Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Saúde começa a chamar médicos, mas nem todas as vagas são preenchidas
Reprodução

Quarta, 19/9/2018 16:53.

A rede municipal de saúde de Balneário Camboriú continua enfrentando desafios para fechar o quadro de médicos, principalmente de especialistas e uma nova chamada pública deve ser realizada em breve.

A secretária de saúde Andressa Hadad explicou que 15 médicos generalistas responderam à chamada pública realizada na semana passada, para ocupar as vagas que estão sendo abertas na Estratégia da Saúde da Família.

O início é imediato. Os médicos vão reforçar equipes para ampliar o programa Mais Saúde Pra Você, que estende horários de atendimento nas unidades básicas. Duas unidades já estão funcionando até 22h: da Vila Real e Bairro das Nações.

Não houve interessados nas especialidades de neuropediatra, mastologista, dermatologista e endocrinologista pediátrica.

Agora a prefeitura deverá fazer um novo chamamento para tentar cobrir essas vagas.

Pediatria do Ruth

Em paralelo, a Secretaria de Saúde trabalha buscando solucionar a deficiência de pediatria no Hospital Ruth Cardoso.

A empresa que prestava o serviço se desestruturou e desistiu do contrato. Uma nova tomada de preços foi realizada e as duas primeiras declinaram porque não conseguiram preencher o número exigido de pediatras.

A terceira também tem dificuldades, mas está em tratativas com um grupo de pediatras que atua na cidade de Biguaçu para englobar na escala.

A empresa pediu dois dias para apresentar uma resposta, por isso, a Saúde segue aguardando.

Andressa contou que a Saúde foi aconselhada a, por enquanto, firmar contratos diretos com clínicos que tivessem expertise em pediatria, por orientação do Ministério Público e para não deixar o pronto socorro desfalcado.

“Partimos do preceito que o médico tem em sua formação os conhecimentos necessários para prestar o atendimento”, comentou Andressa.

A carência no setor de pediatria é uma situação generalizada. Andressa explica que como a especialidade não tem um leque de atuação muito grande, é uma das últimas opções dos médicos. Os que optam por ela, preferem atuar em consultórios e clínicas e escolhem não trabalhar em pronto socorros.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Saúde começa a chamar médicos, mas nem todas as vagas são preenchidas

Reprodução

Publicidade

Quarta, 19/9/2018 16:53.

A rede municipal de saúde de Balneário Camboriú continua enfrentando desafios para fechar o quadro de médicos, principalmente de especialistas e uma nova chamada pública deve ser realizada em breve.

A secretária de saúde Andressa Hadad explicou que 15 médicos generalistas responderam à chamada pública realizada na semana passada, para ocupar as vagas que estão sendo abertas na Estratégia da Saúde da Família.

O início é imediato. Os médicos vão reforçar equipes para ampliar o programa Mais Saúde Pra Você, que estende horários de atendimento nas unidades básicas. Duas unidades já estão funcionando até 22h: da Vila Real e Bairro das Nações.

Não houve interessados nas especialidades de neuropediatra, mastologista, dermatologista e endocrinologista pediátrica.

Agora a prefeitura deverá fazer um novo chamamento para tentar cobrir essas vagas.

Pediatria do Ruth

Em paralelo, a Secretaria de Saúde trabalha buscando solucionar a deficiência de pediatria no Hospital Ruth Cardoso.

A empresa que prestava o serviço se desestruturou e desistiu do contrato. Uma nova tomada de preços foi realizada e as duas primeiras declinaram porque não conseguiram preencher o número exigido de pediatras.

A terceira também tem dificuldades, mas está em tratativas com um grupo de pediatras que atua na cidade de Biguaçu para englobar na escala.

A empresa pediu dois dias para apresentar uma resposta, por isso, a Saúde segue aguardando.

Andressa contou que a Saúde foi aconselhada a, por enquanto, firmar contratos diretos com clínicos que tivessem expertise em pediatria, por orientação do Ministério Público e para não deixar o pronto socorro desfalcado.

“Partimos do preceito que o médico tem em sua formação os conhecimentos necessários para prestar o atendimento”, comentou Andressa.

A carência no setor de pediatria é uma situação generalizada. Andressa explica que como a especialidade não tem um leque de atuação muito grande, é uma das últimas opções dos médicos. Os que optam por ela, preferem atuar em consultórios e clínicas e escolhem não trabalhar em pronto socorros.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade