Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Para manter nomeados governo municipal pode “tratorar” oposição

Objetivo principal seria garantir emprego para 132 "afilhados"

Sexta, 21/9/2018 5:12.
Facebook Fabrício Oliveira

Publicidade

O governo Fabrício Oliveira manteve-se em silêncio ontem sobre a crise que envolve a nomeação ilegal de 132 cargos de confiança enquanto a oposição acusa que o objetivo é aprovar às pressas uma lei para regularizar a situação.

Esses cargos de confiança, criados em governos anteriores, foram declarados ilegais pela justiça e o Ministério Público aparentemente processará o prefeito se ele não demitir imediatamente os nomeados.

Depois de vários meses sem avançar no assunto o governo enviou na última segunda-feira à Câmara de Vereadores um projeto que chamou de reforma administrativa para tentar regularizar esses cargos, aumentando a quantidade de comissionados e criando mais duas secretarias.

Uma das qualidades desse projeto, alegou a assessoria do prefeito, era reduzir os cargos de confiança em 30% quando em verdade faz exatamente o contrário, aumenta em 30%.

Ontem no final do dia o vereador Nilson Probst procurou a imprensa para denunciar que o governo, que tem maioria na Câmara, pretende em uma semana tramitar o projeto para regularizar a situação dos comissionados.

Parece algo sem sentido discutir às pressas um projeto que envolve 459 cargos apenas para garantir o emprego de cabos eleitorais e aliados políticos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Facebook Fabrício Oliveira

Para manter nomeados governo municipal pode “tratorar” oposição

Objetivo principal seria garantir emprego para 132 "afilhados"

Publicidade

Sexta, 21/9/2018 5:12.

O governo Fabrício Oliveira manteve-se em silêncio ontem sobre a crise que envolve a nomeação ilegal de 132 cargos de confiança enquanto a oposição acusa que o objetivo é aprovar às pressas uma lei para regularizar a situação.

Esses cargos de confiança, criados em governos anteriores, foram declarados ilegais pela justiça e o Ministério Público aparentemente processará o prefeito se ele não demitir imediatamente os nomeados.

Depois de vários meses sem avançar no assunto o governo enviou na última segunda-feira à Câmara de Vereadores um projeto que chamou de reforma administrativa para tentar regularizar esses cargos, aumentando a quantidade de comissionados e criando mais duas secretarias.

Uma das qualidades desse projeto, alegou a assessoria do prefeito, era reduzir os cargos de confiança em 30% quando em verdade faz exatamente o contrário, aumenta em 30%.

Ontem no final do dia o vereador Nilson Probst procurou a imprensa para denunciar que o governo, que tem maioria na Câmara, pretende em uma semana tramitar o projeto para regularizar a situação dos comissionados.

Parece algo sem sentido discutir às pressas um projeto que envolve 459 cargos apenas para garantir o emprego de cabos eleitorais e aliados políticos.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade