Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereadores manifestam preocupação com a pandemia e cobram ações do Estado e do município

Quarta, 24/2/2021 14:58.
Ivan Rupp

Publicidade

A preocupação com o cenário pandêmico de Balneário Camboriú e região levou alguns vereadores à tribuna livre, para cobrar ações do governo estadual e municipal, na sessão legislativa desta terça-feira (23).

Os vereadores Marcelo Achutti e Juliana Pavan cobraram a reabertura do hospital Santa Inês que entendem, seria de extrema importância neste momento complicado.

“Em maio do ano passado, o então secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro e o prefeito Fabrício Oliveira pactuaram pela reabertura, bastava uma reforma de 20 a 30 dias e nada aconteceu”, questionou a vereadora.

Ela protocolou um pedido de informações ao prefeito questionando se esse assunto foi descartado e por quais motivos e no mesmo documento, ela questiona sobre o tempo de espera de cirurgias eletivas e a demanda reprimida no atual cenário.

O vereador Marcelo Achutti disse que o chamamento que direcionou ao poder executivo e à sociedade é porque entende que Balneário Camboriú já chegou ao colapso, com base na informação que obteve de que os leitos de UTI do Ruth Cardoso estão 100% ocupados.

“Eu entendo isso como colapso. Por isso defendo a abertura imediata do Hospital Santa Inês. Hoje (23) faz 211 dias, que o governo do Estado e o prefeito Fabrício tiveram uma reunião para abrir novamente o hospital Santa Inês. Passaram 211 dias e sequer foi capinado na frente do hospital... que dirá as adequações que o secretário de saúde do Estado disse na ocasião que seriam necessárias, para ali abrir novos leitos de UTI”, reforçou o vereador.

Parceria & AMFRI

Achutti defende que os 11 municípios da Amfri se reúnam com o governo do Estado para cobrar a reabertura imediata daquele espaço.

“É o momento de analisar isso, Balneário Camboriú chegou ao colapso, temos que reagir...passou quase um ano e pouco foi feito. Ou pra quê serve a Amfri? Só pra tomar dinheiro do município de Balneário Camboriú, aproximadamente R$ 2 milhões por ano, quantos novos leitos foram abertos? O que o prefeito de Bombinhas, por exemplo, ajudou Balneário Camboriú que atende seus pacientes, ajudou com algum enfermeiro? Ou o que a prefeita Nilza de Itapema ajudou Balneário Camboriú que está com os leitos esgotados...nada. Nosso chamamento foi para que unidos possamos cobrar ações do governo do Estado”, afirmou Achutti.

Essa semana ele aprovou moção de repúdio ao governador Carlos Moisés, pela falta de atenção à saúde pública de Balneário Camboriú e porque o Centro de Eventos, inaugurado há 2 anos e 59 dias continua fechado.

Marieta

O vereador Arlindo Cruz pediu que todos os vereadores participassem de uma reunião no próximo dia 12, na Amfri, para levar a preocupação com a pandemia e pressionar para que seja aberta a nova ala do Hospital Marieta, que fisicamente está concluída, mas sem equipamentos para funcionar.

“A região toda está sofrendo demais com a pandemia, precisamos pressionar para que sejam usados aqueles 100 leitos para pacientes com Covid. Temos que buscar essa parceria para salvar vidas”, disse Arlindo na tribuna.

Educação também

O vereador Nilson Probst voltou a usar a tribuna para pedir o comparecimento da secretária da Educação, para saber como e quais procedimentos aquela pasta está adotando com relação à proteção e segurança dos professores e funcionários no retorno às aulas presenciais.

“A situação aqui e no Estado todo está muito complicada. Os professores estão realmente tendo condições de trabalhar com segurança? Precisamos saber quais as estratégias do combate a Covid adotadas pela secretaria da Educação”, insistiu o vereador na tribuna livre.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Ivan Rupp

Vereadores manifestam preocupação com a pandemia e cobram ações do Estado e do município

Quarta, 24/2/2021 14:58.

A preocupação com o cenário pandêmico de Balneário Camboriú e região levou alguns vereadores à tribuna livre, para cobrar ações do governo estadual e municipal, na sessão legislativa desta terça-feira (23).

Os vereadores Marcelo Achutti e Juliana Pavan cobraram a reabertura do hospital Santa Inês que entendem, seria de extrema importância neste momento complicado.

“Em maio do ano passado, o então secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro e o prefeito Fabrício Oliveira pactuaram pela reabertura, bastava uma reforma de 20 a 30 dias e nada aconteceu”, questionou a vereadora.

Ela protocolou um pedido de informações ao prefeito questionando se esse assunto foi descartado e por quais motivos e no mesmo documento, ela questiona sobre o tempo de espera de cirurgias eletivas e a demanda reprimida no atual cenário.

O vereador Marcelo Achutti disse que o chamamento que direcionou ao poder executivo e à sociedade é porque entende que Balneário Camboriú já chegou ao colapso, com base na informação que obteve de que os leitos de UTI do Ruth Cardoso estão 100% ocupados.

“Eu entendo isso como colapso. Por isso defendo a abertura imediata do Hospital Santa Inês. Hoje (23) faz 211 dias, que o governo do Estado e o prefeito Fabrício tiveram uma reunião para abrir novamente o hospital Santa Inês. Passaram 211 dias e sequer foi capinado na frente do hospital... que dirá as adequações que o secretário de saúde do Estado disse na ocasião que seriam necessárias, para ali abrir novos leitos de UTI”, reforçou o vereador.

Parceria & AMFRI

Achutti defende que os 11 municípios da Amfri se reúnam com o governo do Estado para cobrar a reabertura imediata daquele espaço.

“É o momento de analisar isso, Balneário Camboriú chegou ao colapso, temos que reagir...passou quase um ano e pouco foi feito. Ou pra quê serve a Amfri? Só pra tomar dinheiro do município de Balneário Camboriú, aproximadamente R$ 2 milhões por ano, quantos novos leitos foram abertos? O que o prefeito de Bombinhas, por exemplo, ajudou Balneário Camboriú que atende seus pacientes, ajudou com algum enfermeiro? Ou o que a prefeita Nilza de Itapema ajudou Balneário Camboriú que está com os leitos esgotados...nada. Nosso chamamento foi para que unidos possamos cobrar ações do governo do Estado”, afirmou Achutti.

Essa semana ele aprovou moção de repúdio ao governador Carlos Moisés, pela falta de atenção à saúde pública de Balneário Camboriú e porque o Centro de Eventos, inaugurado há 2 anos e 59 dias continua fechado.

Marieta

O vereador Arlindo Cruz pediu que todos os vereadores participassem de uma reunião no próximo dia 12, na Amfri, para levar a preocupação com a pandemia e pressionar para que seja aberta a nova ala do Hospital Marieta, que fisicamente está concluída, mas sem equipamentos para funcionar.

“A região toda está sofrendo demais com a pandemia, precisamos pressionar para que sejam usados aqueles 100 leitos para pacientes com Covid. Temos que buscar essa parceria para salvar vidas”, disse Arlindo na tribuna.

Educação também

O vereador Nilson Probst voltou a usar a tribuna para pedir o comparecimento da secretária da Educação, para saber como e quais procedimentos aquela pasta está adotando com relação à proteção e segurança dos professores e funcionários no retorno às aulas presenciais.

“A situação aqui e no Estado todo está muito complicada. Os professores estão realmente tendo condições de trabalhar com segurança? Precisamos saber quais as estratégias do combate a Covid adotadas pela secretaria da Educação”, insistiu o vereador na tribuna livre.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade