Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Projeto dos comissionados deverá ser votado terça-feira

Texto feito às pressas é repleto de absurdos

Segunda, 1/10/2018 3:53.
Google.

Publicidade

O vereador Aldemar “Bola” Pereira disse ontem ao Página 3 que na terça-feira a Comissão de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público, presidida por ele, dará o parecer sobre o projeto que possibilita recontratar uma centena e meia de cargos de confiança exonerados na prefeitura, portanto a votação poderá acontecer no mesmo dia.

O projeto passou rapidamente pela assessoria jurídica e diversas comissões da Câmara, falta a de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público que tem maioria oposicionista.

O governo tem pressa porque com a exoneração dos comissionados ficou semiparalisado.

O projeto, um remendo feito às pressas para substituir o da reforma administrativa, tem defeitos graves e caso transformado em lei provavelmente será objeto de ação do Ministério Público.

Nem a pressa do governo torna aceitável pagar R$ 8.019,86 a um Diretor de Divisão de Departamento Contábil Financeiro e exigir apenas escolaridade de nível médio.

Ou pagar R$ R$ 5.728,42 a um sujeito para ocupar o cargo quase decorativo de Diretor da Junta Militar.

Aparentemente o projeto foi desenhado não para atender as necessidades do município e sim para arranjar emprego para os aliados políticos.

O descompromisso de quem produziu o projeto fica evidente ao especificar que o diretor do Departamento Técnico-Pedagógico da Secretaria da Educação não precisa ser professor formado, basta ter ensino médio.

Absurdos desse tipo se repetem em todo o projeto que pode ser lido aqui na íntegra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3
Google.

Projeto dos comissionados deverá ser votado terça-feira

Texto feito às pressas é repleto de absurdos

Publicidade

Segunda, 1/10/2018 3:53.

O vereador Aldemar “Bola” Pereira disse ontem ao Página 3 que na terça-feira a Comissão de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público, presidida por ele, dará o parecer sobre o projeto que possibilita recontratar uma centena e meia de cargos de confiança exonerados na prefeitura, portanto a votação poderá acontecer no mesmo dia.

O projeto passou rapidamente pela assessoria jurídica e diversas comissões da Câmara, falta a de Administração e Assuntos Ligados ao Servidor Público que tem maioria oposicionista.

O governo tem pressa porque com a exoneração dos comissionados ficou semiparalisado.

O projeto, um remendo feito às pressas para substituir o da reforma administrativa, tem defeitos graves e caso transformado em lei provavelmente será objeto de ação do Ministério Público.

Nem a pressa do governo torna aceitável pagar R$ 8.019,86 a um Diretor de Divisão de Departamento Contábil Financeiro e exigir apenas escolaridade de nível médio.

Ou pagar R$ R$ 5.728,42 a um sujeito para ocupar o cargo quase decorativo de Diretor da Junta Militar.

Aparentemente o projeto foi desenhado não para atender as necessidades do município e sim para arranjar emprego para os aliados políticos.

O descompromisso de quem produziu o projeto fica evidente ao especificar que o diretor do Departamento Técnico-Pedagógico da Secretaria da Educação não precisa ser professor formado, basta ter ensino médio.

Absurdos desse tipo se repetem em todo o projeto que pode ser lido aqui na íntegra.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade