Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Câmara de Balneário Camboriú virou alvo de críticas no Quebrando o Tabu

Segunda, 17/9/2018 16:01.
Reprodução
Postagem no Instagram do 'Quebrando o Tabu'

Publicidade

A Câmara de Balneário Camboriú foi recentemente alvo de centenas de críticas nas páginas ‘Quebrando o Tabu’ e ‘Aqui só fala homem branco’, por causa de um programa que discutia os direitos da mulher sem ter mulher alguma participando.

O Câmara Debate foi ao ar no final de agosto, com a participação dos vereadores Alessandro Teco (PSB), Marcos Kurtz (MDB) e Patrick Machado (PDT). A única vereadora mulher de Balneário, Juliethe Nitz, não foi convidada.

Depois da polêmica nas redes na última semana, a notícia sobre o programa e o filme dele foram retirados do ar.

Leia abaixo a resposta de Juliethe:

"Esses debates são realizados pela TV Câmara BC, em uma série ao longo do mês. Cada mês, são selecionados temas diferentes, para que conversemos sobre. A escolha dos vereadores participantes é aleatória, por meio de sorteio. Então, não sabemos quem serão nossos pares nem o assunto, até recebermos o ofício comunicando.

Tanto eu, quanto outros vereadores, já solicitamos para que esse sistema fosse mudado levando em conta temas de maior afinidade com cada um. Mas, de acordo com a equipe da emissora, não pode ser alterado.

Aí, embora eu tenha vários projetos voltados às mulheres, lute muito para que nossos direitos sejam assegurados e tenhamos mais representatividade, outros colegas acabaram debatendo o tema."

Câmara vai se redimir

O diretor de comunicaçao do Legislativo Marcelo Vrenna explicou que existe uma metodologia para que todos vereadores participem de forma igualitária. A escolha acontece, por sorteio, tanto os vereadores, quanto os temas se dão de forma aleatória.

"Reconheço, neste caso, como estou a frente do departamento, que faltou sensibilidade em prestigiar a vereadora, mesmo ela já tendo participado em uma reunião no mês de agosto", declarou Vrenna.

Ele adiantou que a comunicação está reavaliando a forma de selecionar convidados e inclusive cogita abrir espaço para pessoas da comunidade. No próximo mês a TV Câmara deve promover um novo debate sobre o tema, desta vez só com mulheres.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução
Postagem no Instagram do 'Quebrando o Tabu'
Postagem no Instagram do 'Quebrando o Tabu'

Câmara de Balneário Camboriú virou alvo de críticas no Quebrando o Tabu

Publicidade

Segunda, 17/9/2018 16:01.

A Câmara de Balneário Camboriú foi recentemente alvo de centenas de críticas nas páginas ‘Quebrando o Tabu’ e ‘Aqui só fala homem branco’, por causa de um programa que discutia os direitos da mulher sem ter mulher alguma participando.

O Câmara Debate foi ao ar no final de agosto, com a participação dos vereadores Alessandro Teco (PSB), Marcos Kurtz (MDB) e Patrick Machado (PDT). A única vereadora mulher de Balneário, Juliethe Nitz, não foi convidada.

Depois da polêmica nas redes na última semana, a notícia sobre o programa e o filme dele foram retirados do ar.

Leia abaixo a resposta de Juliethe:

"Esses debates são realizados pela TV Câmara BC, em uma série ao longo do mês. Cada mês, são selecionados temas diferentes, para que conversemos sobre. A escolha dos vereadores participantes é aleatória, por meio de sorteio. Então, não sabemos quem serão nossos pares nem o assunto, até recebermos o ofício comunicando.

Tanto eu, quanto outros vereadores, já solicitamos para que esse sistema fosse mudado levando em conta temas de maior afinidade com cada um. Mas, de acordo com a equipe da emissora, não pode ser alterado.

Aí, embora eu tenha vários projetos voltados às mulheres, lute muito para que nossos direitos sejam assegurados e tenhamos mais representatividade, outros colegas acabaram debatendo o tema."

Câmara vai se redimir

O diretor de comunicaçao do Legislativo Marcelo Vrenna explicou que existe uma metodologia para que todos vereadores participem de forma igualitária. A escolha acontece, por sorteio, tanto os vereadores, quanto os temas se dão de forma aleatória.

"Reconheço, neste caso, como estou a frente do departamento, que faltou sensibilidade em prestigiar a vereadora, mesmo ela já tendo participado em uma reunião no mês de agosto", declarou Vrenna.

Ele adiantou que a comunicação está reavaliando a forma de selecionar convidados e inclusive cogita abrir espaço para pessoas da comunidade. No próximo mês a TV Câmara deve promover um novo debate sobre o tema, desta vez só com mulheres.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade