Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

CPI vai investigar TACs e Ongs nos últimos 10 anos em Balneário Camboriú
Power Produtora/PMBC
"Não serão investigadas somente as ONGs da região da Interpraias", diz vereador

Quarta, 28/8/2019 13:26.

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú aprovou na sessão desta terça-feira (27), a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar eventuais ilegalidades do cumprimento de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs), firmados entre Ministério Público da Comarca e Organizações Não-Governamentais, nos últimos 10 anos no município de Balneário Camboriú.

O vereador Gelson Rodrigues (foto) que assinou o requerimento (com mais nove assinaturas) que foi aprovado ontem pelos 12 vereadores presentes à sessão, disse que na próxima terça-feira (3) será feita a nominata dos componentes e ele, na condição de proponente, estará pleiteando a presidência da CPI.

“Recebemos denúncias de alguns TACs assinados entre o Ministério Público e algumas ONGs, que se comprometeram a fazer algumas situações, não cumpriram ou que os recursos não foram aplicados adequadamente e tudo isso será apurado. É importante dizer que a CPI não se resume apenas a estas denúncias e não apenas à Ongs ligadas ao meio ambiente. Temos conhecimento que foram assinadas dezenas e dezenas de TACs entre o MP e ONGs e também com algumas empresas privadas. Isso causa um pouco de preocupação> Temos que que saber se tudo isso foi cumprido, porque são vários milhões de reais que esses TACs acabam firmando, entre beneficiar as ONGs ou alguma empresa que tem que fazer cumprir determinação situação, o comprometimento está sendo feito, mas será que a finalidade também está sendo feita”, questionou o vereador.

O requerimento foi subscrito pelos vereadores Arlindo Cruz (MDB), David La Barrica (PBS), Joceli Nazari (Cidadania), Juliethe Nitz (PL), Marcelo Achutti (PP), Omar Tomalih (PSB), Patrick Machado (PDT) e Pedro Francez (PL).

A proposição foi aprovada com 12 votos favoráveis e seis ausências.

O prazo para conclusão dos trabalhos da CPI será de 90 dias, prorrogável por igual período. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

CPI vai investigar TACs e Ongs nos últimos 10 anos em Balneário Camboriú

Power Produtora/PMBC
"Não serão investigadas somente as ONGs da região da Interpraias", diz vereador

Publicidade

Quarta, 28/8/2019 13:26.

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú aprovou na sessão desta terça-feira (27), a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar eventuais ilegalidades do cumprimento de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs), firmados entre Ministério Público da Comarca e Organizações Não-Governamentais, nos últimos 10 anos no município de Balneário Camboriú.

O vereador Gelson Rodrigues (foto) que assinou o requerimento (com mais nove assinaturas) que foi aprovado ontem pelos 12 vereadores presentes à sessão, disse que na próxima terça-feira (3) será feita a nominata dos componentes e ele, na condição de proponente, estará pleiteando a presidência da CPI.

“Recebemos denúncias de alguns TACs assinados entre o Ministério Público e algumas ONGs, que se comprometeram a fazer algumas situações, não cumpriram ou que os recursos não foram aplicados adequadamente e tudo isso será apurado. É importante dizer que a CPI não se resume apenas a estas denúncias e não apenas à Ongs ligadas ao meio ambiente. Temos conhecimento que foram assinadas dezenas e dezenas de TACs entre o MP e ONGs e também com algumas empresas privadas. Isso causa um pouco de preocupação> Temos que que saber se tudo isso foi cumprido, porque são vários milhões de reais que esses TACs acabam firmando, entre beneficiar as ONGs ou alguma empresa que tem que fazer cumprir determinação situação, o comprometimento está sendo feito, mas será que a finalidade também está sendo feita”, questionou o vereador.

O requerimento foi subscrito pelos vereadores Arlindo Cruz (MDB), David La Barrica (PBS), Joceli Nazari (Cidadania), Juliethe Nitz (PL), Marcelo Achutti (PP), Omar Tomalih (PSB), Patrick Machado (PDT) e Pedro Francez (PL).

A proposição foi aprovada com 12 votos favoráveis e seis ausências.

O prazo para conclusão dos trabalhos da CPI será de 90 dias, prorrogável por igual período. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade