Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Prefeito reforça fechamento do Pronto Socorro do Ruth Cardoso ao Estado

Decisão vai impactar a região, mas Estado ainda não se manifestou

Segunda, 23/9/2019 14:54.
Divulgação/PMBC
Pronto Socorro atenderá somente moradores de Balneário Camboriú

Publicidade

O prefeito Fabrício Oliveira e a secretária da Saúde Andressa Hadad reforçaram a decisão de fechar as portas do Pronto Socorro para atendimento regional no final deste ano, em reunião realizada na secretaria estadual da Saúde, em Florianópolis, na quinta-feira (19).

No dia 12 de agosto todos os órgãos foram comunicados sobre a decisão do prefeito Fabrício Oliveira, anunciada em coletiva à imprensa. A partir do final do ano somente moradores de Balneário Camboriú serão atendidos no Pronto Socorro. Mas nada aconteceu depois desta comunicação e por isso, neste encontro semana passada, o prefeito fez questão de voltar ao assunto, alertando que esta decisão causará um forte impacto em toda a região. 

“Reafirmei a decisão de Balneário Camboriú em relação ao Ruth Cardoso, alertando que a questão da saúde tem que ser olhada de uma maneira regional, porque esta decisão irá impactar toda a região. Continuaremos a atender a maternidade, onde apenas 36% dos nascimentos são de pacientes da cidade”, explicou o prefeito.

A secretária da Saúde, Andressa Hadad confirmou que a maternidade continuará atendendo as gestantes da microregião, mas o Pronto Socorro fechará às portas para quem não mora em Balneário Camboriú. 

Emergência fechou 12 vezes esse ano

“Nesta reunião explicamos novamente esta decisão, enfatizamos novamente a questão dos valores, que o municipio custeia mensalmente R$ 4 milhoes de recursos próprios e por este motivo, solicitamos apoio de custeio ao Estado em várias ocasiões. Colocamos também todos os momentos que estamos vivenciando nos últimos meses. Só neste ano fechamos 12 vezes a sala de emergencias por superlotação de pacientes gravíssimos, com risco de morte,  não tendo onde colocar os pacientes, corredores lotados, chegando a ter 22 pacientes internados no pronto socorro. Por este motivo - mais do que financeiro mas sim operacional - foi tomada essa decisão do fechamento da porta, porque nós não comportamos o número de atendimentos de pessoas que estamos tendo, uma média de sete mil atendimento na porta e nove mil atendimentos no hospital como um todo, relembrndo que 70% das nossas cirurgias são de urgência/emergência devido à gravidade dos pacientes. Também referimos a  necessidade de investimento na nossa atenção básica”, enfatizou Andressa.

Prefeito pediu ajuda ao Estado mais uma vez

O prefeito e a secretária Andressa em Floripa

Andressa disse que toda situação foi novamente colocada, todos ouviram, todos falaram das suas dificuldades e agora todos aguardam uma resposta do governo do Estado.

“O prefeito Fabrício se colocou no lugar dos municipios da microregião e pediu mais uma vez ajuda ao Estado para resolução desse processo. Isso é algo que exige uma decisão do Estado, porque estamos com dois hospitais apenas que realizam esse atendimento e o volume só vem aumentando diariamente. Todos os municipios estão apoiando a decisão do prefeito Fabrício e também pediram ajuda ao Estado para resolver essa situação da melhor forma, para que os pacientes permanecessem sendo atendidos”. 

A secretária lembrou que Balneário Cambnoriú terá três portas abertas: além do PA da Barra, será aberto o do PA/Municipios, que fica anexo ao hospital e a UPA/Nações.

“Desta forma tornando o hospital Ruth Cardoso referenciado, que só vai receber pacientes através da nossa atenção básica, atenção especializada e destas portas abertas, pacientes que residem em Balneário Camboriú, como foi o projeto criado quando o hospital foi construído”, segue Andressa. 

Segundo ela, os representantes na reunião disseram que iriam passar uma nova informação, reunir-se para conversar sobre o assunto e posteriormente retornariam com alguma posição.

Além do secretário estadual Helton de Souza Zeferino, participaram do encontro o secretário adjunto, André Motta, o diretor de Porta Fixa, João Villela, o promotor de justiça, Douglas Martins, a presidente da Comissão Intergestores Regional (CIR), Juliana Wust, prefeitos e secretários de saúde da região da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/PMBC
Pronto Socorro atenderá somente moradores de Balneário Camboriú
Pronto Socorro atenderá somente moradores de Balneário Camboriú

Prefeito reforça fechamento do Pronto Socorro do Ruth Cardoso ao Estado

Decisão vai impactar a região, mas Estado ainda não se manifestou

Publicidade

Segunda, 23/9/2019 14:54.

O prefeito Fabrício Oliveira e a secretária da Saúde Andressa Hadad reforçaram a decisão de fechar as portas do Pronto Socorro para atendimento regional no final deste ano, em reunião realizada na secretaria estadual da Saúde, em Florianópolis, na quinta-feira (19).

No dia 12 de agosto todos os órgãos foram comunicados sobre a decisão do prefeito Fabrício Oliveira, anunciada em coletiva à imprensa. A partir do final do ano somente moradores de Balneário Camboriú serão atendidos no Pronto Socorro. Mas nada aconteceu depois desta comunicação e por isso, neste encontro semana passada, o prefeito fez questão de voltar ao assunto, alertando que esta decisão causará um forte impacto em toda a região. 

“Reafirmei a decisão de Balneário Camboriú em relação ao Ruth Cardoso, alertando que a questão da saúde tem que ser olhada de uma maneira regional, porque esta decisão irá impactar toda a região. Continuaremos a atender a maternidade, onde apenas 36% dos nascimentos são de pacientes da cidade”, explicou o prefeito.

A secretária da Saúde, Andressa Hadad confirmou que a maternidade continuará atendendo as gestantes da microregião, mas o Pronto Socorro fechará às portas para quem não mora em Balneário Camboriú. 

Emergência fechou 12 vezes esse ano

“Nesta reunião explicamos novamente esta decisão, enfatizamos novamente a questão dos valores, que o municipio custeia mensalmente R$ 4 milhoes de recursos próprios e por este motivo, solicitamos apoio de custeio ao Estado em várias ocasiões. Colocamos também todos os momentos que estamos vivenciando nos últimos meses. Só neste ano fechamos 12 vezes a sala de emergencias por superlotação de pacientes gravíssimos, com risco de morte,  não tendo onde colocar os pacientes, corredores lotados, chegando a ter 22 pacientes internados no pronto socorro. Por este motivo - mais do que financeiro mas sim operacional - foi tomada essa decisão do fechamento da porta, porque nós não comportamos o número de atendimentos de pessoas que estamos tendo, uma média de sete mil atendimento na porta e nove mil atendimentos no hospital como um todo, relembrndo que 70% das nossas cirurgias são de urgência/emergência devido à gravidade dos pacientes. Também referimos a  necessidade de investimento na nossa atenção básica”, enfatizou Andressa.

Prefeito pediu ajuda ao Estado mais uma vez

O prefeito e a secretária Andressa em Floripa

Andressa disse que toda situação foi novamente colocada, todos ouviram, todos falaram das suas dificuldades e agora todos aguardam uma resposta do governo do Estado.

“O prefeito Fabrício se colocou no lugar dos municipios da microregião e pediu mais uma vez ajuda ao Estado para resolução desse processo. Isso é algo que exige uma decisão do Estado, porque estamos com dois hospitais apenas que realizam esse atendimento e o volume só vem aumentando diariamente. Todos os municipios estão apoiando a decisão do prefeito Fabrício e também pediram ajuda ao Estado para resolver essa situação da melhor forma, para que os pacientes permanecessem sendo atendidos”. 

A secretária lembrou que Balneário Cambnoriú terá três portas abertas: além do PA da Barra, será aberto o do PA/Municipios, que fica anexo ao hospital e a UPA/Nações.

“Desta forma tornando o hospital Ruth Cardoso referenciado, que só vai receber pacientes através da nossa atenção básica, atenção especializada e destas portas abertas, pacientes que residem em Balneário Camboriú, como foi o projeto criado quando o hospital foi construído”, segue Andressa. 

Segundo ela, os representantes na reunião disseram que iriam passar uma nova informação, reunir-se para conversar sobre o assunto e posteriormente retornariam com alguma posição.

Além do secretário estadual Helton de Souza Zeferino, participaram do encontro o secretário adjunto, André Motta, o diretor de Porta Fixa, João Villela, o promotor de justiça, Douglas Martins, a presidente da Comissão Intergestores Regional (CIR), Juliana Wust, prefeitos e secretários de saúde da região da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI).


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade