esta terça-feira (3) e novamente cancelada, desta vez porque o médico passou mal (foram dois médicos diferentes). Ela foi avisada de manhã e a consulta seria na parte da tarde, e por isso questionou se não conseguiriam outro médico para atendê-la, mas a consulta teria que ser reagendada para a próxima semana.

“Eu disse para cancelar, porque não acredito mais. Eles não tem um pingo de consideração com a gente. Os telefones de lá não funcionam, fiquei mais de 10 minutos para conseguir. Quando consegui pedi o nome do médico, porque trocaram. Reclamei na Ouvidoria, mas foi só perda de tempo. A Saúde de Balneário está abandonada. Quando questionei o porque não conseguem outros médicos, a moça que me atendeu disse que estão com cinco médicos a menos”, diz.

No Núcleo de Atenção à Mulher (NAM), onde a leitora também é paciente, ela consulta com o médico Ivan Savóia, a quem elogia e conta que recebeu todo apoio em um problema que teve no útero. Porém, ela tinha uma última consulta em 19 de novembro, quando levou exames de mamografia e ultrassonografia – que precisou fazer particular, porque ainda não tem 40 anos e nem casos na família e o SUS não cobre nesses casos.

“Eu queria fazer por prevenção e apareceram dois nódulos na mama esquerda. O médico que fez já indica biópsia, nessa consulta do dia 19 eu levei os exames para o Dr.Ivan e pedi que ele me encaminhasse para biópsia. Ele disse que não podia, mas que pediria que me encaminhassem para mastologista. Me deram uma guia, com um link para acompanhar o número na fila, mas não consegui ver nada. Liguei no NAM para entender porque minha consulta não foi agendada e relataram que a mastologista que tem no NAM o contrato venceu dia 3 e por isso não estavam mais fazendo agendamentos, que só serão feitos quando o novo profissional for contratado. E aí eu descobri que só existe um mastologista para atender toda a demanda de Balneário. É um descaso, pagamos imposto e pagamos muito para não ter o mínimo de retorno. Me sinto impotente. Tem algo de muito errado nessa prefeitura, que não está funcionando”, relata.

A denunciante relatou que soube de outro caso através de um amigo, que é diabético e notou que estava emagrecendo muito. Ele estaria tomando um remédio receitado por uma médica da prefeitura, que quando leu a bula descobriu que a medicação era para emagrecimento.

“E a esposa dele está há ano aguardando uma consulta. A mãe de uma amiga minha está indo fazer exames em Curitiba, pelo SUS, porque lá funciona. Aqui não funciona. O marido dessa minha amiga teve um câncer há uns três anos, descobriu através de uma consulta no Posto da 1.500, e não quis esperar, já marcou direto no particular porque era muito grave. Ele ficou um ano fazendo tratamento, um ano depois, o SUS ligou para ele para marcar uma consulta para dar continuidade no tratamento dele. A saúde de Balneário está largada, está um absurdo”, completa.

O que diz a secretária

A secretária Andressa Hadad confirma que estão sem três médicos: um da Estratégia da Saúde da Família, um médico antigo da cidade que entrou de licença e outro que não quis renovar o credenciamento.

“O da Estratégia será substituído pelo médico que entrará através do processo seletivo que aconteceu no último dia 23. Fizemos 14 chamadas, mas nenhum médico teve interesse. O outro que saiu foi o Dr.Volnei, um médico antigo e conhecido na cidade, que entrou de licença saúde e não temos como substitui-lo nessas circunstâncias e o terceiro é o Dr. Domênico, que tem 82 anos, está cansado e não quis renovar o credenciamento conosco, e não tínhamos como credenciar outro médico porque o prazo já havia encerrado”, explica.

Sobre o caso da leitora do Página 3 ela indicou que a moradora de Balneário procure a secretaria de Saúde para resolver a situação.
A secretária procurou o Ministério Público para informar a situação e salienta que há médicos fazendo horas extras para conseguirem repor essas faltas.

“Estão faltando esses três, mas estamos suprindo com hora extra. O MP não é órgão consultivo, mas fui informá-los por formalidade. Não podemos esperar a homologação do processo seletivo, porque esses médicos só iniciariam em janeiro. Por isso vamos fazer um chamamento por comprovação de documento do médico e por pontuação (cada especialização que o médico possui aumenta a pontuação)”, diz.

A prefeitura irá chamar médicos para a vaga de clínico geral, para que supram a necessidade até os médicos do processo seletivo iniciarem.

“Por lei não podemos sobressair o processo seletivo. Vamos publicar o chamamento para clínicos gerais em breve e resolveremos essa situação”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Renata Rutes
Secretária Andressa está buscando uma solução para suprir a demanda
Secretária Andressa está buscando uma solução para suprir a demanda

Secretaria de Saúde está sem três médicos: leitora denuncia adiamentos de consultas

Saída é publicar um chamamento de clínicos gerais para suprir demanda, diz a secretária

Publicidade

Quinta, 5/12/2019 22:19.

Uma leitora procurou o Página 3 nesta semana para relatar que desde outubro tenta consultar com um médico clínico geral no Posto de Saúde Central, da Rua 1.500, mas até hoje não conseguiu e nesse tempo descobriu que a secretaria de Saúde está sem cinco médicos – três foram confirmados pela secretária da pasta, Andressa Hadad.

A denunciante, que não quis se identificar, conta que a consulta foi marcada para quase um mês depois, 26 de novembro. Quando ela chegou no posto, 10 minutos antes, foi informada que a consulta foi cancelada porque o médico ‘não poderia atender os pacientes’ naquele dia. Foi reagendada para esta terça-feira (3) e novamente cancelada, desta vez porque o médico passou mal (foram dois médicos diferentes). Ela foi avisada de manhã e a consulta seria na parte da tarde, e por isso questionou se não conseguiriam outro médico para atendê-la, mas a consulta teria que ser reagendada para a próxima semana.

“Eu disse para cancelar, porque não acredito mais. Eles não tem um pingo de consideração com a gente. Os telefones de lá não funcionam, fiquei mais de 10 minutos para conseguir. Quando consegui pedi o nome do médico, porque trocaram. Reclamei na Ouvidoria, mas foi só perda de tempo. A Saúde de Balneário está abandonada. Quando questionei o porque não conseguem outros médicos, a moça que me atendeu disse que estão com cinco médicos a menos”, diz.

No Núcleo de Atenção à Mulher (NAM), onde a leitora também é paciente, ela consulta com o médico Ivan Savóia, a quem elogia e conta que recebeu todo apoio em um problema que teve no útero. Porém, ela tinha uma última consulta em 19 de novembro, quando levou exames de mamografia e ultrassonografia – que precisou fazer particular, porque ainda não tem 40 anos e nem casos na família e o SUS não cobre nesses casos.

“Eu queria fazer por prevenção e apareceram dois nódulos na mama esquerda. O médico que fez já indica biópsia, nessa consulta do dia 19 eu levei os exames para o Dr.Ivan e pedi que ele me encaminhasse para biópsia. Ele disse que não podia, mas que pediria que me encaminhassem para mastologista. Me deram uma guia, com um link para acompanhar o número na fila, mas não consegui ver nada. Liguei no NAM para entender porque minha consulta não foi agendada e relataram que a mastologista que tem no NAM o contrato venceu dia 3 e por isso não estavam mais fazendo agendamentos, que só serão feitos quando o novo profissional for contratado. E aí eu descobri que só existe um mastologista para atender toda a demanda de Balneário. É um descaso, pagamos imposto e pagamos muito para não ter o mínimo de retorno. Me sinto impotente. Tem algo de muito errado nessa prefeitura, que não está funcionando”, relata.

A denunciante relatou que soube de outro caso através de um amigo, que é diabético e notou que estava emagrecendo muito. Ele estaria tomando um remédio receitado por uma médica da prefeitura, que quando leu a bula descobriu que a medicação era para emagrecimento.

“E a esposa dele está há ano aguardando uma consulta. A mãe de uma amiga minha está indo fazer exames em Curitiba, pelo SUS, porque lá funciona. Aqui não funciona. O marido dessa minha amiga teve um câncer há uns três anos, descobriu através de uma consulta no Posto da 1.500, e não quis esperar, já marcou direto no particular porque era muito grave. Ele ficou um ano fazendo tratamento, um ano depois, o SUS ligou para ele para marcar uma consulta para dar continuidade no tratamento dele. A saúde de Balneário está largada, está um absurdo”, completa.

O que diz a secretária

A secretária Andressa Hadad confirma que estão sem três médicos: um da Estratégia da Saúde da Família, um médico antigo da cidade que entrou de licença e outro que não quis renovar o credenciamento.

“O da Estratégia será substituído pelo médico que entrará através do processo seletivo que aconteceu no último dia 23. Fizemos 14 chamadas, mas nenhum médico teve interesse. O outro que saiu foi o Dr.Volnei, um médico antigo e conhecido na cidade, que entrou de licença saúde e não temos como substitui-lo nessas circunstâncias e o terceiro é o Dr. Domênico, que tem 82 anos, está cansado e não quis renovar o credenciamento conosco, e não tínhamos como credenciar outro médico porque o prazo já havia encerrado”, explica.

Sobre o caso da leitora do Página 3 ela indicou que a moradora de Balneário procure a secretaria de Saúde para resolver a situação.
A secretária procurou o Ministério Público para informar a situação e salienta que há médicos fazendo horas extras para conseguirem repor essas faltas.

“Estão faltando esses três, mas estamos suprindo com hora extra. O MP não é órgão consultivo, mas fui informá-los por formalidade. Não podemos esperar a homologação do processo seletivo, porque esses médicos só iniciariam em janeiro. Por isso vamos fazer um chamamento por comprovação de documento do médico e por pontuação (cada especialização que o médico possui aumenta a pontuação)”, diz.

A prefeitura irá chamar médicos para a vaga de clínico geral, para que supram a necessidade até os médicos do processo seletivo iniciarem.

“Por lei não podemos sobressair o processo seletivo. Vamos publicar o chamamento para clínicos gerais em breve e resolveremos essa situação”, completa.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade