Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Piruka quer que PROCON fiscalize cobrança do estacionamento do Balneário Shopping
Divulgação

Quinta, 21/7/2016 11:48.

O vereador Leonardo Piruka ingressou na segunda-feira (11) com um requerimento pedindo ao PROCON que fiscalize o estacionamento do Balneário Shopping a respeito do fracionamento do local.

A cobrança de estacionamento fracionado em Balneário Camboriú está em vigor desde 2014, mas empresários que possuem estacionamentos entraram em contato com o vereador Piruka alegando que o shopping não está respeitando a lei. Teoricamente, as empresas que não respeitassem seriam multadas.

O valor deveria ser cobrado em períodos de 10 minutos, considerando que há clientes que vão ao local por pouco tempo, e de fato o empreendimento só cobra por hora.

Após uma reunião convocada pelo vereador com os advogados Sânzio Rodrigues e Melkis Cardoso, estudiosos da área da defesa do consumidor, Piruka protocolou um requerimento cobrando do poder público municipal, o motivo da não fiscalização da lei municipal do fracionamento de estacionamento no caso do Balneário Shopping.

O vereador lembra que todos os estacionamentos privativos da cidade devem cumprir a lei, e que não é porque o estacionamento está dentro de um grande centro comercial que pode desrespeitar.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Piruka quer que PROCON fiscalize cobrança do estacionamento do Balneário Shopping

Divulgação
Quinta, 21/7/2016 11:48.

O vereador Leonardo Piruka ingressou na segunda-feira (11) com um requerimento pedindo ao PROCON que fiscalize o estacionamento do Balneário Shopping a respeito do fracionamento do local.

A cobrança de estacionamento fracionado em Balneário Camboriú está em vigor desde 2014, mas empresários que possuem estacionamentos entraram em contato com o vereador Piruka alegando que o shopping não está respeitando a lei. Teoricamente, as empresas que não respeitassem seriam multadas.

O valor deveria ser cobrado em períodos de 10 minutos, considerando que há clientes que vão ao local por pouco tempo, e de fato o empreendimento só cobra por hora.

Após uma reunião convocada pelo vereador com os advogados Sânzio Rodrigues e Melkis Cardoso, estudiosos da área da defesa do consumidor, Piruka protocolou um requerimento cobrando do poder público municipal, o motivo da não fiscalização da lei municipal do fracionamento de estacionamento no caso do Balneário Shopping.

O vereador lembra que todos os estacionamentos privativos da cidade devem cumprir a lei, e que não é porque o estacionamento está dentro de um grande centro comercial que pode desrespeitar.

Publicidade

Publicidade