Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Balneário pede ajuda do Exército para combater o Aedes aegypti
Divulgação PM

Segunda, 1/2/2016 11:23.

Membros da Sala de Situação montada para o combate ao Aedes aegypti em Balneário Camboriú oficializaram na sexta-feira (29) o pedido por 40 militares do Exército para atuarem aqui na prevenção contra o mosquito, depois do Carnaval. Atualmente Balneário figura na lista de municípios considerados infestados pelo Aedes.

Segundo o coordenador do Programa Municipal de Combate à Dengue, Márcio Passing, o pedido foi feito para aumentar o número de funcionários para identificar os focos de mosquito na cidade. Hoje a equipe do Programa tem 41 funcionários.

“O Ministério da Defesa disponibilizou 220 mil soldados para os municípios que quiserem esse auxílio, e Balneário aceitou”, diz. O pedido foi encaminhado à Sala Estadual, mas a aprovação é oficializada pela Nacional. O coordenador da Sala de Balneário, Diogo Catafesta, explica que toda ajuda é bem vinda. “Quanto mais profissionais envolvidos, simultaneamente, a ação preventiva será ainda mais eficiente”, diz.

Focos e casos

Só nesse ano foram identificados 121 focos de Aedes aegypti em Balneário: 24 no Bairro das Nações, 58 no Centro, seis na Praia dos Amores, sete no Ariribá, quatro no Municípios, quatro no Pioneiros, quatro na Vila Real e um na Várzea do Ranchinho.

O número de focos deixa a cidade em alerta, porque além da Dengue, o Aedes também transmite a febre Chikungunya e o temido Zika Vírus.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de Balneário, o município não possui no momento nenhum caso positivo de nenhuma das três doenas, há apenas suspeitas. A demora na liberação dos resultados dos exames complica a situação.

“Santa Catarina está com falta de kits de reagentes (é através deles que é possível confirmar se a pessoa foi ou não picada pelo mosquito) e a nossa cidade tem casos para identificar”, comentou o secretário de Saúde, Eroni Foresti.

Ele destaca que o Governo do Estado já pediu que os kits venham com urgência para Santa Catarina, mas que o Governo Federal atrasou.

"Estamos com muitas ideias, que podem acontecer em breve para melhorarmos a situação em Balneário. A população precisa se conscientizar e tomar cuidado com a água parada, pois essas doenças podem até matar. Para evitar isso, é só se prevenir”, afirma.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

Volume de resíduos não é um indicador seguro da quantidade de turistas


Policia

Praça central de Balneário Camboriú é o ponto preferido também de andarilhos e usuários 


Policia

A suspeita é que funcionários dos gabinetes da Alerj devolviam parte dos salários


Política


Publicidade


Publicidade


Cidade

Balneário Camboriú adotará entrega voluntária em ponto da prefeitura  


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Até embarcações de pequeno porte levantam areia, depende das condições 


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Balneário pede ajuda do Exército para combater o Aedes aegypti

Divulgação PM
Segunda, 1/2/2016 11:23.

Membros da Sala de Situação montada para o combate ao Aedes aegypti em Balneário Camboriú oficializaram na sexta-feira (29) o pedido por 40 militares do Exército para atuarem aqui na prevenção contra o mosquito, depois do Carnaval. Atualmente Balneário figura na lista de municípios considerados infestados pelo Aedes.

Segundo o coordenador do Programa Municipal de Combate à Dengue, Márcio Passing, o pedido foi feito para aumentar o número de funcionários para identificar os focos de mosquito na cidade. Hoje a equipe do Programa tem 41 funcionários.

“O Ministério da Defesa disponibilizou 220 mil soldados para os municípios que quiserem esse auxílio, e Balneário aceitou”, diz. O pedido foi encaminhado à Sala Estadual, mas a aprovação é oficializada pela Nacional. O coordenador da Sala de Balneário, Diogo Catafesta, explica que toda ajuda é bem vinda. “Quanto mais profissionais envolvidos, simultaneamente, a ação preventiva será ainda mais eficiente”, diz.

Focos e casos

Só nesse ano foram identificados 121 focos de Aedes aegypti em Balneário: 24 no Bairro das Nações, 58 no Centro, seis na Praia dos Amores, sete no Ariribá, quatro no Municípios, quatro no Pioneiros, quatro na Vila Real e um na Várzea do Ranchinho.

O número de focos deixa a cidade em alerta, porque além da Dengue, o Aedes também transmite a febre Chikungunya e o temido Zika Vírus.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de Balneário, o município não possui no momento nenhum caso positivo de nenhuma das três doenas, há apenas suspeitas. A demora na liberação dos resultados dos exames complica a situação.

“Santa Catarina está com falta de kits de reagentes (é através deles que é possível confirmar se a pessoa foi ou não picada pelo mosquito) e a nossa cidade tem casos para identificar”, comentou o secretário de Saúde, Eroni Foresti.

Ele destaca que o Governo do Estado já pediu que os kits venham com urgência para Santa Catarina, mas que o Governo Federal atrasou.

"Estamos com muitas ideias, que podem acontecer em breve para melhorarmos a situação em Balneário. A população precisa se conscientizar e tomar cuidado com a água parada, pois essas doenças podem até matar. Para evitar isso, é só se prevenir”, afirma.

Publicidade

Publicidade