Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Atualizada: apenas 9 vereadores assinaram CPI para investigar obra na Câmara de Balneário Camboriú

CPI já tem as assinatura suficientes para sua instalação

Sexta, 22/11/2019 12:35.
Waldemar Cezar Neto
Chove dentro da Câmara, mas obra não foi contratada para eliminar esse problema.

Publicidade

Dos 19 vereadores apenas seissete nove assinaram o requerimento de instalação de uma CPI para investigar obras de reforma na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú que apresentam indícios de irregularidades.

A obra foi licitada no ano passado, atrasou quase um ano, teve aditivos que totalizaram R$ 341.061,87 e foi um exemplo claro de desrespeito ao patrimônio público.

A reforma foi licitada sem projeto executivo completo e era desnecessária porque meramente cosmética, não atacou problemas graves do prédio como elevadores que não funcionam, sistema elétrico que coloca em risco a integridade das pessoas e goteiras que inundam os corredores a cada chuva mais forte.

Além do requerente Marcelo Achutti, assinaram a CPI os vereadores Omar Tomalih, Leonardo Piruka, Patrick Machado, Lucas Gotardo, Nilson Probst e Joceli Nazari.

O presidente da Câmara na época da contratação da obra, Roberto Souza Jr., embora alegue que não houve irregularidades, não assinou o requerimento da CPI.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Waldemar Cezar Neto
Chove dentro da Câmara, mas obra não foi contratada para eliminar esse problema.
Chove dentro da Câmara, mas obra não foi contratada para eliminar esse problema.

Atualizada: apenas 9 vereadores assinaram CPI para investigar obra na Câmara de Balneário Camboriú

CPI já tem as assinatura suficientes para sua instalação

Publicidade

Sexta, 22/11/2019 12:35.

Dos 19 vereadores apenas seissete nove assinaram o requerimento de instalação de uma CPI para investigar obras de reforma na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú que apresentam indícios de irregularidades.

A obra foi licitada no ano passado, atrasou quase um ano, teve aditivos que totalizaram R$ 341.061,87 e foi um exemplo claro de desrespeito ao patrimônio público.

A reforma foi licitada sem projeto executivo completo e era desnecessária porque meramente cosmética, não atacou problemas graves do prédio como elevadores que não funcionam, sistema elétrico que coloca em risco a integridade das pessoas e goteiras que inundam os corredores a cada chuva mais forte.

Além do requerente Marcelo Achutti, assinaram a CPI os vereadores Omar Tomalih, Leonardo Piruka, Patrick Machado, Lucas Gotardo, Nilson Probst e Joceli Nazari.

O presidente da Câmara na época da contratação da obra, Roberto Souza Jr., embora alegue que não houve irregularidades, não assinou o requerimento da CPI.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade