Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Casos de suspeita de febre amarela chegam a Goiás e Mato Grosso do Sul

Quinta, 26/1/2017 17:11.

ANGELA BOLDRINI
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde afirmou nesta quinta-feira (26) que foram notificados casos de suspeita de febre amarela em Goiás e Mato Grosso do Sul, dois Estados ainda sem episódios confirmados da doença.

São os primeiros casos de possível infecção nos territórios dos Estados a serem investigados. O aviso sobre o paciente que teria sido contaminado no Mato Grosso do Sul partiu da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina.

O MS havia registrado a morte de macacos com suspeita da doença no município de Aparecida do Taboado, próximo à divisa com São Paulo e Minas Gerais. Os exames clínicos nos animais, porém, ainda não foram concluídos.

Já segundo a Secretaria da Saúde de Goiás, o episódio registrado nesta quinta surgiu no município de Piranha, a 310 km de Goiânia. O paciente seria um andarilho de Minas Gerais que apresentou sintomas da febre amarela, mas ainda não há confirmação da enfermidade.

O boletim do Ministério da Saúde desta quinta afirma que foram notificados 550 casos suspeitos de febre amarela, com 72 confirmações e 40 mortes.

VACINAS

A secretaria de saúde do Mato Grosso do Sul afirmou que o Estado deve receber 50 mil doses extras de vacina de febre amarela do total de 11,5 milhões anunciados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (25).

De acordo com o Estado, do total prometido pelo governo federal já foram entregues 25 mil vacinas para se somarem ao estoque estadual de 60 mil -das quais 20 mil já foram distribuídas aos municípios.

A secretaria de Goiás disse não ter informações sobre reforços para a vacinação, mas afirmou que recebe mensalmente 100 mil doses regulares do ministério e ter 93% da população imunizada contra a doença. 

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Abastecimento continua ameaçado economize água


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Variedades

Escolha por voto popular contou com participação de sete mil pessoas


Rapidinhas


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Casos de suspeita de febre amarela chegam a Goiás e Mato Grosso do Sul

Quinta, 26/1/2017 17:11.

ANGELA BOLDRINI
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde afirmou nesta quinta-feira (26) que foram notificados casos de suspeita de febre amarela em Goiás e Mato Grosso do Sul, dois Estados ainda sem episódios confirmados da doença.

São os primeiros casos de possível infecção nos territórios dos Estados a serem investigados. O aviso sobre o paciente que teria sido contaminado no Mato Grosso do Sul partiu da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina.

O MS havia registrado a morte de macacos com suspeita da doença no município de Aparecida do Taboado, próximo à divisa com São Paulo e Minas Gerais. Os exames clínicos nos animais, porém, ainda não foram concluídos.

Já segundo a Secretaria da Saúde de Goiás, o episódio registrado nesta quinta surgiu no município de Piranha, a 310 km de Goiânia. O paciente seria um andarilho de Minas Gerais que apresentou sintomas da febre amarela, mas ainda não há confirmação da enfermidade.

O boletim do Ministério da Saúde desta quinta afirma que foram notificados 550 casos suspeitos de febre amarela, com 72 confirmações e 40 mortes.

VACINAS

A secretaria de saúde do Mato Grosso do Sul afirmou que o Estado deve receber 50 mil doses extras de vacina de febre amarela do total de 11,5 milhões anunciados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (25).

De acordo com o Estado, do total prometido pelo governo federal já foram entregues 25 mil vacinas para se somarem ao estoque estadual de 60 mil -das quais 20 mil já foram distribuídas aos municípios.

A secretaria de Goiás disse não ter informações sobre reforços para a vacinação, mas afirmou que recebe mensalmente 100 mil doses regulares do ministério e ter 93% da população imunizada contra a doença. 

 

Publicidade

Publicidade