Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Conservatório de Música de Itajaí poderá mudar de nome
Divulgação

Terça, 4/4/2017 15:00.

Mudar o nome do Conservatório de Música Popular de Itajaí está na pauta desta terça-feira, na Câmara de Vereadores. Em votação única os vereadores aprovarão o projeto de lei de autoria do Legislativo, que homenageará o cantor e compositor Carlos Alberto Niehues, conhecido como Carlinhos Niehues que completaria 60 anos em 2017. O projeto de lei, de autoria do vereador Thiago Morastoni tem apoio de outros 15 vereadores.

“É uma justa homenagem que a cidade faz ao compositor, lembrado desde o início das atividades do Conservatório em 2007. A primeira turma formada recebeu o nome do músico itajaiense”, disse o diretor do Conservatório Eliezer Patisse.

Songbook

A obra de Carlinhos Niehues também será lembrada com a publicação de um songbook: livro, partitura, diário, que reúne a história e a produção musical do artista, natural de Itajaí. A obra contemplada com a Lei de Incentivo à Cultura, apresentará um concerto com artistas que têm Carlinhos Niehues como referência. O espetáculo será nesta quinta (6), no Teatro Municipal de Itajaí.

O livro, organizado pela então esposa do músico, Ana Lúcia Niehues, é composto por letras de 22 músicas (uma delas inédita) com partituras elaboradas pelo músico Arnou de Melo e arte assinada por Silvana Rocha.

Lançamento

O evento de lançamento do Songbook Carlinhos Niehues começará às 20h com performance poética dos atores Ana Luísa Marcolina, Heric Jovita e Rodolfo Lemos, com direção de Marcelo de Souza.

Em seguida, show musical com Arnou de Melo, Bárbara Damásio, Daniel Montero, Eliezer Patissi, Giana Cervi, Giovanni Sagaz, Louise Lucena, Peninha e Willian Goe.

Os ingressos para o espetáculo desta quinta-feira custam R$ 10 e R$ 5 meia-entrada, à venda na bilheteria do Teatro. O Songbook custa R$ 100 para pagamento apenas em dinheiro.

O músico

Nascido em 1957 em Itajaí, Carlinhos morreu após se envolver em um acidente de carro aos 37 anos. Embora com a trajetória interrompida prematuramente em 1994, o legado de Carlinhos é uma das marcas fortes no cenário musical catarinense.

Começou na música aos 14 anos com estudos de violão clássico e pesquisas da música popular brasileira (MPB). Aos 21 anos formou o grupo musical Araitá, introduzido suas composições no repertório, que também fez parte de apresentações do grupo vocal Boca Livre, de Florianópolis. Niehues participou em trabalhos das bandas Quarta Redenção, Grupo Expresso e Opus 57 e do cantor Beto Mondadori.

Em 1987 partiu para os Estados Unidos e se graduou no Musicians Institute em Los Angeles. Em 1990 ele apresentou aos mestres do instituto uma prévia do show “Antigo Lugar”, composto por músicas gravadas originalmente em cassete.

De volta ao Brasil, no final de 1990, Niehues continuou sua trajetória na música. Em 1992 fundou em Itajaí, com Arnou de Melo e Carlos Coria, o primeiro instituto de música popular de Santa Catarina, o Dr. Muzik. Em 1993 viajou pelo estado em turnê com seu último show, “Antigo lugar”.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Conservatório de Música de Itajaí poderá mudar de nome

Divulgação
Terça, 4/4/2017 15:00.

Mudar o nome do Conservatório de Música Popular de Itajaí está na pauta desta terça-feira, na Câmara de Vereadores. Em votação única os vereadores aprovarão o projeto de lei de autoria do Legislativo, que homenageará o cantor e compositor Carlos Alberto Niehues, conhecido como Carlinhos Niehues que completaria 60 anos em 2017. O projeto de lei, de autoria do vereador Thiago Morastoni tem apoio de outros 15 vereadores.

“É uma justa homenagem que a cidade faz ao compositor, lembrado desde o início das atividades do Conservatório em 2007. A primeira turma formada recebeu o nome do músico itajaiense”, disse o diretor do Conservatório Eliezer Patisse.

Songbook

A obra de Carlinhos Niehues também será lembrada com a publicação de um songbook: livro, partitura, diário, que reúne a história e a produção musical do artista, natural de Itajaí. A obra contemplada com a Lei de Incentivo à Cultura, apresentará um concerto com artistas que têm Carlinhos Niehues como referência. O espetáculo será nesta quinta (6), no Teatro Municipal de Itajaí.

O livro, organizado pela então esposa do músico, Ana Lúcia Niehues, é composto por letras de 22 músicas (uma delas inédita) com partituras elaboradas pelo músico Arnou de Melo e arte assinada por Silvana Rocha.

Lançamento

O evento de lançamento do Songbook Carlinhos Niehues começará às 20h com performance poética dos atores Ana Luísa Marcolina, Heric Jovita e Rodolfo Lemos, com direção de Marcelo de Souza.

Em seguida, show musical com Arnou de Melo, Bárbara Damásio, Daniel Montero, Eliezer Patissi, Giana Cervi, Giovanni Sagaz, Louise Lucena, Peninha e Willian Goe.

Os ingressos para o espetáculo desta quinta-feira custam R$ 10 e R$ 5 meia-entrada, à venda na bilheteria do Teatro. O Songbook custa R$ 100 para pagamento apenas em dinheiro.

O músico

Nascido em 1957 em Itajaí, Carlinhos morreu após se envolver em um acidente de carro aos 37 anos. Embora com a trajetória interrompida prematuramente em 1994, o legado de Carlinhos é uma das marcas fortes no cenário musical catarinense.

Começou na música aos 14 anos com estudos de violão clássico e pesquisas da música popular brasileira (MPB). Aos 21 anos formou o grupo musical Araitá, introduzido suas composições no repertório, que também fez parte de apresentações do grupo vocal Boca Livre, de Florianópolis. Niehues participou em trabalhos das bandas Quarta Redenção, Grupo Expresso e Opus 57 e do cantor Beto Mondadori.

Em 1987 partiu para os Estados Unidos e se graduou no Musicians Institute em Los Angeles. Em 1990 ele apresentou aos mestres do instituto uma prévia do show “Antigo Lugar”, composto por músicas gravadas originalmente em cassete.

De volta ao Brasil, no final de 1990, Niehues continuou sua trajetória na música. Em 1992 fundou em Itajaí, com Arnou de Melo e Carlos Coria, o primeiro instituto de música popular de Santa Catarina, o Dr. Muzik. Em 1993 viajou pelo estado em turnê com seu último show, “Antigo lugar”.

Publicidade

Publicidade