Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Dupla tentou se passar por pesquisadores do IBGE em Balneário Camboriú
Reprodução
Foto meramente ilustrativa

Segunda, 6/5/2019 16:41.

Dois homens, de 28 e 45 anos, passaram por prédios no Bairro dos Pioneiros, na manhã de hoje (6), identificando-se como pesquisadores do IBGE e desta forma, tentaram conseguir informações sobre os moradores, mas quando foram flagrados pela polícia informaram que vendiam livros.

O caso aconteceu pouco depois das 10h de hoje (6), na rua Julieta Lins. O Página 3 recebeu informações de um leitor, que preferiu não se identificar, mas estranhou porque logo que chegaram ao edifício, os homens falaram que passam pelo local ‘todos os anos’, o que deixou a pessoa ainda mais desconfiada, porque nunca viu a dupla por ali.

Os dois usavam crachá do IBGE e perguntaram até se havia idosos morando no prédio. O leitor achou ainda mais estranho e chamou um vizinho, que também entendeu que se tratava de um possível golpe. Logo a polícia apareceu por lá, às 10h20, e abordou a dupla.

Os homens disseram que eram vendedores de livro e com eles realmente foram encontrados os objetos, guardados em um I/Ford Focus 2.0. Eles possuem empresa com CNPJ no nome de um deles. Como não havia nada de irregular, foram liberados.

A PM informou que soube que os dois estavam passando de edifício em edifício, tentando contato com todos os apartamentos, pedindo para os moradores descer e levar documentos pessoais, dizendo que eram do Censo do IBGE.

Um deles, que tem 28 anos, é moreno, careca e alto. Hoje ele estava usando camiseta preta. O outro tem 45 anos, mais baixo, cabelo preto curto, hoje usava camiseta branca de estampa xadrez.

O policial militar Denício Rosa, assessor de imprensa do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário, orienta a população a não abrir a porta do prédio se pessoas com informações e perguntas estranhas como essas aparecerem e recomenda tomar cuidado, pois os pesquisadores do IBGE estão sempre com identificação completa, como crachá e colete.

“Caso ainda tenha dúvida, solicite um documento da pessoa porque você tem direito de confirmar se ele é quem diz ser. Quem faz esse tipo de pesquisa não tenta entrar no prédio. Eles abordam pessoas na rua ou pedem informação no hall. Se há dúvida, ligue para o 190. A princípio não há nada do IBGE ainda, estão para serem contratadas as pessoas que vão fazer o Censo, isso está tramitando ainda e deve levar alguns meses”, destaca. 

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Dupla tentou se passar por pesquisadores do IBGE em Balneário Camboriú

Reprodução
Foto meramente ilustrativa
Foto meramente ilustrativa

Publicidade

Segunda, 6/5/2019 16:41.

Dois homens, de 28 e 45 anos, passaram por prédios no Bairro dos Pioneiros, na manhã de hoje (6), identificando-se como pesquisadores do IBGE e desta forma, tentaram conseguir informações sobre os moradores, mas quando foram flagrados pela polícia informaram que vendiam livros.

O caso aconteceu pouco depois das 10h de hoje (6), na rua Julieta Lins. O Página 3 recebeu informações de um leitor, que preferiu não se identificar, mas estranhou porque logo que chegaram ao edifício, os homens falaram que passam pelo local ‘todos os anos’, o que deixou a pessoa ainda mais desconfiada, porque nunca viu a dupla por ali.

Os dois usavam crachá do IBGE e perguntaram até se havia idosos morando no prédio. O leitor achou ainda mais estranho e chamou um vizinho, que também entendeu que se tratava de um possível golpe. Logo a polícia apareceu por lá, às 10h20, e abordou a dupla.

Os homens disseram que eram vendedores de livro e com eles realmente foram encontrados os objetos, guardados em um I/Ford Focus 2.0. Eles possuem empresa com CNPJ no nome de um deles. Como não havia nada de irregular, foram liberados.

A PM informou que soube que os dois estavam passando de edifício em edifício, tentando contato com todos os apartamentos, pedindo para os moradores descer e levar documentos pessoais, dizendo que eram do Censo do IBGE.

Um deles, que tem 28 anos, é moreno, careca e alto. Hoje ele estava usando camiseta preta. O outro tem 45 anos, mais baixo, cabelo preto curto, hoje usava camiseta branca de estampa xadrez.

O policial militar Denício Rosa, assessor de imprensa do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário, orienta a população a não abrir a porta do prédio se pessoas com informações e perguntas estranhas como essas aparecerem e recomenda tomar cuidado, pois os pesquisadores do IBGE estão sempre com identificação completa, como crachá e colete.

“Caso ainda tenha dúvida, solicite um documento da pessoa porque você tem direito de confirmar se ele é quem diz ser. Quem faz esse tipo de pesquisa não tenta entrar no prédio. Eles abordam pessoas na rua ou pedem informação no hall. Se há dúvida, ligue para o 190. A princípio não há nada do IBGE ainda, estão para serem contratadas as pessoas que vão fazer o Censo, isso está tramitando ainda e deve levar alguns meses”, destaca. 

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade