Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Polícia
Polícia acredita que empresário de Balneário Camboriú pode ter sido morto por engano

Até o momento ninguém foi preso

Terça, 19/11/2019 12:00.

Publicidade

O empresário Marcelo Fernando da Silva Junior, 29 anos, morto na noite de quinta-feira (14) por dois homens que roubaram um posto de gasolina na Quinta Avenida, em Balneário Camboriú, pode não ter sido o alvo dos disparos. Até esse momento da investigação, a Polícia Civil acredita que os bandidos atiraram no Shopping Mumu, onde Marcelo estava, e o atingiram por engano.

Segundo o delegado Vicente Soares, responsável pela Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Balneário Camboriú, há uma ‘grande possibilidade’ de Marcelo e as duas outras mulheres (elas foram socorridas e passam bem – Marcelo chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos) que estavam com ele não serem os alvos dos homens, até porque havia muitas pessoas no local.

O delegado informou que até o momento a investigação mostra que não há motivo para Marcelo e as mulheres terem sido baleados. Nenhum deles possuía passagem pela polícia. O trio estava lanchando no Shopping Mumu, após terem feito um serviço para a gráfica onde trabalhavam, a Grafpress.

A Polícia Civil informou ainda que os tiros foram disparados por ocupantes de um carro prata que passou em frente ao local.

Até o momento ninguém foi preso.

As imagens das câmeras de segurança da região também serão analisadas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3

Polícia acredita que empresário de Balneário Camboriú pode ter sido morto por engano

Até o momento ninguém foi preso

Publicidade

Terça, 19/11/2019 12:00.

O empresário Marcelo Fernando da Silva Junior, 29 anos, morto na noite de quinta-feira (14) por dois homens que roubaram um posto de gasolina na Quinta Avenida, em Balneário Camboriú, pode não ter sido o alvo dos disparos. Até esse momento da investigação, a Polícia Civil acredita que os bandidos atiraram no Shopping Mumu, onde Marcelo estava, e o atingiram por engano.

Segundo o delegado Vicente Soares, responsável pela Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Balneário Camboriú, há uma ‘grande possibilidade’ de Marcelo e as duas outras mulheres (elas foram socorridas e passam bem – Marcelo chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos) que estavam com ele não serem os alvos dos homens, até porque havia muitas pessoas no local.

O delegado informou que até o momento a investigação mostra que não há motivo para Marcelo e as mulheres terem sido baleados. Nenhum deles possuía passagem pela polícia. O trio estava lanchando no Shopping Mumu, após terem feito um serviço para a gráfica onde trabalhavam, a Grafpress.

A Polícia Civil informou ainda que os tiros foram disparados por ocupantes de um carro prata que passou em frente ao local.

Até o momento ninguém foi preso.

As imagens das câmeras de segurança da região também serão analisadas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade