Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereador denuncia vidros quebrados na passarela, prefeitura diz que novos chegam na próxima semana

Quinta, 9/7/2020 17:04.
Reprodução

Publicidade

O vereador Marcelo Achutti denunciou que uma semana depois do ciclone do último dia 30, os vidros quebrados pelo vendaval na Passarela da Barra, não foram arrumados. Nesta terça-feira (7), o vereador esteve na passarela e o local estava isolado com fita, sem tapume de segurança.

Segundo Achutti, o vídeo publicado por ele teve 12 mil visualizações em apenas 24h. Ele disse ao Página 3 na tarde desta quinta-feira (9) que não recebeu nenhuma resposta do governo municipal, mas a diretora de Comunicação da prefeitura, Andrea Artigas, informou que os tapumes foram colocados e os vidros já foram comprados e que devem ser entregues já na semana que vem.

“Fico feliz porque reconheceram, sem tapume a comunidade ficava em risco. Compreendo a demora para colocarem os vidros, mas não admito ficar mais de uma semana para colocar um tapume. É um absurdo. Chegaram a colocar a porta de um banheiro, os vidros que estavam pendurados podiam cair. Eu disse que se a prefeitura não tivesse condições de comprar os tapumes, que custam R$ 30 cada, eu ia comprar, ia resolver esse problema”, salienta.

“Parece uma casa sem dono”

O vereador lembra que várias pessoas atravessam diariamente a passarela, principalmente os moradores do Bairro da Barra, afirmando que considera ‘um absurdo’ a passarela estar ‘no estado em que está’.

“Não é uma obra do ex-prefeito, teve problemas no passado, mas precisam manter ela. Os culpados devem sofrer as consequências, mas a prefeitura tem a responsabilidade de manter ela. Se não tem condições que abram licitação para alguma empresa tocar. Tem que manter a ordem, cuidar do patrimônio público, manter a segurança. A passarela está abandonada, parece uma casa sem dono”, afirma.

A administração da passarela é da Secretaria de Turismo e por ser um ponto turístico, deveria ser ainda mais valorizado, diz o vereador.

“Ela está localizada em uma das áreas mais nobres da cidade, fiz um chamamento ao secretário Valdir Walendowsky, o respeito e admiro o trabalho dele, mas não é assim que a passarela deve ser tratada. Agradeço que depois de bastante cobrança arrumaram recurso e compraram os tapumes. Não estou sendo leviano de cobrar vidro, sei que demora, mas o madeirite é questão de segurança”, pontua.

O que diz o secretário

O secretário de Turismo, Valdir Walendowsky, foi procurado pela reportagem e disse que estava sabendo da situação, e que ‘dentro das questões legais’ já fizeram o que podiam.

“Já compramos os vidros e agora estamos aguardando. Não são vidros normais, são temperados, não tem para comprar na esquina. Não podemos comprar com qualquer vidraçaria também, mas já solicitamos e está sendo encaminhado. Também fechamos os buracos”, explica.

Na opinião de Walendowsky, a passarela da Barra ‘nunca foi tão bem cuidada’ como está agora e que há inclusive um funcionário da secretaria trabalhando nessa parte.

“É só perguntar para o pessoal que atua na limpeza e para os guardas que estão 24h lá. Finalizamos a pintura também, temos que estar sempre repondo o que roubam e destroem, que infelizmente acontece muito”, afirma.

O secretário diz que a passarela é uma rua, e que é essa a visão que tem dela, já que serve para ligar a Barra com o centro e que é um ‘equipamento essencial’ para Balneário e por isso estão sempre cuidando, pontuando que o responsável fica à disposição a qualquer hora, assim como os guardas. “Não existe abandono, muito pelo contrário. Os vidros caíram porque foram mal colocados, se não eles não teriam caído. Muita coisa lá foi mal feita e temos que estar consertando o tempo todo. O volume que se gasta lá em manutenção é muito grande, mas é um bem público e muito utilizado, e seguimos cuidando dela”, finaliza.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Reprodução

Vereador denuncia vidros quebrados na passarela, prefeitura diz que novos chegam na próxima semana

Publicidade

Quinta, 9/7/2020 17:04.

O vereador Marcelo Achutti denunciou que uma semana depois do ciclone do último dia 30, os vidros quebrados pelo vendaval na Passarela da Barra, não foram arrumados. Nesta terça-feira (7), o vereador esteve na passarela e o local estava isolado com fita, sem tapume de segurança.

Segundo Achutti, o vídeo publicado por ele teve 12 mil visualizações em apenas 24h. Ele disse ao Página 3 na tarde desta quinta-feira (9) que não recebeu nenhuma resposta do governo municipal, mas a diretora de Comunicação da prefeitura, Andrea Artigas, informou que os tapumes foram colocados e os vidros já foram comprados e que devem ser entregues já na semana que vem.

“Fico feliz porque reconheceram, sem tapume a comunidade ficava em risco. Compreendo a demora para colocarem os vidros, mas não admito ficar mais de uma semana para colocar um tapume. É um absurdo. Chegaram a colocar a porta de um banheiro, os vidros que estavam pendurados podiam cair. Eu disse que se a prefeitura não tivesse condições de comprar os tapumes, que custam R$ 30 cada, eu ia comprar, ia resolver esse problema”, salienta.

“Parece uma casa sem dono”

O vereador lembra que várias pessoas atravessam diariamente a passarela, principalmente os moradores do Bairro da Barra, afirmando que considera ‘um absurdo’ a passarela estar ‘no estado em que está’.

“Não é uma obra do ex-prefeito, teve problemas no passado, mas precisam manter ela. Os culpados devem sofrer as consequências, mas a prefeitura tem a responsabilidade de manter ela. Se não tem condições que abram licitação para alguma empresa tocar. Tem que manter a ordem, cuidar do patrimônio público, manter a segurança. A passarela está abandonada, parece uma casa sem dono”, afirma.

A administração da passarela é da Secretaria de Turismo e por ser um ponto turístico, deveria ser ainda mais valorizado, diz o vereador.

“Ela está localizada em uma das áreas mais nobres da cidade, fiz um chamamento ao secretário Valdir Walendowsky, o respeito e admiro o trabalho dele, mas não é assim que a passarela deve ser tratada. Agradeço que depois de bastante cobrança arrumaram recurso e compraram os tapumes. Não estou sendo leviano de cobrar vidro, sei que demora, mas o madeirite é questão de segurança”, pontua.

O que diz o secretário

O secretário de Turismo, Valdir Walendowsky, foi procurado pela reportagem e disse que estava sabendo da situação, e que ‘dentro das questões legais’ já fizeram o que podiam.

“Já compramos os vidros e agora estamos aguardando. Não são vidros normais, são temperados, não tem para comprar na esquina. Não podemos comprar com qualquer vidraçaria também, mas já solicitamos e está sendo encaminhado. Também fechamos os buracos”, explica.

Na opinião de Walendowsky, a passarela da Barra ‘nunca foi tão bem cuidada’ como está agora e que há inclusive um funcionário da secretaria trabalhando nessa parte.

“É só perguntar para o pessoal que atua na limpeza e para os guardas que estão 24h lá. Finalizamos a pintura também, temos que estar sempre repondo o que roubam e destroem, que infelizmente acontece muito”, afirma.

O secretário diz que a passarela é uma rua, e que é essa a visão que tem dela, já que serve para ligar a Barra com o centro e que é um ‘equipamento essencial’ para Balneário e por isso estão sempre cuidando, pontuando que o responsável fica à disposição a qualquer hora, assim como os guardas. “Não existe abandono, muito pelo contrário. Os vidros caíram porque foram mal colocados, se não eles não teriam caído. Muita coisa lá foi mal feita e temos que estar consertando o tempo todo. O volume que se gasta lá em manutenção é muito grande, mas é um bem público e muito utilizado, e seguimos cuidando dela”, finaliza.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade