Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Santa Catarina é destaque nacional em doação de órgãos

Terça, 4/10/2016 8:09.

No Brasil a cada milhão de habitantes, 14 são doadores de órgãos. Santa Catarina está bem acima da média nacional, em agosto atingiu 35 doadores por milhão de população (pmp) e está na liderança do ranking de doadores efetivos no país e bem perto da Espanha que tem 37 pmp, a melhor taxa do mundo. O Paraná é o segundo no país com 26 pmp seguido do Rio Grande do Sul com 25 doadores por milhão de habitantes.

O médico intensivista e coordenador adjunto da SC Transplantes Rafael Lisboa de Souza disse que essa posição que Santa Catarina alcançou se deve a um processo de educação continuada dos profissionais que a secretaria da Saúde e a SC Transplantes estão fazendo há mais de 10 anos. “Não há transplante sem doação. É preciso seguir quatro passos essenciais: a identificação; o diagnóstico de morte encefálica; a manutenção das funções orgânicas para evitar uma parada cardíaca e a entrevista familiar para doação”, detalhou o médico, lembrando que pode-se perder o doador em cada uma dessas etapas.

Há 10 anos havia 50% de recusa familiar. Hoje Santa Catarina baixou para 35% esse fator.

Só neste ano

De janeiro a agosto, Santa Catarina fez 895 transplantes. Os mais procurados foram córnea (441), rins (160), fígado (94), tecido ósseo (38), coração (6).

A captação de tecidos e órgãos pode ser feita em 47 hospitais catarinenses, entre eles o Marieta, de Itajaí (10 captações de múltiplos órgãos esse ano e 41 de córneas) e o Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú (4 captações esse ano), mas transplantes somente em hospitais de Chapecó, Blumenau, Joinville, Florianópolis e Governador Celso Ramos. O Marieta faz transplante de córneas e a Clínica dos Olhos, de Balneário Camboriú também.

Durante esta semana de sensibilização para doação de órgãos e tecidos, o hospital Marieta registrou mais uma captação (fígado, rins e córneas) que beneficiará cinco pessoas.

Fila

No país mais de 33 mil pessoas estão na fila de transplantes. Em Santa Catarina são 500. Destes 62 esperando córneas (normalmente a espera não passa de duas semanas); 36 aguardam um fígado novo, mais de 300 precisam de rins entre outros.

“Datas como o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos servem para chamar atenção da população sobre a importância da doação, que isso deve ser discutido entre as famílias e também para agradecer as famílias doadoras”, disse o coordenador adjunto da SC Transplantes.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Santa Catarina é destaque nacional em doação de órgãos

Terça, 4/10/2016 8:09.

No Brasil a cada milhão de habitantes, 14 são doadores de órgãos. Santa Catarina está bem acima da média nacional, em agosto atingiu 35 doadores por milhão de população (pmp) e está na liderança do ranking de doadores efetivos no país e bem perto da Espanha que tem 37 pmp, a melhor taxa do mundo. O Paraná é o segundo no país com 26 pmp seguido do Rio Grande do Sul com 25 doadores por milhão de habitantes.

O médico intensivista e coordenador adjunto da SC Transplantes Rafael Lisboa de Souza disse que essa posição que Santa Catarina alcançou se deve a um processo de educação continuada dos profissionais que a secretaria da Saúde e a SC Transplantes estão fazendo há mais de 10 anos. “Não há transplante sem doação. É preciso seguir quatro passos essenciais: a identificação; o diagnóstico de morte encefálica; a manutenção das funções orgânicas para evitar uma parada cardíaca e a entrevista familiar para doação”, detalhou o médico, lembrando que pode-se perder o doador em cada uma dessas etapas.

Há 10 anos havia 50% de recusa familiar. Hoje Santa Catarina baixou para 35% esse fator.

Só neste ano

De janeiro a agosto, Santa Catarina fez 895 transplantes. Os mais procurados foram córnea (441), rins (160), fígado (94), tecido ósseo (38), coração (6).

A captação de tecidos e órgãos pode ser feita em 47 hospitais catarinenses, entre eles o Marieta, de Itajaí (10 captações de múltiplos órgãos esse ano e 41 de córneas) e o Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú (4 captações esse ano), mas transplantes somente em hospitais de Chapecó, Blumenau, Joinville, Florianópolis e Governador Celso Ramos. O Marieta faz transplante de córneas e a Clínica dos Olhos, de Balneário Camboriú também.

Durante esta semana de sensibilização para doação de órgãos e tecidos, o hospital Marieta registrou mais uma captação (fígado, rins e córneas) que beneficiará cinco pessoas.

Fila

No país mais de 33 mil pessoas estão na fila de transplantes. Em Santa Catarina são 500. Destes 62 esperando córneas (normalmente a espera não passa de duas semanas); 36 aguardam um fígado novo, mais de 300 precisam de rins entre outros.

“Datas como o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos servem para chamar atenção da população sobre a importância da doação, que isso deve ser discutido entre as famílias e também para agradecer as famílias doadoras”, disse o coordenador adjunto da SC Transplantes.

 

Publicidade

Publicidade