Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

"Queriam que ela estivesse de burca?", diz ministro sobre vídeo de Cristiane Brasil

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Reprodução.

Quarta, 31/1/2018 6:27.

MARINA DIAS
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Foi de maneira irônica e até um pouco agressiva que o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) respondeu nesta terça-feira (30) às críticas em relação ao vídeo da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), que viralizou nesta semana na internet.

O filme, postado nas redes sociais no domingo (28), mostra a indicada ao Ministério do Trabalho em um barco, cercada por homens sem camisa, defendendo-se da condenação que tem na Justiça do Trabalho.

O episódio gerou repercussão negativa e foi considerado "no mínimo constrangedor" por auxiliares do presidente Michel Temer, que trava uma batalha no Supremo Tribunal Federal para conseguir dar posse à deputada.

"Muita gente bate bumbo pela liberdade, mas na verdade são uns talibãs enrustidos. Queriam que ela estivesse de burca na praia?", disse Marun. "Na praia a gente anda assim. Não sei vocês, vocês vão de quimono, de burca? Eu, quando vou à praia, vou de calção de banho", completou o ministro.

Segundo ele, Cristiane aparece apenas na praia, "ela não está roubando". "Será que todas as pessoas que andam de lancha no litoral do Rio de Janeiro são amorais ou imorais?", questionou Marun.

NOMEAÇÃO

As declarações do chefe da Secretaria de Governo de Temer foram dadas a jornalistas que questionavam a possibilidade de a nomeação de Cristiane Brasil ser debatida na reunião desta terça na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), da qual o ministro e outros deputados participariam.

Marun, porém, interditou o debate. Ele insistia na ideia de que não era relevante a forma como a deputada aparece vestida no vídeo, apesar de ter sido confrontado diversas vezes pelos repórteres de que esse realmente não era o ponto da discussão.

"Se ela vai a praia de maiô, de burca, de saída de banho, não é uma coisa que nos interessa, e eu me recuso a comentar isso poque não faço parte desses grupos que fazem esse patrulhamento comportamental tão rígidos como os senhores fazem", finalizou Marun.

"Não estamos perguntando sobre a roupa, ministro", disse um jornalista. Mas Marun se virou e deixou o local sem dar chances a mais perguntas.

Ainda de acordo com o ministro, o debate sobre a posse de Cristiane –suspensa por um juiz de primeira instância e também pelo STF– deve ser feito na Justiça.

"Temos a mais absoluta convicção de que prevalecerá o necessário respeito à Constituição, que diz que é prerrogativa privativa do presidente nomear e exonerar seus ministros".

CRÍTICAS DO PAI

O vídeo de Cristiane se defendendo de condenação trabalhista foi criticado inclusive por seu pai, o presidente do PTB, Roberto Jefferson (SP). Em suas contas nas redes sociais, Jefferson disse que uma "figura pública deve se portar como uma figura pública".

"Sobre o vídeo, a repercussão fala por si. Também teve muita deturpação. Eram famílias no barco, havia crianças passando. Dito isso, penso que uma figura pública deve se portar como uma figura pública, e usar ferramentas como Facebook e Instagram apenas em caráter institucional", disse o presidente do PTB em sua conta no Twitter. "Aliás, como tem troglodita nas redes, hein? Menos moralismo e menos machismo, por favor", completou.

Cristiane foi condenada a pagar R$ 60 mil por dívidas trabalhistas a um de seus ex-motoristas. Ela também fez acordo com outro profissional, pagando R$ 14 mil para evitar nova condenação.

No vídeo, a deputada se defende: "Juro pra vocês, eu juro pra vocês que eu não achava que tinha nada pra dever para duas pessoas que entraram contra mim e vou provar isso em breve". 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade