Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Meio Ambiente distribuiu mais de quatro mil produtos esse ano e quer aumentar produção

Chás são os que têm maior número de procura

Quarta, 10/4/2019 15:42.
Fotos Divulgação/Semam
Prontos para distribuição

Publicidade

Desde o começo deste ano até a primeira semana de abril, foram distribuídos 4,5 mil produtos produzidos no Laboratório de Fitoterapia Edgar Eipper, que funciona junto ao Parque Ecológico, no Bairro dos Municípios. Ali são produzidos oito tipos de fitoterápicos: chás, tinturas, xarope, pomadas, sabonetes, cremes, gel e loção repelente.

A diretora do Departamento de Fitoterapia, da secretaria do Meio Ambiente (Semam), Nayara Hirsch, disse que há planos para aumentar a produção e realizar estudos científicos com instituições de ensino relacionados à eficácia dos fitoterápicos no tratamento de patologias.

O Laboratório de Fitoterapia tem mais de 20 anos, mas ficou um tempo fechado e há dois anos voltou a funcionar. Todos os produtos são produzidos no laboratório, sob responsabilidade de uma farmacêutica. A matéria prima utilizada é cultivada no horto de plantas medicinais, que funciona no Parque. Lá tem cerca de 70 tipos de ervas medicinais em produção.

O horto, a farmácia fitoterápica e o laboratório integram o projeto Plantas que Curam, que tem mais de 20 anos e virou referência nacional.

“O laboratório é o único no Estado com infraestrutura e equipamentos necessários para produzir a variedade de itens que atualmente oferece”, disse a diretora.

Os produtos mais procurados são:

*Chás calmantes como capim limão, cidrão e sálvia-limão;
*Chás digestivos como hortelã;
*Chá de guaco e anti-inflamatório como a erva baleeira;
*Pomada de erva baleeira;
*Xarope de guaco (no inverno devido a ação expectorante e anti gripal):
*Tinturas digestivas, como espinheira santa, alcachofra e marcela;
*Tinturas calmantes, como a melissa;
*Tinturas diuréticas, como a cavalinha;
*Sabonete de calêndulas (ação cicatrizante e anti-inflamatória).

Equipe

Entre o horto e o laboratório trabalham 13 pessoas, incumbidas das tarefas de plantio, colheita, pesagem, até as etapas de produção e transformação dos materiais no laboratório a disponibilização à comunidade.

Gratuito

Todos os produtos podem ser retirados gratuitamente, nas segundas, quartas e sextas-feiras, das 13h30 às 18h. É preciso fazer um cadastro no Departamento de Fitoterapia e apresentar o CPF. Cada pessoa pode retirar até cinco produtos.

“Nosso trabalho é oferecer qualidade de vida. Aqui não produzimos apenas plantas, mas sim esperança e conforto à popualação que acredita em tratamentos alternativos”, comentou Nayara.

Informações - secretaria do Meio Ambiente (47) 3363-7145


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Fotos Divulgação/Semam
Prontos para distribuição
Prontos para distribuição

Meio Ambiente distribuiu mais de quatro mil produtos esse ano e quer aumentar produção

Chás são os que têm maior número de procura

Publicidade

Quarta, 10/4/2019 15:42.

Desde o começo deste ano até a primeira semana de abril, foram distribuídos 4,5 mil produtos produzidos no Laboratório de Fitoterapia Edgar Eipper, que funciona junto ao Parque Ecológico, no Bairro dos Municípios. Ali são produzidos oito tipos de fitoterápicos: chás, tinturas, xarope, pomadas, sabonetes, cremes, gel e loção repelente.

A diretora do Departamento de Fitoterapia, da secretaria do Meio Ambiente (Semam), Nayara Hirsch, disse que há planos para aumentar a produção e realizar estudos científicos com instituições de ensino relacionados à eficácia dos fitoterápicos no tratamento de patologias.

O Laboratório de Fitoterapia tem mais de 20 anos, mas ficou um tempo fechado e há dois anos voltou a funcionar. Todos os produtos são produzidos no laboratório, sob responsabilidade de uma farmacêutica. A matéria prima utilizada é cultivada no horto de plantas medicinais, que funciona no Parque. Lá tem cerca de 70 tipos de ervas medicinais em produção.

O horto, a farmácia fitoterápica e o laboratório integram o projeto Plantas que Curam, que tem mais de 20 anos e virou referência nacional.

“O laboratório é o único no Estado com infraestrutura e equipamentos necessários para produzir a variedade de itens que atualmente oferece”, disse a diretora.

Os produtos mais procurados são:

*Chás calmantes como capim limão, cidrão e sálvia-limão;
*Chás digestivos como hortelã;
*Chá de guaco e anti-inflamatório como a erva baleeira;
*Pomada de erva baleeira;
*Xarope de guaco (no inverno devido a ação expectorante e anti gripal):
*Tinturas digestivas, como espinheira santa, alcachofra e marcela;
*Tinturas calmantes, como a melissa;
*Tinturas diuréticas, como a cavalinha;
*Sabonete de calêndulas (ação cicatrizante e anti-inflamatória).

Equipe

Entre o horto e o laboratório trabalham 13 pessoas, incumbidas das tarefas de plantio, colheita, pesagem, até as etapas de produção e transformação dos materiais no laboratório a disponibilização à comunidade.

Gratuito

Todos os produtos podem ser retirados gratuitamente, nas segundas, quartas e sextas-feiras, das 13h30 às 18h. É preciso fazer um cadastro no Departamento de Fitoterapia e apresentar o CPF. Cada pessoa pode retirar até cinco produtos.

“Nosso trabalho é oferecer qualidade de vida. Aqui não produzimos apenas plantas, mas sim esperança e conforto à popualação que acredita em tratamentos alternativos”, comentou Nayara.

Informações - secretaria do Meio Ambiente (47) 3363-7145


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade