Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Aumento de casos de sífilis preocupa

Quarta, 9/11/2016 8:12.

Depois que o Ministério da Saúde divulgou que o país enfrenta uma epidemia de sífilis, o Departamento de Vigilância Epidemiológica (DEVE) de Balneário Camboriú, em parceria com estudantes de Enfermagem da Univali, realizou uma capacitação aos funcionários da rede municipal de saúde sobre a doença.

Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, entre junho de 2010 e 2016, foram notificados quase 230 mil casos novos da doença e a transmissão de gestantes para bebês é, atualmente, o principal problema. Em Balneário Camboriú a situação não é diferente do restante do país.

Em 2015 foram 246 casos de sífilis em adultos e esse ano (até 15/8) são 79. Em gestantes foram sete ano passado e esse ano 11 (até 15/8) e congênitas (quando a mãe passa para o bebê), foram dois casos em 2015 e dois até agosto deste ano.

A diretora do DEVE Laís Emídio explicou que a capacitação foi realizada para acompanhar, notificar, informar, tentar estabilizar, principalmente a congênita. “Acredito que tenha aumento aos casos até o final do ano, porque é uma doença transmissível e pior ainda, transmite de mãe para filho. Todos os estabelecimentos de saúde, públicos, privados, laboratórios, devem notificar, mas muitos não notificam e às vezes até porque o paciente não quer. Fica difícil chegar em números concretos”, disse Laís.

Transmissão

A principal forma de transmissão é o contato sexual e durante a gestação, por via hematogênica;

Ocorrências

Três em cada cinco ocorrências (62,1%) ocorreram no Sudeste;

Idade

A faixa etária mais afetada é a dos 20 ao 39 anos;

Bebês

No ano passado, a cada mil bebês nascidos, 6,5 eram portadores de sífilis. Em 2010, esse número era de 2,4 crianças a cada mil nascimentos;

Sintomas

Febre, mal-estar, perda de apetite e peso, verrugas genitais, úlceras indolores, erupção nos pés e nas mãos, entre outros.

Tratamento

O tratamento é realizado com Penicilina, após prescrição médica. 

Testagem 

Testes rápidos para detecção de Sífilis são realizados em gestantes e parceiros nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de cada bairro, ou ofertados para a população no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA). A unidade está localizada na Rua 2.350, nº 560, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Balneário Camboriú passa a ser a cidade brasileira com mais bandeiras azuis


Política

Estratégia é oferecer cargos nos Estados aos deputados avulsos


Justiça

Ele considera ilegal a lei municipal que permitiu o empreendimento 


Cidade

O acordo põe fim a anos de insegurança e desgaste jurídico


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Aumento de casos de sífilis preocupa

Quarta, 9/11/2016 8:12.

Depois que o Ministério da Saúde divulgou que o país enfrenta uma epidemia de sífilis, o Departamento de Vigilância Epidemiológica (DEVE) de Balneário Camboriú, em parceria com estudantes de Enfermagem da Univali, realizou uma capacitação aos funcionários da rede municipal de saúde sobre a doença.

Segundo o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, entre junho de 2010 e 2016, foram notificados quase 230 mil casos novos da doença e a transmissão de gestantes para bebês é, atualmente, o principal problema. Em Balneário Camboriú a situação não é diferente do restante do país.

Em 2015 foram 246 casos de sífilis em adultos e esse ano (até 15/8) são 79. Em gestantes foram sete ano passado e esse ano 11 (até 15/8) e congênitas (quando a mãe passa para o bebê), foram dois casos em 2015 e dois até agosto deste ano.

A diretora do DEVE Laís Emídio explicou que a capacitação foi realizada para acompanhar, notificar, informar, tentar estabilizar, principalmente a congênita. “Acredito que tenha aumento aos casos até o final do ano, porque é uma doença transmissível e pior ainda, transmite de mãe para filho. Todos os estabelecimentos de saúde, públicos, privados, laboratórios, devem notificar, mas muitos não notificam e às vezes até porque o paciente não quer. Fica difícil chegar em números concretos”, disse Laís.

Transmissão

A principal forma de transmissão é o contato sexual e durante a gestação, por via hematogênica;

Ocorrências

Três em cada cinco ocorrências (62,1%) ocorreram no Sudeste;

Idade

A faixa etária mais afetada é a dos 20 ao 39 anos;

Bebês

No ano passado, a cada mil bebês nascidos, 6,5 eram portadores de sífilis. Em 2010, esse número era de 2,4 crianças a cada mil nascimentos;

Sintomas

Febre, mal-estar, perda de apetite e peso, verrugas genitais, úlceras indolores, erupção nos pés e nas mãos, entre outros.

Tratamento

O tratamento é realizado com Penicilina, após prescrição médica. 

Testagem 

Testes rápidos para detecção de Sífilis são realizados em gestantes e parceiros nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de cada bairro, ou ofertados para a população no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA). A unidade está localizada na Rua 2.350, nº 560, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Publicidade

Publicidade