Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Vereador quer acabar com salário do vice-prefeito

Terça, 31/5/2016 8:16.

O vereador Marcelo Achutti (PP) protocolou na Câmara de Balneário Camboriú um projeto para acabar com o subsídio do vice-prefeito a partir do próximo mandato. Ele admite que se inspirou em um projeto que acaba de ser aprovado na Câmara de Blumenau e que extingue o salário para o vice quando ele não estiver em exercício da função de prefeito.

Achutti defendeu que o cargo de vice é figurativo e apenas político quando ele não está substituindo o prefeito.

"Na Lei Orgânica Municipal, não há qualquer obrigação designada à atividade do vice-prefeito, não há função específica, não existe jornada definida e ele não responde hierarquicamente a ninguém. É um cargo figurativo, na verdade que não existe trabalho sem remuneração, verdade é que não existe também remuneração sem trabalho", justifica o autor.

O texto ainda prevê que quando o vice estiver substituindo o prefeito, receberá pagamento correspondendo ao salário do prefeito, hoje fixado em pouco mais de R$ 18 mil, proporcionalmente aos dias trabalhados. O salário de vice hoje é de pouco mais de R$ 9 mil.

A proposta ainda não chegou a ser colocada em votação, mas precisa convencer não só os vereadores, como ser sancionada pelo prefeito.

E você leitor, o que acha do projeto? Comente.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Variedades

A chegada do bom velhinho também dá inicio a uma intensa programação cultural  


Cidade

Toda a comunidade pode participar no próximo domingo


Cidade

Centro de Eventos de Balneário Camboriú será o maior do Sul do país  


Cidade

Obra é cara e mal explicada 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Vereador quer acabar com salário do vice-prefeito

Terça, 31/5/2016 8:16.

O vereador Marcelo Achutti (PP) protocolou na Câmara de Balneário Camboriú um projeto para acabar com o subsídio do vice-prefeito a partir do próximo mandato. Ele admite que se inspirou em um projeto que acaba de ser aprovado na Câmara de Blumenau e que extingue o salário para o vice quando ele não estiver em exercício da função de prefeito.

Achutti defendeu que o cargo de vice é figurativo e apenas político quando ele não está substituindo o prefeito.

"Na Lei Orgânica Municipal, não há qualquer obrigação designada à atividade do vice-prefeito, não há função específica, não existe jornada definida e ele não responde hierarquicamente a ninguém. É um cargo figurativo, na verdade que não existe trabalho sem remuneração, verdade é que não existe também remuneração sem trabalho", justifica o autor.

O texto ainda prevê que quando o vice estiver substituindo o prefeito, receberá pagamento correspondendo ao salário do prefeito, hoje fixado em pouco mais de R$ 18 mil, proporcionalmente aos dias trabalhados. O salário de vice hoje é de pouco mais de R$ 9 mil.

A proposta ainda não chegou a ser colocada em votação, mas precisa convencer não só os vereadores, como ser sancionada pelo prefeito.

E você leitor, o que acha do projeto? Comente.

Publicidade

Publicidade