Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Piruka propõe mais uma bolsa para onerar cofres públicos
Reprodução

Quarta, 24/2/2016 8:10.

Está na pauta de votações de hoje (24) da Câmara de Balneário Camboriú, projeto de autoria do vereador Leonardo Piruka que cria uma bolsa para pagamento com recursos do município de até metade das mensalidades de universitários considerados carentes. A proposta de Piruka, em tempos de crise e ano eleitoral, trata o já comprometido dinheiro dos cofres públicos com irresponsabilidade.

Este é o segundo projeto de concessão de bolsa que é colocado em pauta nos últimos dias. O outro, uma espécie de Bolsa Família, proposto pelo Executivo deve voltar à pauta em breve.

O projeto

O benefício se estende para cursos da Univali, Avantis e Sociesc e outras instituições até 60km de Balneário, apenas em casos de cursos não oferecidos pelas três universidades já citadas.

Segundo o projeto, para receber o benefício o universitário deverá residir na cidade há pelo menos dois anos e não ter renda pessoal ou familiar superior a seis salários mínimos e não usufruir de subsídios financeiros educativos de qualquer natureza.

Se for aprovado, o interessado deverá ser cadastrado na Inclusão Social.

O texto prevê que o percentual dos valores das bolsas será determinado pela comissão de bolsa de estudos, formada por representantes da própria prefeitura e das universidades da cidade.

Benefícios

I - para candidatos com renda per capita líquida de 1 (um) a 2 (dois) salários mínimos: até 50% (cinquenta por cento), sobre o valor da mensalidade;
II - para candidatos com renda per capita líquida superior a 2 (dois) até 3 (três) salários mínimos: até 35% (trinta e cinco por cento), sobre o valor da mensalidade;
III - para candidatos com renda per capita superior a 3 (três) salários mínimos: até 20% (vinte por cento), sobre o valor da mensalidade.

Quem receber o benefício terá que cumprir 60 horas semestrais de participação em programas de ação social compatíveis com o curso ou de acordo com as habilidades pessoais.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Piruka propõe mais uma bolsa para onerar cofres públicos

Reprodução
Quarta, 24/2/2016 8:10.

Está na pauta de votações de hoje (24) da Câmara de Balneário Camboriú, projeto de autoria do vereador Leonardo Piruka que cria uma bolsa para pagamento com recursos do município de até metade das mensalidades de universitários considerados carentes. A proposta de Piruka, em tempos de crise e ano eleitoral, trata o já comprometido dinheiro dos cofres públicos com irresponsabilidade.

Este é o segundo projeto de concessão de bolsa que é colocado em pauta nos últimos dias. O outro, uma espécie de Bolsa Família, proposto pelo Executivo deve voltar à pauta em breve.

O projeto

O benefício se estende para cursos da Univali, Avantis e Sociesc e outras instituições até 60km de Balneário, apenas em casos de cursos não oferecidos pelas três universidades já citadas.

Segundo o projeto, para receber o benefício o universitário deverá residir na cidade há pelo menos dois anos e não ter renda pessoal ou familiar superior a seis salários mínimos e não usufruir de subsídios financeiros educativos de qualquer natureza.

Se for aprovado, o interessado deverá ser cadastrado na Inclusão Social.

O texto prevê que o percentual dos valores das bolsas será determinado pela comissão de bolsa de estudos, formada por representantes da própria prefeitura e das universidades da cidade.

Benefícios

I - para candidatos com renda per capita líquida de 1 (um) a 2 (dois) salários mínimos: até 50% (cinquenta por cento), sobre o valor da mensalidade;
II - para candidatos com renda per capita líquida superior a 2 (dois) até 3 (três) salários mínimos: até 35% (trinta e cinco por cento), sobre o valor da mensalidade;
III - para candidatos com renda per capita superior a 3 (três) salários mínimos: até 20% (vinte por cento), sobre o valor da mensalidade.

Quem receber o benefício terá que cumprir 60 horas semestrais de participação em programas de ação social compatíveis com o curso ou de acordo com as habilidades pessoais.

 

Publicidade

Publicidade