Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Polícia Civil fiscaliza prisões domiciliares em SC: de 80, 39 não foram encontrados

Sexta, 8/5/2020 16:42.
Divulgação

Publicidade

A Polícia Civil vem realizando nesta semana uma operação para fiscalizar o cumprimento das condições das prisões domiciliares em Santa Catarina, focando nos apenados com vínculo com organizações criminosas. Mesmo em tempos de quarentena, dos 80 fiscalizados até quinta-feira (7) 39 não foram encontrados, ou seja, descumpriam as condições estipuladas. Em Balneário e região houveram três fiscalizações. Os apenados fiscalizados haviam sido liberados entre 16 de março e 17 de abril.

Em Balneário Camboriú a ação foi coordenada pelo delegado Vicente de Assis Mesquita Soares, responsável pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) da cidade. Segundo ele, foram fiscalizadas três pessoas, duas em Itapema e uma em Balneário. Todos estavam cumprindo as medidas.

Porém, no restante de Santa Catarina a situação foi um pouco diferente. A ação envolve, ao todo, 28 delegacias regionais. Foram fiscalizados até a tarde de quinta-feira (7) 80 apenados com vínculo com organização criminosa. Dos 80, 39 não foram encontrados pelos policiais civis nos endereços informados, o percentual equivale a 48,75% do total das fiscalizações realizadas.

Dos 39 apenados, cinco deles já haviam sido presos novamente e um foi capturado no momento da fiscalização por ter mandado de prisão em aberto. O restante, 41 fiscalizados, cumpria as medidas.

O presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, comentou a operação, salientando que a Polícia Civil sentiu a necessidade de verificar se os apenados estavam obedecendo as ordens, e afirmou que ‘para surpresa, praticamente 50% deles’ não estavam cumprindo as determinações da prisão domiciliar.

“A Polícia Civil não pode furtar-se e irá agir em defesa da sociedade e principalmente no cumprimento da lei”, disse.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Divulgação

Polícia Civil fiscaliza prisões domiciliares em SC: de 80, 39 não foram encontrados

Publicidade

Sexta, 8/5/2020 16:42.

A Polícia Civil vem realizando nesta semana uma operação para fiscalizar o cumprimento das condições das prisões domiciliares em Santa Catarina, focando nos apenados com vínculo com organizações criminosas. Mesmo em tempos de quarentena, dos 80 fiscalizados até quinta-feira (7) 39 não foram encontrados, ou seja, descumpriam as condições estipuladas. Em Balneário e região houveram três fiscalizações. Os apenados fiscalizados haviam sido liberados entre 16 de março e 17 de abril.

Em Balneário Camboriú a ação foi coordenada pelo delegado Vicente de Assis Mesquita Soares, responsável pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) da cidade. Segundo ele, foram fiscalizadas três pessoas, duas em Itapema e uma em Balneário. Todos estavam cumprindo as medidas.

Porém, no restante de Santa Catarina a situação foi um pouco diferente. A ação envolve, ao todo, 28 delegacias regionais. Foram fiscalizados até a tarde de quinta-feira (7) 80 apenados com vínculo com organização criminosa. Dos 80, 39 não foram encontrados pelos policiais civis nos endereços informados, o percentual equivale a 48,75% do total das fiscalizações realizadas.

Dos 39 apenados, cinco deles já haviam sido presos novamente e um foi capturado no momento da fiscalização por ter mandado de prisão em aberto. O restante, 41 fiscalizados, cumpria as medidas.

O presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, comentou a operação, salientando que a Polícia Civil sentiu a necessidade de verificar se os apenados estavam obedecendo as ordens, e afirmou que ‘para surpresa, praticamente 50% deles’ não estavam cumprindo as determinações da prisão domiciliar.

“A Polícia Civil não pode furtar-se e irá agir em defesa da sociedade e principalmente no cumprimento da lei”, disse.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade