Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Onda de virose toma conta da região de Balneário Camboriú

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quarta, 20/1/2016 16:13.

Desde que o verão começou, o litoral tem sentido os reflexos de uma onda de virose. Filas nos hospitais, demora no atendimento e os mesmos sintomas: diarréia, febre e enjoo, associados a quadros diversos como vômitos e tosse.

No Hospital Ruth Cardoso foram atendidos nos primeiros 12 dias do ano 520 casos com esses sintomas contra apenas 119 atendidos no mesmo período do ano passado.

A diretora técnica da parte médica do Ruth, Paula Mateus, conta que uma investigação com o infectologista do hospital apontou que a principal causa dessa onda é o aumento de número de pessoas, o que favorece a transmissão.

Mas não é apenas a rede pública que enfrenta a demanda crescente causada pelas viroses. No Hospital da Unimed o número de atendimentos dobrou em relação à baixa temporada. Antes do verão, a casa de saúde atendia uma média de 200 pessoas por dia. Desde o dia 20 de dezembro são pelo menos 400, o que consequentemente vem gerando demora no atendimento e algumas reclamações.

Conforme a Unimed, dessa média diária, pelo menos 75% dos pacientes são diagnosticados com virose, com algumas diferenças dos anos anteriores, já que agora os pacientes chegam mais debilitados ao pronto socorro.

Prevenção e tratamento

O verão é a estação mais favorável aos casos de virose devido ao calor e à proliferação de vírus e bactérias. Conforme a Vigilância Epidemiológica, a doença está relacionada à transmissão por águas, alimentos e aglomerações humanas, propagando-se principalmente pelo contato pessoa-pessoa. São altamente contagiosas, com duração em geral de um a três dias. Geralmente começam com sintomas fracos como febre, dores abdominais, chegando a vômito e desidratação.

A DIVE orienta a lavar as mãos com sabão algumas vezes ao dia, preferir alimentos limpos e bem cozidos ou lavar muito bem frutas e verduras antes do consumo podem evitar o surgimento deste mal-estar típico de praia. Manter-se hidratado também ajuda. Evite consumo de alimentos de origem duvidosa.

Segundo a Secretaria de Saúde, para tratar a virose, é indicado o consumo de grandes quantidades de líquidos como água, isotônicos ou água de coco e procurar ajuda médica nos casos de piora no quadro.

Pontos impróprios

Evitar entrar na água em pontos impróprios para o banho nas praias também ajuda. Conforme o último relatório da Fatma, dos 14 pontos analisados em Balneário, sete estão impróprios: Lagoa de Taquaras, em frente às ruas 4900, 4400, 3500, 3000, 1001 e no Pontal Norte.

O fator analisado é a presença da bactéria Escherichia Coli, presente em fezes de animais e humanos e que pode causar doenças, além de indicar a possibilidade de outros organismos que podem prejudicar a saúde do banhista.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Geral

É bom ir tirando os cobertores do armário


Policia

Bandido rendeu funcionários, mas se deu mal


Geral

Só na rede pública são mais de 360 estudantes com deficiências


Saúde

Esta é uma das propostas do BC Mais Saúde prá Você


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade