Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Trump inventa atentado na Suécia e vira piada nas redes sociais

Segunda, 20/2/2017 5:16.

ISABEL FLECK
WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - No comício que fez na tarde de sábado (18) em um hangar em Melbourne, na Flórida, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tentou justificar a necessidade de uma maior restrição à entrada de imigrantes e refugiados usando exemplos de atentados terroristas recentes em Nice, Paris, Bruxelas. E citou o que teria sido mais um: "o que aconteceu ontem à noite na Suécia".

Só que a declaração surpreendeu até mesmo os suecos. O que, afinal, teria acontecido na noite de sexta-feira (17), na Suécia? Aparentemente, nada.

"Veja o que está acontecendo na Alemanha, veja o que aconteceu na noite passada na Suécia", disse Trump. "Suécia. Quem acreditaria nisso? Suécia. Eles receberam um alto número de [refugiados]. Eles estão tendo problemas como nunca acharam ser possível", completou.

O ex-primeiro-ministro sueco Carl Bildt reagiu pelo Twitter: "Suécia? Ataque terrorista? O que ele tem fumado? São muitas as perguntas".

A declaração virou alvo de piada nas redes sociais no país -e a imprensa americana ficou tentando entender como a Suécia teria entrado nessa lista de Trump.

O "The New York Times" levantou a possibilidade de que o presidente tenha sido influenciado por uma entrevista recente dada pelo cineasta sueco Ami Horowitz à Fox News dizendo que os imigrantes estariam associados a uma onda de crimes no país. Declaração que aparentemente também não se baseia em números.

A Suécia registrou um ataque terrorista em 2010 -muito antes do aumento recente do fluxo de migrantes e refugiados-, quando um iraquiano com dupla nacionalidade explodiu uma bomba no centro de Estocolmo ferindo duas pessoas.

Mesmo nos exemplos usados por Trump de atentados que de fato ocorreram em Nice, Bruxelas e Paris, a justificativa do republicano não se aplicaria. Quase todos os envolvidos nos ataques eram cidadãos franceses ou belgas.

A usuária do Twitter Jeanna Skinner publicou o seguinte tuíte: "Depois dos eventos terríveis da noite passada na Suécia, a [loja de móveis sueca] vendeu todos os itens em estoque disto", acompanhado de uma imagem de um muro de fronteira para montar em casa, em referência à barreira prometida por Trump na fronteira com o México.

O usuário Percy Dashwood tuitou: "Enquanto isto, na Suécia, hordas deles estão entrando pela fronteira", acompanhado de um imagem de veados na neve.

Já o usuário Marcelo Diaz publicou: "Segundo a inteligência da Casa Branca, quatro foram presos noite passada na Suécia após um grande massacre contra a moda ocorrido há alguns anos", acompanhado de uma imagem dos integrantes da banda sueca ABBA vestidos apenas com folhas de papel alumínio. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Política

Fabrício Oliveira é acusado de omissão em relação ao loteamento clandestino Vila Fortaleza


Política


Cidade

Devido a declarações falsas, BC Port é alvo de investigação 


Cidade

Vice-prefeito quer estudar o assunto com mais cuidado 


Publicidade


Publicidade


Saúde

Evento é especial para mulheres e inscrições estão abertas


Esportes


Publicidade

Revestimento que já foi sucesso é tendência novamente


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Trump inventa atentado na Suécia e vira piada nas redes sociais

Segunda, 20/2/2017 5:16.

ISABEL FLECK
WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - No comício que fez na tarde de sábado (18) em um hangar em Melbourne, na Flórida, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tentou justificar a necessidade de uma maior restrição à entrada de imigrantes e refugiados usando exemplos de atentados terroristas recentes em Nice, Paris, Bruxelas. E citou o que teria sido mais um: "o que aconteceu ontem à noite na Suécia".

Só que a declaração surpreendeu até mesmo os suecos. O que, afinal, teria acontecido na noite de sexta-feira (17), na Suécia? Aparentemente, nada.

"Veja o que está acontecendo na Alemanha, veja o que aconteceu na noite passada na Suécia", disse Trump. "Suécia. Quem acreditaria nisso? Suécia. Eles receberam um alto número de [refugiados]. Eles estão tendo problemas como nunca acharam ser possível", completou.

O ex-primeiro-ministro sueco Carl Bildt reagiu pelo Twitter: "Suécia? Ataque terrorista? O que ele tem fumado? São muitas as perguntas".

A declaração virou alvo de piada nas redes sociais no país -e a imprensa americana ficou tentando entender como a Suécia teria entrado nessa lista de Trump.

O "The New York Times" levantou a possibilidade de que o presidente tenha sido influenciado por uma entrevista recente dada pelo cineasta sueco Ami Horowitz à Fox News dizendo que os imigrantes estariam associados a uma onda de crimes no país. Declaração que aparentemente também não se baseia em números.

A Suécia registrou um ataque terrorista em 2010 -muito antes do aumento recente do fluxo de migrantes e refugiados-, quando um iraquiano com dupla nacionalidade explodiu uma bomba no centro de Estocolmo ferindo duas pessoas.

Mesmo nos exemplos usados por Trump de atentados que de fato ocorreram em Nice, Bruxelas e Paris, a justificativa do republicano não se aplicaria. Quase todos os envolvidos nos ataques eram cidadãos franceses ou belgas.

A usuária do Twitter Jeanna Skinner publicou o seguinte tuíte: "Depois dos eventos terríveis da noite passada na Suécia, a [loja de móveis sueca] vendeu todos os itens em estoque disto", acompanhado de uma imagem de um muro de fronteira para montar em casa, em referência à barreira prometida por Trump na fronteira com o México.

O usuário Percy Dashwood tuitou: "Enquanto isto, na Suécia, hordas deles estão entrando pela fronteira", acompanhado de um imagem de veados na neve.

Já o usuário Marcelo Diaz publicou: "Segundo a inteligência da Casa Branca, quatro foram presos noite passada na Suécia após um grande massacre contra a moda ocorrido há alguns anos", acompanhado de uma imagem dos integrantes da banda sueca ABBA vestidos apenas com folhas de papel alumínio. 

Publicidade

Publicidade