Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quase metade da população do sul não se preocupa em ter câncer de pulmão

Quarta, 28/9/2016 8:14.

Pesquisa inédita divulgada na última semana sobre o conhecimento da população brasileira a respeito do câncer de pulmão mostrou que 44% dos moradores da região sul não se preocupam com a doença.

O dado chama atenção, porque é nesta região que se verifica a maior incidência deste tipo de câncer entre os homens e é a terceira causa de câncer entre as mulheres, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Somente 32% da região se considera bem informada sobre o câncer de pulmão, que mata mais do que os cânceres colorretal, de mama e de próstata juntos. Perguntados se estão tomando alguma providência para reduzir os riscos de ter a doença, 53% disse que sim. No entanto, das 304 pessoas ouvidas no sul, cerca de 14% afirmaram que nada as faria parar de fumar.

A pesquisa encomendada pela biofarmacêutica Bristol-Myers Squibb para o Instituto Datafolha, ouviu 2.044 pessoas em 130 municipios em março deste ano, com o objetivo de medir a percepção dos brasileiros sobre a doença e promover futuras campanhas de maior esclarecimento.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Quase metade da população do sul não se preocupa em ter câncer de pulmão

Quarta, 28/9/2016 8:14.

Pesquisa inédita divulgada na última semana sobre o conhecimento da população brasileira a respeito do câncer de pulmão mostrou que 44% dos moradores da região sul não se preocupam com a doença.

O dado chama atenção, porque é nesta região que se verifica a maior incidência deste tipo de câncer entre os homens e é a terceira causa de câncer entre as mulheres, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Somente 32% da região se considera bem informada sobre o câncer de pulmão, que mata mais do que os cânceres colorretal, de mama e de próstata juntos. Perguntados se estão tomando alguma providência para reduzir os riscos de ter a doença, 53% disse que sim. No entanto, das 304 pessoas ouvidas no sul, cerca de 14% afirmaram que nada as faria parar de fumar.

A pesquisa encomendada pela biofarmacêutica Bristol-Myers Squibb para o Instituto Datafolha, ouviu 2.044 pessoas em 130 municipios em março deste ano, com o objetivo de medir a percepção dos brasileiros sobre a doença e promover futuras campanhas de maior esclarecimento.

 

Publicidade

Publicidade