Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
'Precisamos convencer mais gente', diz presidente do Instituto Lula

Terça, 15/5/2018 10:48.
Agência Brasil
Paulo Okamotto

Publicidade

CATIA SEABRA SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

O presidente do Instituto Lula, PauloOkamotto, reconheceu nesta segunda-feira (14) dificuldade de mobilização popular pela libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o dia 7 de abril.

Ao discursar em uma jornada pela defesa da democracia -a oitava edição desde 2015-Okamotto fez um apelo para que petistas e integrantes de movimentos de esquerda parem de pregar para convertidos."Muita gente aqui é convertida. Já sabe da história", disse.

E se esforcem, desde já, para ampliar o movimento em apoio ao ex-presidente."Não da para esperar o processo eleitoral. Tem que ser desde já."

Só assim,coma mobilização de "milhões e milhões depessoas",será possível tirá-lo da prisão,disse.

E, para convencer mais gente épreciso usar a inteligência, disse Okamotto,mas especificamentecomo fazer isso eleainda não sabe,admitiu no discurso.

Lembrando os mais de 40 anos de amizade com Lula, Okamotto disse que, para o ex-presidente, é uma tortura ficar isolado, sem falar de política.E repetiu que Lula é um homem inocente.

"Não consigo imaginar o Lula sem alguém para discutir política. Lamentavelmente, ele está trancado. É quase uma solitária", afirmouOkamotto, quatro dias após visitar o ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Agência Brasil
Paulo Okamotto
Paulo Okamotto

'Precisamos convencer mais gente', diz presidente do Instituto Lula

Publicidade

Terça, 15/5/2018 10:48.

CATIA SEABRA SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

O presidente do Instituto Lula, PauloOkamotto, reconheceu nesta segunda-feira (14) dificuldade de mobilização popular pela libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o dia 7 de abril.

Ao discursar em uma jornada pela defesa da democracia -a oitava edição desde 2015-Okamotto fez um apelo para que petistas e integrantes de movimentos de esquerda parem de pregar para convertidos."Muita gente aqui é convertida. Já sabe da história", disse.

E se esforcem, desde já, para ampliar o movimento em apoio ao ex-presidente."Não da para esperar o processo eleitoral. Tem que ser desde já."

Só assim,coma mobilização de "milhões e milhões depessoas",será possível tirá-lo da prisão,disse.

E, para convencer mais gente épreciso usar a inteligência, disse Okamotto,mas especificamentecomo fazer isso eleainda não sabe,admitiu no discurso.

Lembrando os mais de 40 anos de amizade com Lula, Okamotto disse que, para o ex-presidente, é uma tortura ficar isolado, sem falar de política.E repetiu que Lula é um homem inocente.

"Não consigo imaginar o Lula sem alguém para discutir política. Lamentavelmente, ele está trancado. É quase uma solitária", afirmouOkamotto, quatro dias após visitar o ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade