Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Vereador Angioletti relaciona ex-prefeito assassinado com falta de raízes históricas

Ele também criticou dono da Havan que diz que conselheiros tutelares devem ser voluntários

Quarta, 9/10/2019 7:43.
Divulgação/CVBC

Publicidade

O vereador Orlando Angioletti usou a tribuna livre da sessão legislativa desta terça-feira (8) para mostrar seu desapontamento sobre a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região que na semana passada rejeitou denúncia contra seis pessoas acusadas de envolvimento na morte do ex-prefeito Higino João Pio, durante o regime de ditadura, em 1969.

“Ele foi o nosso primeiro prefeito eleito. Isso mexe com nossas raízes, nossa história. Tenho andado na cidade e percebido que existem algumas manifestações antagônicas. As pessoas têm revolta, aquelas que conhecem o caso do nosso ex-prefeito, foi comprovado que foi um assassinato, as pessoas questionam, porque foi um ato extremo. Mas no mesmo momento desta indignação, elas fazem uma avaliação política atual que compactua com isso. Não que a gente vá voltar ao regime ou algo nesse sentido, mas a verdade é que elegemos um presidente que abertamente defende torturadores, acho tudo isso deveras antagônico, ou seja, ao mesmo tempo que tenho um sentimento de revolta com o que aconteceu com o primeiro prefeito da minha cidade, eu voto no cara que patrocina esse tipo de situação”, questionou o vereador democrata.

História nas escolas

A reflexão sobre o acontecimento político/histórico se estendeu até o Arquivo Histórico.

“Nosso acervo histórico está interditado por questões estruturais do prédio. As pessoas tem que ter acesso permanente, talvez não só com as portas do Arquivo Histórico abertas, mas facilitando o acesso, levando a história de Balneário Camboriú para dentro das escolas para que as crianças possam conhecer e conseguir fora das redes sociais, das fake news, fora da grande mídia, às vezes tendenciosa, conhecer o que efetivamente aconteceu em sua cidade, porque esse é o grande patrimônio que podemos deixar”, enfatizou.

Conselho Tutelar de graça?

Na mesma tribuna livre, o vereador criticou o dono da Havan, Luciano Hang, que publicou um vídeo dizendo que conselheiros tutelares devem trabalhar de graça.

“Ele foi infeliz, extrapolou, dizendo que Conselho Tutelar é coisa de comunista, que deveria ser feito por voluntários. Se fossem questões de menor importância, mas estamos falando de profissionais e tratando de crianças que precisam de ajuda urgente, psicológica, jurídica, social. Nós temos sérios problemas sociais com nossas crianças. Foi infeliz a fala dele, menosprezando a proposta do Conselho Tutelar e as pessoas envolvidas e pior do que tudo isso, é inadmissível o nosso silêncio em relação a um vídeo idiota como esse”, finalizou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação/CVBC

Vereador Angioletti relaciona ex-prefeito assassinado com falta de raízes históricas

Ele também criticou dono da Havan que diz que conselheiros tutelares devem ser voluntários

Publicidade

Quarta, 9/10/2019 7:43.

O vereador Orlando Angioletti usou a tribuna livre da sessão legislativa desta terça-feira (8) para mostrar seu desapontamento sobre a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região que na semana passada rejeitou denúncia contra seis pessoas acusadas de envolvimento na morte do ex-prefeito Higino João Pio, durante o regime de ditadura, em 1969.

“Ele foi o nosso primeiro prefeito eleito. Isso mexe com nossas raízes, nossa história. Tenho andado na cidade e percebido que existem algumas manifestações antagônicas. As pessoas têm revolta, aquelas que conhecem o caso do nosso ex-prefeito, foi comprovado que foi um assassinato, as pessoas questionam, porque foi um ato extremo. Mas no mesmo momento desta indignação, elas fazem uma avaliação política atual que compactua com isso. Não que a gente vá voltar ao regime ou algo nesse sentido, mas a verdade é que elegemos um presidente que abertamente defende torturadores, acho tudo isso deveras antagônico, ou seja, ao mesmo tempo que tenho um sentimento de revolta com o que aconteceu com o primeiro prefeito da minha cidade, eu voto no cara que patrocina esse tipo de situação”, questionou o vereador democrata.

História nas escolas

A reflexão sobre o acontecimento político/histórico se estendeu até o Arquivo Histórico.

“Nosso acervo histórico está interditado por questões estruturais do prédio. As pessoas tem que ter acesso permanente, talvez não só com as portas do Arquivo Histórico abertas, mas facilitando o acesso, levando a história de Balneário Camboriú para dentro das escolas para que as crianças possam conhecer e conseguir fora das redes sociais, das fake news, fora da grande mídia, às vezes tendenciosa, conhecer o que efetivamente aconteceu em sua cidade, porque esse é o grande patrimônio que podemos deixar”, enfatizou.

Conselho Tutelar de graça?

Na mesma tribuna livre, o vereador criticou o dono da Havan, Luciano Hang, que publicou um vídeo dizendo que conselheiros tutelares devem trabalhar de graça.

“Ele foi infeliz, extrapolou, dizendo que Conselho Tutelar é coisa de comunista, que deveria ser feito por voluntários. Se fossem questões de menor importância, mas estamos falando de profissionais e tratando de crianças que precisam de ajuda urgente, psicológica, jurídica, social. Nós temos sérios problemas sociais com nossas crianças. Foi infeliz a fala dele, menosprezando a proposta do Conselho Tutelar e as pessoas envolvidas e pior do que tudo isso, é inadmissível o nosso silêncio em relação a um vídeo idiota como esse”, finalizou.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade