Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Comissionados: governo Fabrício tentará "tratorar" a oposição

No entanto, tendência é que a votação do projeto demore ao menos 10 dias

Quarta, 26/9/2018 7:45.
Google.

Publicidade

Está na pauta da Câmara de Vereadores de hoje à noite a apresentação do projeto-tampão do governo Fabrício Oliveira que permitiria readmitir cerca de 150 cargos cargos em comissão exonerados da prefeitura de Balneário Camboriú em decorrência de decisão judicial que considerou suas contratações ilegais.

Esse projeto não é o mesmo da chamada reforma administrativa, serve apenas para dar legalidade às contratações porque setores vitais da prefeitura estão quase paralisados.

O projeto-tampão deu entrada na segunda-feira, passou pela assessoria jurídica e ontem já tinha o parecer da Comissão de Justiça e Redação que é indispensável para levar a conhecimento em plenário, uma etapa anterior à votação.

A votação só pode ocorrer após as comissões legislativas emitirem seus pareceres.

O prazo para emitir parecer é de até 10 dias e o projeto tramitará por 10 comissões, mas é provável que quase tudo aconteça em dois ou três dias porque o governo tem maioria em nove delas.

Na Comissão de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público o andamento tende a trancar. A estimativa é que esse projeto seja votado na semana do primeiro turno das eleições para que o grupo do prefeito -que tem três candidatos pedindo votos nas ruas- sofra o máximo desgaste possível.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Google.

Comissionados: governo Fabrício tentará "tratorar" a oposição

No entanto, tendência é que a votação do projeto demore ao menos 10 dias

Publicidade

Quarta, 26/9/2018 7:45.

Está na pauta da Câmara de Vereadores de hoje à noite a apresentação do projeto-tampão do governo Fabrício Oliveira que permitiria readmitir cerca de 150 cargos cargos em comissão exonerados da prefeitura de Balneário Camboriú em decorrência de decisão judicial que considerou suas contratações ilegais.

Esse projeto não é o mesmo da chamada reforma administrativa, serve apenas para dar legalidade às contratações porque setores vitais da prefeitura estão quase paralisados.

O projeto-tampão deu entrada na segunda-feira, passou pela assessoria jurídica e ontem já tinha o parecer da Comissão de Justiça e Redação que é indispensável para levar a conhecimento em plenário, uma etapa anterior à votação.

A votação só pode ocorrer após as comissões legislativas emitirem seus pareceres.

O prazo para emitir parecer é de até 10 dias e o projeto tramitará por 10 comissões, mas é provável que quase tudo aconteça em dois ou três dias porque o governo tem maioria em nove delas.

Na Comissão de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público o andamento tende a trancar. A estimativa é que esse projeto seja votado na semana do primeiro turno das eleições para que o grupo do prefeito -que tem três candidatos pedindo votos nas ruas- sofra o máximo desgaste possível.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade