Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Três dos oito envolvidos no assalto ao aeroporto de Blumenau foram presos
Divulgação PMSC

Quarta, 20/3/2019 9:11.

 A grande movimentação da Polícia Militar nesta terça-feira chamou a atenção e culminou com a prisão de três envolvidos no assalto ao aeroporto de Blumenau, ocorrido na quinta-feira (14). Parte dos R$ 9,8 milhões foi recuperada no Hotel Rocha, que fica na Avenida Sete de Setembro, em Itajaí, mas o valor não foi informado.

Segundo a Polícia Militar, o primeiro homem, Tiago Cristiano Schuster, foi preso nas proximidades da Igreja de São Domingos, em Navegantes, e os outros dois, Ricardo Freitas Filho e Juliano Mocelin da Luz, em Gaspar.

No Hotel Rocha havia parte do valor roubado no aeroporto e itens utilizados no crime, como munições, radiocomunicadores, fardas camufladas, coletes a prova de bala, bananas de dinamite e os malotes onde estava armazenado o dinheiro.

O representante do Bope, capitão Cristofer Tiemann, explicou em coletiva de imprensa que todos os explosivos encontrados durante a operação foram detonados. “Quase 20kg desse material foram encontrados, removemos tudo com segurança, os desativamos e será feito um laudo, que ficará à disposição da Justiça”, disse.

As buscam continuam, principalmente em Itajaí e Balneário Camboriú. Até o momento sabe-se que o crime estava sendo planejado há pelo menos três meses, e que os oito envolvidos utilizaram uma casa no Morro do Baú, em Ilhota, para discutir as ações. ]

Eles também estavam com uma Sprinter, imitando uma ambulância do SAMU, e com carros de luxo com placas clonadas. Ao todo, quatro veículos foram recuperados.

Relembre o crime

Os bandidos, encapuzados, invadiram o aeroporto na tarde de quinta-feira. A ação foi violenta: uma jovem de 22 anos, Edivânia Maria de Oliveira, que trabalhava nas proximidades, foi vítima de bala perdida e faleceu; dois vigilantes da Brinks Logística de Valores, empresa responsável pelos malotes, também ficaram feridos.

Os ladrões utilizaram fuzis AK-47 e inclusive munição antiaérea. A suspeita é que os assaltantes tiveram informações privilegiadas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Três dos oito envolvidos no assalto ao aeroporto de Blumenau foram presos

Divulgação PMSC

Publicidade

Quarta, 20/3/2019 9:11.

 A grande movimentação da Polícia Militar nesta terça-feira chamou a atenção e culminou com a prisão de três envolvidos no assalto ao aeroporto de Blumenau, ocorrido na quinta-feira (14). Parte dos R$ 9,8 milhões foi recuperada no Hotel Rocha, que fica na Avenida Sete de Setembro, em Itajaí, mas o valor não foi informado.

Segundo a Polícia Militar, o primeiro homem, Tiago Cristiano Schuster, foi preso nas proximidades da Igreja de São Domingos, em Navegantes, e os outros dois, Ricardo Freitas Filho e Juliano Mocelin da Luz, em Gaspar.

No Hotel Rocha havia parte do valor roubado no aeroporto e itens utilizados no crime, como munições, radiocomunicadores, fardas camufladas, coletes a prova de bala, bananas de dinamite e os malotes onde estava armazenado o dinheiro.

O representante do Bope, capitão Cristofer Tiemann, explicou em coletiva de imprensa que todos os explosivos encontrados durante a operação foram detonados. “Quase 20kg desse material foram encontrados, removemos tudo com segurança, os desativamos e será feito um laudo, que ficará à disposição da Justiça”, disse.

As buscam continuam, principalmente em Itajaí e Balneário Camboriú. Até o momento sabe-se que o crime estava sendo planejado há pelo menos três meses, e que os oito envolvidos utilizaram uma casa no Morro do Baú, em Ilhota, para discutir as ações. ]

Eles também estavam com uma Sprinter, imitando uma ambulância do SAMU, e com carros de luxo com placas clonadas. Ao todo, quatro veículos foram recuperados.

Relembre o crime

Os bandidos, encapuzados, invadiram o aeroporto na tarde de quinta-feira. A ação foi violenta: uma jovem de 22 anos, Edivânia Maria de Oliveira, que trabalhava nas proximidades, foi vítima de bala perdida e faleceu; dois vigilantes da Brinks Logística de Valores, empresa responsável pelos malotes, também ficaram feridos.

Os ladrões utilizaram fuzis AK-47 e inclusive munição antiaérea. A suspeita é que os assaltantes tiveram informações privilegiadas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade