Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Atletas, professores e técnicos se unem para impedir a extinção da Fundação de Esportes
Reprodução
Representantes esportivos de Balneário Camboriú

Quarta, 21/8/2019 19:43.

Reforma Administrativa quer juntar Esporte e Cultura com Turismo

Uma parte da Reforma Administrativa anunciada pelo governo municipal esta semana, que prevê a extinção da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC) e da Fundação Cultural, que voltariam a fazer parte da secretaria de Turismo, agitou o meio esportivo nesta quarta-feira (21).

Atletas, técnicos, professores da FMEBC estão dispostos a impedir a extinção, porque entendem que a perda de autonomia trará prejuízos irrecuperáveis para o esporte municipal, afetará a captação de recursos, a contratação de professores que ninguém sabe como ficará, sem falar na questão dos trâmites para participação de eventos que ficaria ainda mais complicada.

“Conhecemos a realidade dos municípios que passaram por essa mudança e o que vem acontecendo não é nada positivo”, disse um atleta, lembrando que o esporte municipal alcançou uma posição de destaque em várias modalidades, não só no âmbito municipal ou regional, como também ultrapassou fronteiras em competições nacionais e internacionais.

Através das redes sociais, os esportistas decidiram levar essa preocupação para uma reunião no Legislativo Municipal nesta quinta-feira (22), para discutir o assunto com os vereadores.

A concentração vai acontecer no estacionamento do G1, ginásio de esportes Irineu Bornhausen, às 14h. Dali os esportistas seguirão em caminhada até a Câmara de Vereadores.


O que diz a Superintendente?

A superintendente da Fundação de Esportes, Mariana Dalvesco reuniu-se com o prefeito na tarde desta quarta-feira para tratar do assunto. A conversa a tranquilizou, ela acredita que a fusão será positiva.

“Entendo a preocupação, mas acredito que será bom para todos, porque aqueles mais de R$ 10 milhões de economia que a Reforma vai proporcionar, serão investidos e o prefeito comprometeu-se de não reduzir nada, pelo contrário, o esporte vai ter acréscimos nos programas do Bolsa Atleta, do Fundesporte, vai investir na desburocratização e tudo isso vai facilitar. Eu entendo o grande medo de quem ama o esporte de ser prejudicado, mas isso não vai acontecer. Só vai ser mexido na redução de cargos comissionados, mas não vai interferir nem prejudicar o esporte como um todo”, disse Mariana.


O que dizem os vereadores?

A reportagem do Página3 ouviu a opinião de alguns vereadores sobre a extinção da Fundação. A maioria se disse a favor da reforma, porque é necessário cortar gastos, mas sem a extinção das fundações.

Acompanhe:


 

Omar Tomalih

“Sou totalmente a favor da reforma administrativa. Sou totalmente a favor que seja feita essa fusão, ela é importante, desde que não extingue a Fundação Cultural e a Fundação de Esportes. Podemos readequar a administração, fazer uma reforma na parte estrutural, administrativa, mas sem necessidade de acabar com a Fundação de Esportes e a Fundação Cultural, porque acho que foi uma grande conquista que a cidade teve. A cultura faz excelente trabalho, os esportistas trazem muitas alegrias para nós e como vamos chegar e acabar com o CNPJ e extinguir as duas fundações? Tive uma conversa com o prefeito, fiz uma indicação ao prefeito nesse sentido e estaremos debatendo com as pessoas para ver a opinião deles sobre isso. Mas a reforma é necessária, mas não há necessidade de extinguir a Fundação de Esportes e a Fundação Cultural”. 


 

Gelson Rodrigues

 “Sou contra a extinção da FMEBC e sou a favor de que essa economia que será feita com a reforma administrativa que chegará a cerca de R$ 10 milhões e tenho a afirmação do prefeito, de que serão feitos mais investimentos no Bolsa-Atleta e no Fundesporte, inclusive nas situações do contraturno, que também ganharão mais investimentos. A reforma vai beneficiar bastante o esporte”.


 

Marcelo Achutti

“Defendo o corte dos privilégios, a diminuição da máquina administrativa, mas a extinção da Fundação de Esportes irá prejudicar o atleta que através dela pode buscar auxílio, como convênios, termos de cooperações técnicas etc. Também senti que os atletas estão preocupados com a extinção da Fundação e não com a extinção de alguns cargos dentro da Fundação. Defendemos manter a Fundação, mas paralelamente enxugá-la. Sou contra a extinção da Fundação, como a da Cultura também, mas não podemos deixar de enxugar a máquina. Meu voto será para manter a FMEBC”.


 

Leonardo Piruka

“Sou contra a extinção da FME. Durante muitos anos fui atleta da FME e durante minha vida pública acompanho e apoio este importante departamento da prefeitura. Esporte é vida, é rendimento, é inclusão social de crianças, jovens e adultos. Acabar com a FME é um retrocesso que não podemos aceitar! Por isso, como vereador, voto não e defendo a FME.”


 

Nilson Probst

“É uma decisão de governo e a equipe dele entende que deve extinguir algumas secretarias. Não concordo com alguns encaminhamentos. Essa situação do turismo, cultura e esporte, eu discordo. Essa manifestação dizendo que é no intuito de diminuir a máquina e os cargos não fecha bem, porque ele está criando uma estrutura no gabinete do prefeito, onde terão cinco cargos a nível de secretário. Então está extinguindo algumas secretarias, mas criando cargos de assessorias com o mesmo valor de cargos de secretário ou de gestor, então não muda nada. Particularmente não concordo, se eu fosse prefeito, não faria, tem outras maneiras mais fáceis de enxugar a máquina, reduzir cargos, comissões, existem muitas comissões, algumas que se reúnem duas, três vezes por semestre, valores são consideráveis, cargos poderiam ser destinados a efetivos e assim por diante”.


 

Bola Pereira

“A FMEBC tem seis cargos de confiança. Com a mudança para o Turismo passaria a ter 7, mas perderia o status de secretaria. O esporte é muito importante para a cidadania, acho que tem que manter como Fundação, ao mesmo tempo em que tem que dar mais autonomia, maior visibilidade, maior respeito aos atletas você também possibilita que através da Fundação haja captação de recursos junto à iniciativa privada, o que na secretaria de Turismo ficaria muito difícil. Acho que o esporte tem que ser autônomo. Nesta parte tudo farei para que não se mexa na Fundação de Esportes”.


 

Lucas Gotardo

“Estou lendo a reforma toda semana, ainda não consegui ter uma conclusão acerca do tema, até porque é muito densa, muita informação, muita coisa, vou começar a discutir toda sexta-feira (não nesta sexta, na seguinte) aqui no gabinete a reforma com todos que querem discutir esse assunto. Não vou emitir opinião agora, porque porque não fiz minhas conclusões ainda, a reforma chegou segunda-feira, vamos ter um bom tempo para analisar aqui”.


 

André Meirinho

“Em geral quanto a reforma administrativa, penso que devem ser reduzidos os cargos comissionados, valorizados os servidores efetivos, com foco na diminuição dos gastos com pessoal, que é o desejo da sociedade. Quanto a extinção da Fundação Municipal de Esportes e Fundação Cultural, penso que é inadequada, pois as áreas vão perder autonomia e será ampliada a burocracia para os atos diários. Entendo que impactará negativamente nas políticas públicas das áreas. Além disso, a Secretaria de Turismo, responsável pela principal vocação de Balneário Camboriú perderá seu foco de atuação. A integração entre as ações das áreas de turismo, cultura e esporte e a diminuição de despesas com cargos comissionados pode ser feita sem a extinção das fundações de esporte e de cultura”.


 

Juliethe Nitz

“Acredito que haverá um retrocesso. Todas as três secretarias perdem ou ficariam reféns a expertise do secretário. Se o secretário entende mais de uma área, irá canalizar os investimentos para a área de afinidade”.


 

David La Barrica

“No meu entendimento é muito importante ouvir os professores amanhã, pegar as demandas, as preocupações deles e passar para o prefeito, para a secretária de Administração também e chegarmos a um bom senso, que não prejudique a Fundação, que a ideia do prefeito é de enxugar a máquina pública, que ele consiga fazer isso, então vejo que é um meio termo de ambas as partes”.


 

Patrick Machado

"Sou contra essa unificação, conversei com pessoas da cultura também, são secretarias que têm verbas independentes, que podem angariar projetos e verbas, não me debrucei ainda, estamos conversando sobre todo o projeto, mas a princípio sou contra. São as duas pastas que estão mais envolvidas com a sociedade, são pastas que estão inserindo a comunidade mais carente também nos bairros...tirando eles do mundo das drogas, da violência e aí vamos colocar tudo na mesma secretaria com foco completamente diferente? Me preocupa muito isso aí”.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Atletas, professores e técnicos se unem para impedir a extinção da Fundação de Esportes

Reprodução
Representantes esportivos de Balneário Camboriú
Representantes esportivos de Balneário Camboriú

Publicidade

Quarta, 21/8/2019 19:43.

Reforma Administrativa quer juntar Esporte e Cultura com Turismo

Uma parte da Reforma Administrativa anunciada pelo governo municipal esta semana, que prevê a extinção da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC) e da Fundação Cultural, que voltariam a fazer parte da secretaria de Turismo, agitou o meio esportivo nesta quarta-feira (21).

Atletas, técnicos, professores da FMEBC estão dispostos a impedir a extinção, porque entendem que a perda de autonomia trará prejuízos irrecuperáveis para o esporte municipal, afetará a captação de recursos, a contratação de professores que ninguém sabe como ficará, sem falar na questão dos trâmites para participação de eventos que ficaria ainda mais complicada.

“Conhecemos a realidade dos municípios que passaram por essa mudança e o que vem acontecendo não é nada positivo”, disse um atleta, lembrando que o esporte municipal alcançou uma posição de destaque em várias modalidades, não só no âmbito municipal ou regional, como também ultrapassou fronteiras em competições nacionais e internacionais.

Através das redes sociais, os esportistas decidiram levar essa preocupação para uma reunião no Legislativo Municipal nesta quinta-feira (22), para discutir o assunto com os vereadores.

A concentração vai acontecer no estacionamento do G1, ginásio de esportes Irineu Bornhausen, às 14h. Dali os esportistas seguirão em caminhada até a Câmara de Vereadores.


O que diz a Superintendente?

A superintendente da Fundação de Esportes, Mariana Dalvesco reuniu-se com o prefeito na tarde desta quarta-feira para tratar do assunto. A conversa a tranquilizou, ela acredita que a fusão será positiva.

“Entendo a preocupação, mas acredito que será bom para todos, porque aqueles mais de R$ 10 milhões de economia que a Reforma vai proporcionar, serão investidos e o prefeito comprometeu-se de não reduzir nada, pelo contrário, o esporte vai ter acréscimos nos programas do Bolsa Atleta, do Fundesporte, vai investir na desburocratização e tudo isso vai facilitar. Eu entendo o grande medo de quem ama o esporte de ser prejudicado, mas isso não vai acontecer. Só vai ser mexido na redução de cargos comissionados, mas não vai interferir nem prejudicar o esporte como um todo”, disse Mariana.


O que dizem os vereadores?

A reportagem do Página3 ouviu a opinião de alguns vereadores sobre a extinção da Fundação. A maioria se disse a favor da reforma, porque é necessário cortar gastos, mas sem a extinção das fundações.

Acompanhe:


 

Omar Tomalih

“Sou totalmente a favor da reforma administrativa. Sou totalmente a favor que seja feita essa fusão, ela é importante, desde que não extingue a Fundação Cultural e a Fundação de Esportes. Podemos readequar a administração, fazer uma reforma na parte estrutural, administrativa, mas sem necessidade de acabar com a Fundação de Esportes e a Fundação Cultural, porque acho que foi uma grande conquista que a cidade teve. A cultura faz excelente trabalho, os esportistas trazem muitas alegrias para nós e como vamos chegar e acabar com o CNPJ e extinguir as duas fundações? Tive uma conversa com o prefeito, fiz uma indicação ao prefeito nesse sentido e estaremos debatendo com as pessoas para ver a opinião deles sobre isso. Mas a reforma é necessária, mas não há necessidade de extinguir a Fundação de Esportes e a Fundação Cultural”. 


 

Gelson Rodrigues

 “Sou contra a extinção da FMEBC e sou a favor de que essa economia que será feita com a reforma administrativa que chegará a cerca de R$ 10 milhões e tenho a afirmação do prefeito, de que serão feitos mais investimentos no Bolsa-Atleta e no Fundesporte, inclusive nas situações do contraturno, que também ganharão mais investimentos. A reforma vai beneficiar bastante o esporte”.


 

Marcelo Achutti

“Defendo o corte dos privilégios, a diminuição da máquina administrativa, mas a extinção da Fundação de Esportes irá prejudicar o atleta que através dela pode buscar auxílio, como convênios, termos de cooperações técnicas etc. Também senti que os atletas estão preocupados com a extinção da Fundação e não com a extinção de alguns cargos dentro da Fundação. Defendemos manter a Fundação, mas paralelamente enxugá-la. Sou contra a extinção da Fundação, como a da Cultura também, mas não podemos deixar de enxugar a máquina. Meu voto será para manter a FMEBC”.


 

Leonardo Piruka

“Sou contra a extinção da FME. Durante muitos anos fui atleta da FME e durante minha vida pública acompanho e apoio este importante departamento da prefeitura. Esporte é vida, é rendimento, é inclusão social de crianças, jovens e adultos. Acabar com a FME é um retrocesso que não podemos aceitar! Por isso, como vereador, voto não e defendo a FME.”


 

Nilson Probst

“É uma decisão de governo e a equipe dele entende que deve extinguir algumas secretarias. Não concordo com alguns encaminhamentos. Essa situação do turismo, cultura e esporte, eu discordo. Essa manifestação dizendo que é no intuito de diminuir a máquina e os cargos não fecha bem, porque ele está criando uma estrutura no gabinete do prefeito, onde terão cinco cargos a nível de secretário. Então está extinguindo algumas secretarias, mas criando cargos de assessorias com o mesmo valor de cargos de secretário ou de gestor, então não muda nada. Particularmente não concordo, se eu fosse prefeito, não faria, tem outras maneiras mais fáceis de enxugar a máquina, reduzir cargos, comissões, existem muitas comissões, algumas que se reúnem duas, três vezes por semestre, valores são consideráveis, cargos poderiam ser destinados a efetivos e assim por diante”.


 

Bola Pereira

“A FMEBC tem seis cargos de confiança. Com a mudança para o Turismo passaria a ter 7, mas perderia o status de secretaria. O esporte é muito importante para a cidadania, acho que tem que manter como Fundação, ao mesmo tempo em que tem que dar mais autonomia, maior visibilidade, maior respeito aos atletas você também possibilita que através da Fundação haja captação de recursos junto à iniciativa privada, o que na secretaria de Turismo ficaria muito difícil. Acho que o esporte tem que ser autônomo. Nesta parte tudo farei para que não se mexa na Fundação de Esportes”.


 

Lucas Gotardo

“Estou lendo a reforma toda semana, ainda não consegui ter uma conclusão acerca do tema, até porque é muito densa, muita informação, muita coisa, vou começar a discutir toda sexta-feira (não nesta sexta, na seguinte) aqui no gabinete a reforma com todos que querem discutir esse assunto. Não vou emitir opinião agora, porque porque não fiz minhas conclusões ainda, a reforma chegou segunda-feira, vamos ter um bom tempo para analisar aqui”.


 

André Meirinho

“Em geral quanto a reforma administrativa, penso que devem ser reduzidos os cargos comissionados, valorizados os servidores efetivos, com foco na diminuição dos gastos com pessoal, que é o desejo da sociedade. Quanto a extinção da Fundação Municipal de Esportes e Fundação Cultural, penso que é inadequada, pois as áreas vão perder autonomia e será ampliada a burocracia para os atos diários. Entendo que impactará negativamente nas políticas públicas das áreas. Além disso, a Secretaria de Turismo, responsável pela principal vocação de Balneário Camboriú perderá seu foco de atuação. A integração entre as ações das áreas de turismo, cultura e esporte e a diminuição de despesas com cargos comissionados pode ser feita sem a extinção das fundações de esporte e de cultura”.


 

Juliethe Nitz

“Acredito que haverá um retrocesso. Todas as três secretarias perdem ou ficariam reféns a expertise do secretário. Se o secretário entende mais de uma área, irá canalizar os investimentos para a área de afinidade”.


 

David La Barrica

“No meu entendimento é muito importante ouvir os professores amanhã, pegar as demandas, as preocupações deles e passar para o prefeito, para a secretária de Administração também e chegarmos a um bom senso, que não prejudique a Fundação, que a ideia do prefeito é de enxugar a máquina pública, que ele consiga fazer isso, então vejo que é um meio termo de ambas as partes”.


 

Patrick Machado

"Sou contra essa unificação, conversei com pessoas da cultura também, são secretarias que têm verbas independentes, que podem angariar projetos e verbas, não me debrucei ainda, estamos conversando sobre todo o projeto, mas a princípio sou contra. São as duas pastas que estão mais envolvidas com a sociedade, são pastas que estão inserindo a comunidade mais carente também nos bairros...tirando eles do mundo das drogas, da violência e aí vamos colocar tudo na mesma secretaria com foco completamente diferente? Me preocupa muito isso aí”.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade