Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Com apenas 6 deputados na base de apoio Moisés e Daniela serão cassados, mas ninguém sabe quando

Governador catarinense paga o preço de sermau político e mau administrador

Sexta, 18/9/2020 6:30.
Divulgação

Publicidade

Os deputados catarinenses decidiram nesta quinta-feira, 17, que o processo de cassação do governador Carlos Moisés e sua vice Daniela Reinehr deve prosseguir para as próximas etapas cujos prazos não é possível prever.

Dentre os 40 deputados, apenas 6 votaram em defesa do governador o que sinaliza que sua remoção é apenas questão de tempo.

O governador e a vice são processados por reajustarem os salários dos procuradores (advogados) do Estado de maneira que seria ilegal, mas os reais motivos da cassação são políticos.

Moisés se afastou da base ligada ao bolsonarismo e nunca cultivou relações com políticos em geral.

Além disso, é um governador distante e omisso, por exemplo com Balneário Camboriú nunca teve qualquer relacionamento ou ofereceu qualquer apoio e o mesmo ocorre em relação à maioria das cidades do Estado.

Também recaem sobre seu governo suspeitas de corrupção, mas não é disso que trata este processo específico.

Se o governador e sua vice forem cassados até 31dezembro, haverá outra eleição direta, mas se o afastamento for posterior a eleição será indireta, com os 40 deputados votando.

Na próxima etapa, uma comissão de cinco desmbargadores e cinco deputados analisará se o governador e a vice devem ou não ser afastados e, numa segunda etapa se o impeachmente deve ou não ser confirmado.

É provável que o governador recorra ao judiciário, o que torna os prazos imprevisíveis.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Divulgação

Com apenas 6 deputados na base de apoio Moisés e Daniela serão cassados, mas ninguém sabe quando

Governador catarinense paga o preço de sermau político e mau administrador

Publicidade

Sexta, 18/9/2020 6:30.

Os deputados catarinenses decidiram nesta quinta-feira, 17, que o processo de cassação do governador Carlos Moisés e sua vice Daniela Reinehr deve prosseguir para as próximas etapas cujos prazos não é possível prever.

Dentre os 40 deputados, apenas 6 votaram em defesa do governador o que sinaliza que sua remoção é apenas questão de tempo.

O governador e a vice são processados por reajustarem os salários dos procuradores (advogados) do Estado de maneira que seria ilegal, mas os reais motivos da cassação são políticos.

Moisés se afastou da base ligada ao bolsonarismo e nunca cultivou relações com políticos em geral.

Além disso, é um governador distante e omisso, por exemplo com Balneário Camboriú nunca teve qualquer relacionamento ou ofereceu qualquer apoio e o mesmo ocorre em relação à maioria das cidades do Estado.

Também recaem sobre seu governo suspeitas de corrupção, mas não é disso que trata este processo específico.

Se o governador e sua vice forem cassados até 31dezembro, haverá outra eleição direta, mas se o afastamento for posterior a eleição será indireta, com os 40 deputados votando.

Na próxima etapa, uma comissão de cinco desmbargadores e cinco deputados analisará se o governador e a vice devem ou não ser afastados e, numa segunda etapa se o impeachmente deve ou não ser confirmado.

É provável que o governador recorra ao judiciário, o que torna os prazos imprevisíveis.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade