Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Saúde
Médico explica como se prevenir contra a Gripe A

Infectologista dá dicas de produtos e atitudes que ajudam a ficar longe do H1N1

Quinta, 14/4/2016 10:03.

Publicidade

Depois da Dengue e do Zika Vírus, Santa Catarina está vivendo mais um momento de alerta epidemiológico com a Gripe A. O frio ainda não chegou, mas como o Estado já registrou mortes pela doença toda a prevenção é bem-vinda.

Ricardo Zimmermann, infectologista doHospital Marieta Konder Bornhausen, lembra que a principal forma de contágio é a aérea. Por isso é importante manter ambientes arejados e se possível, evitar locais com aglomeração de pessoas. O contágio pelo contato também é possível, por isso o uso de álcool gel é aconselhado.

Ele explica que todos os grupos de pessoa são passíveis de contágio, mas há alguns considerados de risco pela baixa imunidade, como menores de dois anos e maiores de 60, portadores de doenças crônicas e gestantes.

O médico destaca que nessa época são comuns os quadros de resfriado com tosse, dor de garganta e febre baixa, e que as unidades básicas de saúde podem e devem ser procuradas primeiro, porém é importante ficar atento a alguns sintomas que podem exigir cuidados maiores. “Deve-se levar ao hospital se houver dificuldade para respirar”, destacou. Ele informa que a Gripe se diferencia pelo estado mais severo, em que há muita dificuldade para realizar as atividades rotineiras.

“É essencial utilizar a vacina, que é segura e eficaz. Temos a trivalente, que é contra três tipos de vírus e a tetravalente, contra quatro, mas que só está disponível nas redes particulares. A imunização é essencial para evitar a doença esse ano e evitar que ela fique mais forte no próximo”, finalizou.

A vacinação pelo SUS começa no Estado no dia 25, apenas para grupos prioritários. Nas unidades particulares já estão sendo aplicadas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Médico explica como se prevenir contra a Gripe A

Infectologista dá dicas de produtos e atitudes que ajudam a ficar longe do H1N1

Publicidade

Quinta, 14/4/2016 10:03.

Depois da Dengue e do Zika Vírus, Santa Catarina está vivendo mais um momento de alerta epidemiológico com a Gripe A. O frio ainda não chegou, mas como o Estado já registrou mortes pela doença toda a prevenção é bem-vinda.

Ricardo Zimmermann, infectologista doHospital Marieta Konder Bornhausen, lembra que a principal forma de contágio é a aérea. Por isso é importante manter ambientes arejados e se possível, evitar locais com aglomeração de pessoas. O contágio pelo contato também é possível, por isso o uso de álcool gel é aconselhado.

Ele explica que todos os grupos de pessoa são passíveis de contágio, mas há alguns considerados de risco pela baixa imunidade, como menores de dois anos e maiores de 60, portadores de doenças crônicas e gestantes.

O médico destaca que nessa época são comuns os quadros de resfriado com tosse, dor de garganta e febre baixa, e que as unidades básicas de saúde podem e devem ser procuradas primeiro, porém é importante ficar atento a alguns sintomas que podem exigir cuidados maiores. “Deve-se levar ao hospital se houver dificuldade para respirar”, destacou. Ele informa que a Gripe se diferencia pelo estado mais severo, em que há muita dificuldade para realizar as atividades rotineiras.

“É essencial utilizar a vacina, que é segura e eficaz. Temos a trivalente, que é contra três tipos de vírus e a tetravalente, contra quatro, mas que só está disponível nas redes particulares. A imunização é essencial para evitar a doença esse ano e evitar que ela fique mais forte no próximo”, finalizou.

A vacinação pelo SUS começa no Estado no dia 25, apenas para grupos prioritários. Nas unidades particulares já estão sendo aplicadas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade