Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Sem oferta de comida, pombos e outros somem da praia

Quarta, 25/1/2017 8:41.

Na próxima semana o Centro de Controle de Pragas Urbanas (CCPU) inicia uma atividade de orientação para turistas e moradores na beira da praia, para informar como todos podem (e devem) ajudar na prevenção contra roedores, pombos e outros animais. Nestes dias de praia cheia, os animais ficam sem espaço, mas assim que a praia esvazia, eles voltam porque a oferta de comida é grande.

A vigilância na beira da praia é constante, mas na temporada, com o movimento mais intenso, ela é reforçada. Nos últimos dias, a orientação foi feita junto aos donos de quiosques, de churros e de milho. “Eles sabem o que precisam fazer, mas com tanto movimento, não dão vencimento do lixo que fica por ali”, comentou a diretora. Ela reforça que eles sozinhos não podem amenizar o problema, a população precisa ajudar. Uma das maneiras de suprimir é não ofertar água, alimento e abrigo. “Os famosos três 'a', que é o que estes animais procuram”.

Na paralela, o CCPU segue instalando raticidas em mais de 300 pontos na extensão da praia e no combate ao mosquito, aplica o Larvicida Biológico que elimina larvas. “Ele precisa ser colocado onde tem água, então aplicamos em córregos e bueiros”. Além disso, explicou Geosí, uma maneira de combater mosquitos é manter limpos os terrenos baldios. “A prefeitura investiu nessa prevenção e temos menos mosquito esse ano”, afirmou.

Mais informações ou denúncias: 0800 644-3388 ou no CCPU (47) 3366 - 4593.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Sem oferta de comida, pombos e outros somem da praia

Quarta, 25/1/2017 8:41.

Na próxima semana o Centro de Controle de Pragas Urbanas (CCPU) inicia uma atividade de orientação para turistas e moradores na beira da praia, para informar como todos podem (e devem) ajudar na prevenção contra roedores, pombos e outros animais. Nestes dias de praia cheia, os animais ficam sem espaço, mas assim que a praia esvazia, eles voltam porque a oferta de comida é grande.

A vigilância na beira da praia é constante, mas na temporada, com o movimento mais intenso, ela é reforçada. Nos últimos dias, a orientação foi feita junto aos donos de quiosques, de churros e de milho. “Eles sabem o que precisam fazer, mas com tanto movimento, não dão vencimento do lixo que fica por ali”, comentou a diretora. Ela reforça que eles sozinhos não podem amenizar o problema, a população precisa ajudar. Uma das maneiras de suprimir é não ofertar água, alimento e abrigo. “Os famosos três 'a', que é o que estes animais procuram”.

Na paralela, o CCPU segue instalando raticidas em mais de 300 pontos na extensão da praia e no combate ao mosquito, aplica o Larvicida Biológico que elimina larvas. “Ele precisa ser colocado onde tem água, então aplicamos em córregos e bueiros”. Além disso, explicou Geosí, uma maneira de combater mosquitos é manter limpos os terrenos baldios. “A prefeitura investiu nessa prevenção e temos menos mosquito esse ano”, afirmou.

Mais informações ou denúncias: 0800 644-3388 ou no CCPU (47) 3366 - 4593.

Publicidade

Publicidade