Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Pesca da tainha agora é patrimônio cultural do município de Balneário Camboriú

 

 

Quinta, 10/10/2019 10:41.
Cristiano Krames

Publicidade

Vereadores aprovaram na sessão desta quarta-feira (9), projeto do vereador David La Barrica (PSB), que declara a pesca artesanal para captura de tainha (mugili liza) como patrimônio cultural imaterial do município.

O vereador justifica dizendo que a pesca artesanal da tainha é uma característica da identidade cultural de todo o nosso litoral e, até hoje, o trabalho é passado de geração em geração, mantendo assim uma tradição de séculos.

Como principal caraterística da pesca artesanal para captura de tainha, figuram suas canoas, redes, ranchos de apoio e a função dos pescadores.

A Unesco, citada na justificativa do projeto, define como patrimônio cultural imaterial “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural”.

Também foi aprovada a Emenda 01, dos vereadores Gelson Rodrigues (PSB), Nilson Probst (MDB) e Pedro Francez (PL), que faz modificações nos incisos do Art. 1º e suprime o Art. 2º do projeto. Desta forma, o projeto continua em tramitação do Legislativo para ser deliberado em redação final.


Departamento de Comunicação Social e TV/CVBC

 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Cristiano Krames

Pesca da tainha agora é patrimônio cultural do município de Balneário Camboriú

 

 

Publicidade

Quinta, 10/10/2019 10:41.

Vereadores aprovaram na sessão desta quarta-feira (9), projeto do vereador David La Barrica (PSB), que declara a pesca artesanal para captura de tainha (mugili liza) como patrimônio cultural imaterial do município.

O vereador justifica dizendo que a pesca artesanal da tainha é uma característica da identidade cultural de todo o nosso litoral e, até hoje, o trabalho é passado de geração em geração, mantendo assim uma tradição de séculos.

Como principal caraterística da pesca artesanal para captura de tainha, figuram suas canoas, redes, ranchos de apoio e a função dos pescadores.

A Unesco, citada na justificativa do projeto, define como patrimônio cultural imaterial “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural”.

Também foi aprovada a Emenda 01, dos vereadores Gelson Rodrigues (PSB), Nilson Probst (MDB) e Pedro Francez (PL), que faz modificações nos incisos do Art. 1º e suprime o Art. 2º do projeto. Desta forma, o projeto continua em tramitação do Legislativo para ser deliberado em redação final.


Departamento de Comunicação Social e TV/CVBC

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade