Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Policia
Operação Chabu da Polícia Federal prende prefeito de Florianópolis

PF cumprindo mandados na região de Balneário também

Terça, 18/6/2019 10:52.
Reprodução

Publicidade

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, foi um dos presos pela Polícia Federal na manhã de hoje (18). A Operação Chabu (que significa ‘dar problema’ ou ‘falha no sistema’) acontece em várias cidades do Estado, inclusive em Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí. Estão sendo cumpridos 30 mandados de prisão, 23 de busca e apreensão e sete de prisão temporária. Além de Gean, também foram presos o ex-secretário da Casa Civil do Governo Pinho Moreira, Luciano Veloso Lima e o delegado da PF de Florianópolis, Fernando Caieron.

Gean foi detido ainda no início da manhã. Ele era esperado na inauguração da Via Expressa da cidade, o que acabou não acontecendo. A prefeitura ainda não se posicionou sobre o assunto. Já o delegado Fernando Caieron é suspeito de atrapalhar investigações focadas em uma organização criminosa.

Saiba mais

A ‘Chabu’ envolve políticos, empresários e até policiais federais, que estariam envolvidos em esquema de corrupção. Segundo informações da PF, os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre/RS. Tudo começou ainda em 2018, em agosto, com a Operação Eclipse. Na ocasião a PF conseguiu apurar que um grupo suspeito havia construído uma rede unindo políticos, empresários, policiais federais e rodoviários federais, com o foco em atrapalhar investigações e protegê-los.

A Polícia Federal informou ainda que há indícios de vazamento de informações a respeito de operações policiais ainda não realizadas e até contrabando de equipamentos para impedir monitoramento de órgãos públicos e empresas. Os investigados devem responder por corrupção passiva, associação criminosa, tráfico de influência, corrupção ativa, violação de sigilo funcional e tentativa de interferência em investigação.

Balneário Camboriú

Em Balneário Camboriú há informações de uma abordagem em um prédio na rua 3.700, mas ainda não foram repassados mais detalhes. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade













Página 3
Reprodução

Operação Chabu da Polícia Federal prende prefeito de Florianópolis

PF cumprindo mandados na região de Balneário também

Publicidade

Terça, 18/6/2019 10:52.

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, foi um dos presos pela Polícia Federal na manhã de hoje (18). A Operação Chabu (que significa ‘dar problema’ ou ‘falha no sistema’) acontece em várias cidades do Estado, inclusive em Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí. Estão sendo cumpridos 30 mandados de prisão, 23 de busca e apreensão e sete de prisão temporária. Além de Gean, também foram presos o ex-secretário da Casa Civil do Governo Pinho Moreira, Luciano Veloso Lima e o delegado da PF de Florianópolis, Fernando Caieron.

Gean foi detido ainda no início da manhã. Ele era esperado na inauguração da Via Expressa da cidade, o que acabou não acontecendo. A prefeitura ainda não se posicionou sobre o assunto. Já o delegado Fernando Caieron é suspeito de atrapalhar investigações focadas em uma organização criminosa.

Saiba mais

A ‘Chabu’ envolve políticos, empresários e até policiais federais, que estariam envolvidos em esquema de corrupção. Segundo informações da PF, os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre/RS. Tudo começou ainda em 2018, em agosto, com a Operação Eclipse. Na ocasião a PF conseguiu apurar que um grupo suspeito havia construído uma rede unindo políticos, empresários, policiais federais e rodoviários federais, com o foco em atrapalhar investigações e protegê-los.

A Polícia Federal informou ainda que há indícios de vazamento de informações a respeito de operações policiais ainda não realizadas e até contrabando de equipamentos para impedir monitoramento de órgãos públicos e empresas. Os investigados devem responder por corrupção passiva, associação criminosa, tráfico de influência, corrupção ativa, violação de sigilo funcional e tentativa de interferência em investigação.

Balneário Camboriú

Em Balneário Camboriú há informações de uma abordagem em um prédio na rua 3.700, mas ainda não foram repassados mais detalhes. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade