Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Piriquito quer privatizar o Hospital Ruth Cardoso

Terça, 16/8/2016 18:02.

Faltando pouco mais de um mês para a eleição, o prefeito Edson Renato Dias, encaminha projeto à Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú autorizando a gestão do Hospital Ruth Cardoso para pessoa jurídica de direito privado. O projeto está na pauta de votações da manhã desta quarta-feira (17).

Segundo o texto, o contrato de gestão será firmado pelo prazo de dez anos, com possibilidade de ser prorrogado uma única vez, pelo mesmo período.

O vencedor terá direito a usar os bens móveis e imóveis pertencentes ao patrimônio do chamado "Complexo do Hospital Municipal Ruth Cardoso", além de recursos para cumprir o contrato e “fazer frente às despesas do mesmo, com pessoal, insumos, manutenção predial e equipamentos”.

Veja trecho da justificativa do Executivo:

“A Administração Pública Hospitalar no Brasil, é um fato público e notório, no que tange a sua complexidade de administração e gerenciamento, pois trata-se de um sistema, cuja organização é dotada de uma infra-estrutura de instalações, corpo clínico, equipamentos, instrumentais médico, funcionários, medicamentos, e dezenas de outros aparatos, necessários para restabelecer a saúde de seus clientes, cujas despesas de manutenção de um nosocômio público, como é o caso do Hospital Municipal Ruth Cardoso, que sofre variações diárias crescentes em sua despesa, em razão da frequência de utilização, embora o custo global dos serviços se mantenham estáveis por determinado período, mas em contrapartida, ocorre a variação no custo, pelo aumento da quantidade de pessoas atendidas diariamente, atingindo diretamente as receitas orçamentárias previstas para esta finalidade, cujas estimativas são afetadas pelo número expressivo de beneficiários, atendidos a cada período.

Esta frequência de utilização pelo nosso hospital municipal, é o principal problema enfrentado no cotidiano de nossa administração hospitalar, pois além da elevação da receita para cobrir o aumento de despesas, sobrecarrega frontalmente, os horários de trabalho de toda a equipe de funcionários do hospital, causando a falta de pessoal, por exaustão, estresse, e outros problemas.

Por conseguinte, nossa administração hospitalar, acaba sendo afetada, pelo excesso de atendimentos, prejudicando nosso planejamento, requisito essencial para coordenar e controlar toda a infraestrutura do Hospital Ruth Cardoso, quanto aos recursos humanos e materiais, dificultando inclusive, aos nossos administradores, de praticarem uma política de recursos humanos condizente, com as atividades de nossos profissionais, a contratação e demissão de pessoal, o investimento em treinamento e reciclagem.

Portanto, a problematização da saúde pública, dificilmente será equacionada com conceitos de muito bom e ótimo, mas estamos incessantemente buscando conceitos, que desde a inauguração do Hospital Municipal Ruth Cardoso, dignificam sua existência, e com a vinda de novos parceiros, possamos melhorar cada vez mais, a eficiência dos serviços prestados”.

Leia o projeto na íntegra aqui.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Piriquito quer privatizar o Hospital Ruth Cardoso

Faltando pouco mais de um mês para a eleição, o prefeito Edson Renato Dias, encaminha projeto à Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú autorizando a gestão do Hospital Ruth Cardoso para pessoa jurídica de direito privado. O projeto está na pauta de votações da manhã desta quarta-feira (17).

Segundo o texto, o contrato de gestão será firmado pelo prazo de dez anos, com possibilidade de ser prorrogado uma única vez, pelo mesmo período.

O vencedor terá direito a usar os bens móveis e imóveis pertencentes ao patrimônio do chamado "Complexo do Hospital Municipal Ruth Cardoso", além de recursos para cumprir o contrato e “fazer frente às despesas do mesmo, com pessoal, insumos, manutenção predial e equipamentos”.

Veja trecho da justificativa do Executivo:

“A Administração Pública Hospitalar no Brasil, é um fato público e notório, no que tange a sua complexidade de administração e gerenciamento, pois trata-se de um sistema, cuja organização é dotada de uma infra-estrutura de instalações, corpo clínico, equipamentos, instrumentais médico, funcionários, medicamentos, e dezenas de outros aparatos, necessários para restabelecer a saúde de seus clientes, cujas despesas de manutenção de um nosocômio público, como é o caso do Hospital Municipal Ruth Cardoso, que sofre variações diárias crescentes em sua despesa, em razão da frequência de utilização, embora o custo global dos serviços se mantenham estáveis por determinado período, mas em contrapartida, ocorre a variação no custo, pelo aumento da quantidade de pessoas atendidas diariamente, atingindo diretamente as receitas orçamentárias previstas para esta finalidade, cujas estimativas são afetadas pelo número expressivo de beneficiários, atendidos a cada período.

Esta frequência de utilização pelo nosso hospital municipal, é o principal problema enfrentado no cotidiano de nossa administração hospitalar, pois além da elevação da receita para cobrir o aumento de despesas, sobrecarrega frontalmente, os horários de trabalho de toda a equipe de funcionários do hospital, causando a falta de pessoal, por exaustão, estresse, e outros problemas.

Por conseguinte, nossa administração hospitalar, acaba sendo afetada, pelo excesso de atendimentos, prejudicando nosso planejamento, requisito essencial para coordenar e controlar toda a infraestrutura do Hospital Ruth Cardoso, quanto aos recursos humanos e materiais, dificultando inclusive, aos nossos administradores, de praticarem uma política de recursos humanos condizente, com as atividades de nossos profissionais, a contratação e demissão de pessoal, o investimento em treinamento e reciclagem.

Portanto, a problematização da saúde pública, dificilmente será equacionada com conceitos de muito bom e ótimo, mas estamos incessantemente buscando conceitos, que desde a inauguração do Hospital Municipal Ruth Cardoso, dignificam sua existência, e com a vinda de novos parceiros, possamos melhorar cada vez mais, a eficiência dos serviços prestados”.

Leia o projeto na íntegra aqui.

Publicidade

Publicidade