Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Romário divulga nota com críticas ao governo Temer
Marcos Oliveira/AS.
Romário parece ser dissidência entre os favoráveis ao impeachment.

Quinta, 2/6/2016 9:09.

Brasília, 01 - O senador Romário (PSB-RJ) divulgou uma nota em que justifica sua saída da comissão do impeachment. Apesar de não vincular a decisão a uma possível mudança de voto, o senador fez críticas ao governo do presidente em exercício Michel Temer.

"Abri mão da vaga de titular da Comissão do Impeachment. De agora em diante, vou acompanhar os trabalhos como não membro, já que isso é possível. Sou presidente da Comissão de Educação, da CPI do Futebol e atuo em importantes causas sociais que não podem ser deixadas de lado. Não há que se falar em mudança de voto porque são dois votos distintos. No primeiro, votei pela continuidade da investigação. O segundo e definitivo voto será para julgar o crime de responsabilidade", escreveu Romário.

De acordo com Romário, ele foi crítico ao governo Dilma e votou a favor da abertura do processo de impeachment para que houvesse a oportunidade de se aprofundar nas investigações. Em seguida, o senador colocou diversas críticas à gestão Temer e disse que analisará o "conjunto da obra".

"No lugar de ministros "notáveis", conforme Temer prometeu, tivemos ministros investigados. Vimos ministérios estratégicos para o País serem fundidos e perderem relevância, como o fundamental Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação. Assim como a extinção do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos", criticou.

O senador também disse que temas relevantes perderam a importância, citando a situação da secretaria das pessoas com deficiência, que foi alocada no Ministério da Justiça. Ele também criticou a extinção do Ministério da Previdência Social e da Controladoria-Geral da União, apontando que a decisão prejudica o combate à corrupção.

Mudança de voto - A saída de Romário da comissão do impeachment é, de certa forma, uma sinalização da sua mudança de voto. Isso porque o PSB fechou questão em favor do impeachment e indicou para a comissão apenas senadores com esse posicionamento. No lugar de Romário, vai integrar a comissão a senadora Lúcia Vânia (PSB-GO). (Isabela Bonfim/AE)) 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Cidade

 Prefeitura começará a internar usuários de drogas


Mundo

Um dos principais destinos turísticos do mundo sofre com algas desde 2015


Geral

O cantor Armandinho organiza o festival, que tem entrada gratuita


Política

Derrota do governo é resposta de Maia à queda de Bebianno


Publicidade


Publicidade


Política

Ele aparentemente fez escolhas erradas em seu caminho político 


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Policia

Gaúcho comeu no restaurante e não tinha dinheiro para pagar


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Romário divulga nota com críticas ao governo Temer

Marcos Oliveira/AS.
Romário parece ser dissidência entre os favoráveis ao impeachment.
Romário parece ser dissidência entre os favoráveis ao impeachment.
Quinta, 2/6/2016 9:09.

Brasília, 01 - O senador Romário (PSB-RJ) divulgou uma nota em que justifica sua saída da comissão do impeachment. Apesar de não vincular a decisão a uma possível mudança de voto, o senador fez críticas ao governo do presidente em exercício Michel Temer.

"Abri mão da vaga de titular da Comissão do Impeachment. De agora em diante, vou acompanhar os trabalhos como não membro, já que isso é possível. Sou presidente da Comissão de Educação, da CPI do Futebol e atuo em importantes causas sociais que não podem ser deixadas de lado. Não há que se falar em mudança de voto porque são dois votos distintos. No primeiro, votei pela continuidade da investigação. O segundo e definitivo voto será para julgar o crime de responsabilidade", escreveu Romário.

De acordo com Romário, ele foi crítico ao governo Dilma e votou a favor da abertura do processo de impeachment para que houvesse a oportunidade de se aprofundar nas investigações. Em seguida, o senador colocou diversas críticas à gestão Temer e disse que analisará o "conjunto da obra".

"No lugar de ministros "notáveis", conforme Temer prometeu, tivemos ministros investigados. Vimos ministérios estratégicos para o País serem fundidos e perderem relevância, como o fundamental Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação. Assim como a extinção do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos", criticou.

O senador também disse que temas relevantes perderam a importância, citando a situação da secretaria das pessoas com deficiência, que foi alocada no Ministério da Justiça. Ele também criticou a extinção do Ministério da Previdência Social e da Controladoria-Geral da União, apontando que a decisão prejudica o combate à corrupção.

Mudança de voto - A saída de Romário da comissão do impeachment é, de certa forma, uma sinalização da sua mudança de voto. Isso porque o PSB fechou questão em favor do impeachment e indicou para a comissão apenas senadores com esse posicionamento. No lugar de Romário, vai integrar a comissão a senadora Lúcia Vânia (PSB-GO). (Isabela Bonfim/AE)) 

Publicidade

Publicidade