Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Política
Projeto de isenção de IPTU para igrejas dá o que falar nas redes sociais

Proposta do vereador Nilson Probst tem dividido opiniões

Terça, 28/8/2018 16:08.
Reprodução/Facebook

Publicidade

Virou polêmica na internet a aprovação de um projeto de autoria do vereador Nilson Probst (MDB) que estabelece a isenção de IPTU para igrejas que funcionem em imóveis alugados. Até a publicação desta matéria, a postagem do vereador comemorando a aprovação já havia recebido mais de 200 comentários, muitos criticando duramente a proposta.

Ao Página 3, Probst disse que quis estender às igrejas sem patrimônio próprio o mesmo direito das que possuem sede própria.

Em sua justificativa, o vereador destaca que “está em tramitação no senado federal uma proposta de emenda à Constitucional (PEC 133/2015), que livra do pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) os imóveis usados por templos de qualquer culto, mesmo que eles sejam alugados”.

Probst reconhece que por se tratar de igrejas, o assunto tenha dividido opiniões, mas argumenta que os cultos religiosos trazem contribuições de “valor incalculável” à sociedade, através da recuperação de drogados, por exemplo.

Também destacou que o projeto não é novo, está protocolado há muito tempo e que as pessoas que criticam tanto deveriam buscar conhecer o trabalho das igrejas na cidade.

O projeto foi aprovado em votação única e segue agora para redação final. Depois ainda passará pela sanção do prefeito.

A postagem que gerou a polêmica:


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução/Facebook

Projeto de isenção de IPTU para igrejas dá o que falar nas redes sociais

Proposta do vereador Nilson Probst tem dividido opiniões

Publicidade

Terça, 28/8/2018 16:08.

Virou polêmica na internet a aprovação de um projeto de autoria do vereador Nilson Probst (MDB) que estabelece a isenção de IPTU para igrejas que funcionem em imóveis alugados. Até a publicação desta matéria, a postagem do vereador comemorando a aprovação já havia recebido mais de 200 comentários, muitos criticando duramente a proposta.

Ao Página 3, Probst disse que quis estender às igrejas sem patrimônio próprio o mesmo direito das que possuem sede própria.

Em sua justificativa, o vereador destaca que “está em tramitação no senado federal uma proposta de emenda à Constitucional (PEC 133/2015), que livra do pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) os imóveis usados por templos de qualquer culto, mesmo que eles sejam alugados”.

Probst reconhece que por se tratar de igrejas, o assunto tenha dividido opiniões, mas argumenta que os cultos religiosos trazem contribuições de “valor incalculável” à sociedade, através da recuperação de drogados, por exemplo.

Também destacou que o projeto não é novo, está protocolado há muito tempo e que as pessoas que criticam tanto deveriam buscar conhecer o trabalho das igrejas na cidade.

O projeto foi aprovado em votação única e segue agora para redação final. Depois ainda passará pela sanção do prefeito.

A postagem que gerou a polêmica:


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade