Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Marcelo Achutti peticiona contra reforma da Câmara de Vereadores

Presidente do Legislativo quer gastar R$ 1,3 milhão na obra

Terça, 22/5/2018 7:31.
Divulgação CVBC,
Projeto da reforma que Roberto Junior pretende fazer.

Publicidade

O vereador Marcelo Achutti apresentou ontem à noite requerimento ao presidente da Câmara Roberto Souza Jr. para que este cancele a licitação de reforma no prédio do Legislativo orçada em R$ 1,3 milhão.

Roberto pretende investir em mudanças arquitetônicas sob o argumento que isso trará economia no futuro em pintura da fachada, uso de ar condicionado e eliminação de alagamentos na garagem do prédio sob chuvas fortes que causam despesas com materiais e limpezas.

O vereador Achutti argumenta que com a crise financeira que assola o país gastar em fachadas, hall de entrada e espelhos d´água mais uma vez colocará a opinião pública contra os políticos.

Ele se posiciona a favor de obras que melhorem segurança e acessibilidade, mas pontua que elas não custam R$ 1,3 milhão.

Achutti alega ainda que prédios públicos como centros comunitários e escolas necessitam de reformas e que a Câmara poderia investir o dinheiro nesses equipamentos de uso da população.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação CVBC,
Projeto da reforma que Roberto Junior pretende fazer.
Projeto da reforma que Roberto Junior pretende fazer.

Marcelo Achutti peticiona contra reforma da Câmara de Vereadores

Presidente do Legislativo quer gastar R$ 1,3 milhão na obra

Publicidade

Terça, 22/5/2018 7:31.

O vereador Marcelo Achutti apresentou ontem à noite requerimento ao presidente da Câmara Roberto Souza Jr. para que este cancele a licitação de reforma no prédio do Legislativo orçada em R$ 1,3 milhão.

Roberto pretende investir em mudanças arquitetônicas sob o argumento que isso trará economia no futuro em pintura da fachada, uso de ar condicionado e eliminação de alagamentos na garagem do prédio sob chuvas fortes que causam despesas com materiais e limpezas.

O vereador Achutti argumenta que com a crise financeira que assola o país gastar em fachadas, hall de entrada e espelhos d´água mais uma vez colocará a opinião pública contra os políticos.

Ele se posiciona a favor de obras que melhorem segurança e acessibilidade, mas pontua que elas não custam R$ 1,3 milhão.

Achutti alega ainda que prédios públicos como centros comunitários e escolas necessitam de reformas e que a Câmara poderia investir o dinheiro nesses equipamentos de uso da população.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade