Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Policia
Moradora denuncia briga na Alvim Bauer, Guarda Municipal está intensificando rondas

Quarta, 19/6/2019 11:21.
Reprodução

Publicidade

O Página 3 recebeu uma denúncia na manhã de hoje (19) a respeito de uma ‘briga generalizada’ ocorrida na noite de ontem (18), por volta das 22h30, na Alvim Bauer. Uma moradora de Balneário Camboriú disse ter passado no local e se assustado. A Guarda Municipal foi chamada, mas quando chegaram os envolvidos já haviam se dispersado.

No áudio que a reportagem recebeu, a moradora explica que passou de carro pelo local, quando viu a ‘briga horrorosa’. Ela conta que falou com comerciantes das proximidades e que a situação envolvia usuários de drogas.

“Era muita gente. O taxista que conversou conosco disse que ali virou ponto de drogas. Eles vendem drogas na maior cara de pau. Resumo, a cidade está perigosa. Era um local que podia se passear tranquilamente com a família, mesmo fora de temporada. A cidade está violenta, tu não enxerga a polícia, não tinha policiamento próximo”, disse.

A moradora ainda conta que ficou sabendo que a Guarda Municipal foi até o local somente quando a briga já havia encerrado e que ‘demoraram demais’.

“O que está acontecendo com essa cidade? Nós não temos mais segurança. Falta policiamento ostensivo, falta Guarda Municipal. Eles não estão dando vencimento. Cadê as autoridades dessa cidade, esse prefeito? A cidade precisa de ordem, a vagabundagem está tomando conta. Estamos perdendo Balneário Camboriú para os vagabundos”, completa.

Problema social

O secretário de Segurança, David Queiroz, disse estar ciente da situação e confirmou que quando a Guarda Municipal chegou ao local não havia mais ninguém por lá, por isso não conseguiram conduzir ninguém à delegacia.

“Não houve nenhum resultado. Porém, sabemos que há problemas com moradores de rua na cidade toda. Estamos intensificando as ações por conta disso. Já diminuiu bastante, mas é uma situação que ainda persiste e é perene. Não é só um problema de polícia e sim social, pois eles têm direito de ir, vir e permanecer, se assim desejarem”, destaca.

Queiroz lembra que a Guarda Municipal vem realizando operações junto da Inclusão Social, através do Resgate Social, departamento responsável pelas pessoas em situação de rua.

“Mas não é algo que vai acabar, é um problema mundial. Apesar disso, não nos conformamos e estamos agindo. É algo que depende também da sociedade e um fomento é a distribuição de comida, por exemplo. Tanto por parte da comunidade quanto pelos comerciantes”, acrescenta.

O secretário aconselha que a população pode falar para os andarilhos que a prefeitura oferta comida gratuitamente na Casa de Passagem, o ‘albergue’ que os recebe.

Rondas serão intensificadas na localidade e por toda a Avenida Atlântica, e em breve a base fixa da Barra Sul será reaberta, sendo a primeira da cidade a ser integrada entre a Guarda Municipal e as Polícias Civil e Militar. No local também serão confeccionados boletins de ocorrência. Ela será a terceira fixa da Atlântica, junto das existentes na Praça Tamandaré e no Pontal Norte. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução

Moradora denuncia briga na Alvim Bauer, Guarda Municipal está intensificando rondas

Publicidade

Quarta, 19/6/2019 11:21.

O Página 3 recebeu uma denúncia na manhã de hoje (19) a respeito de uma ‘briga generalizada’ ocorrida na noite de ontem (18), por volta das 22h30, na Alvim Bauer. Uma moradora de Balneário Camboriú disse ter passado no local e se assustado. A Guarda Municipal foi chamada, mas quando chegaram os envolvidos já haviam se dispersado.

No áudio que a reportagem recebeu, a moradora explica que passou de carro pelo local, quando viu a ‘briga horrorosa’. Ela conta que falou com comerciantes das proximidades e que a situação envolvia usuários de drogas.

“Era muita gente. O taxista que conversou conosco disse que ali virou ponto de drogas. Eles vendem drogas na maior cara de pau. Resumo, a cidade está perigosa. Era um local que podia se passear tranquilamente com a família, mesmo fora de temporada. A cidade está violenta, tu não enxerga a polícia, não tinha policiamento próximo”, disse.

A moradora ainda conta que ficou sabendo que a Guarda Municipal foi até o local somente quando a briga já havia encerrado e que ‘demoraram demais’.

“O que está acontecendo com essa cidade? Nós não temos mais segurança. Falta policiamento ostensivo, falta Guarda Municipal. Eles não estão dando vencimento. Cadê as autoridades dessa cidade, esse prefeito? A cidade precisa de ordem, a vagabundagem está tomando conta. Estamos perdendo Balneário Camboriú para os vagabundos”, completa.

Problema social

O secretário de Segurança, David Queiroz, disse estar ciente da situação e confirmou que quando a Guarda Municipal chegou ao local não havia mais ninguém por lá, por isso não conseguiram conduzir ninguém à delegacia.

“Não houve nenhum resultado. Porém, sabemos que há problemas com moradores de rua na cidade toda. Estamos intensificando as ações por conta disso. Já diminuiu bastante, mas é uma situação que ainda persiste e é perene. Não é só um problema de polícia e sim social, pois eles têm direito de ir, vir e permanecer, se assim desejarem”, destaca.

Queiroz lembra que a Guarda Municipal vem realizando operações junto da Inclusão Social, através do Resgate Social, departamento responsável pelas pessoas em situação de rua.

“Mas não é algo que vai acabar, é um problema mundial. Apesar disso, não nos conformamos e estamos agindo. É algo que depende também da sociedade e um fomento é a distribuição de comida, por exemplo. Tanto por parte da comunidade quanto pelos comerciantes”, acrescenta.

O secretário aconselha que a população pode falar para os andarilhos que a prefeitura oferta comida gratuitamente na Casa de Passagem, o ‘albergue’ que os recebe.

Rondas serão intensificadas na localidade e por toda a Avenida Atlântica, e em breve a base fixa da Barra Sul será reaberta, sendo a primeira da cidade a ser integrada entre a Guarda Municipal e as Polícias Civil e Militar. No local também serão confeccionados boletins de ocorrência. Ela será a terceira fixa da Atlântica, junto das existentes na Praça Tamandaré e no Pontal Norte. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade